Memória, da Abstração à Matéria

Tramas Diárias – Lilian Maus / Museu do Trabalho

expo lilian maus

Lilian Maus apresenta desenhos que migram de cadernos autorais,  contendo textos-desenhos, para desenhos aquarelados de grande formato e também para a arquitetura do espaço expositivo. Em  seu processo de criação, a artista apropria-se de materiais sintéticos, como tecidos e plástico, e também de materiais orgânicos, como fios de cabelo e fungos, para construir desenhos que se alastram do plano bi ao tridimensional. Para este projeto, concebido especialmente para o Museu do Trabalho, Lilian Maus recria um ambiente envolvente de tramas que se alastram, por meio do uso de palavras e de imagens, e aderem a superfícies diversas. Uma espécie de textura porosa,  que lança a própria pele como metáfora do desenho.

Abertura dia 25 de agosto, quarta, às 19 horas
Em cartaz até 17 de outubro de 2010

www.flickr.com/lilianmaus

Museu do Trabalho
Rua dos Andradas, 230
CEP 90020-000 – Porto Alegre – RS – BRASIL
Tel/fax (51) 3227-5196
de terça-feira a domingo, das 13h 30min às 18h 30min

Apoio: BD Divulgação / Subterrânea / Vinhos Salton

Colóquio internacional de arte contemporânea e museus – Programação do dia 25

Local: Santander Cultural – Conferências e palestras

Conferencia – Arte e mercado: galerias, museus, coleções e baratos afins (10h00 -10h40)

Conferencista:
Ricardo Bausbaum. Artista, escritor, crítico e curador, com inúmeras exposições e publicações; é ainda professor do Instituto de Artes da UERJ e da Faculdade Santa Marcelina. Apresenta abordagens direcionadas às relações sociais e interpessoais e à circulação de dispositivos comunicativos.

Mediação:
Martha Niklaus. Arte-educadora, coordenadora de arte contemporânea e curadora da Galeria do Lago, no Museu da República / IBRAM. É também artista, tendo participado de várias coletivas dentro e fora do Brasil.

Debates (10h40 -11h00)

Mesa 3: Arte e mercado: galerias, museus, coleções e baratos afins (11h00 -12h10)

Palestrantes
Mônica Zielinsky. Doutora pela Universidade de Paris-Sorbonne com a tese A crítica de arte contemporânea no Brasil. Foi uma das coordenadoras do curso de formação da IVª Bienal do Mercosul e, durante vários anos, integrante do Conselho Curador da Fundação Iberê Camargo; atualmente faz parte do Conselho Consultivo do Museu de Arte do Rio Grande do Sul e leciona na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Alessandra Daloia. Ex- diretora da Galeria Camargo Vilaça. A partir de 2001 passa a atuar na recém-fundada Galeria Fortes Vilaça e, em 2008, funda a Associação Brasileira de Arte Contemporânea.

Yuri Firmeza. Mestrando em Artes Visuais pela ECA/USP, é artista plástico presente no Rumos – Itaú Cultural de 2005/2006 begin_of_the_skype_highlighting              2005/2006      end_of_the_skype_highlighting, tendo recebido o prêmio Marcantonio Vilaça-Sesi-CNI em 2009. Dentre as exposições e projetos que participou, destacam-se: 7° Festival de Performance de Cali – Cali/Colômbia; Laços do Olhar – Instituto Tomie Ohtake – São Paulo/SP; Confrontações Poéticas – CCBNB – Fortaleza/CE; Arte in Loco – Funceb – Buenos Aires/Argentina. Atualmente, ministra a oficina “Deslocamentos” pela Funarte.

Mediação:
Mabe Bethonico. Doutora em arte pelo Royal College of Art, é pesquisadora e professora adjunta da UFMG, além de artista plástica, com participação em exposições dentro e fora do Brasil. Desde 2000 é responsável pelo projeto de construção do MUSEUMUSEU.

Debates (12h10 – 12h30)

Almoço (12h30 -14h00)

Mesa 4: Arte e mercado: galerias, museus, coleções e baratos afins (14h00 -15h00)

Palestrantes
Maria Ignes Mantovani Franco. Doutora em História pela Universidade de São Paulo, desenvolve projetos museológicos, socioeducacionais e ambientais pela Expomus.

Milton Machado. Artista plástico com diversas exposições no Brasil e no exterior, é arquiteto pela FAU-UFR, e doutor em Artes Visuais pelo Goldsmiths College, University of London. Atualmente, é professor na Escola de Belas Artes EBA / UFRJ.

Alex Topini. É artista visual. Desenvolve trabalhos com fotografia e vídeo. Participou de mostras coletivas na Casa França-Brasil (RJ), no Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC), no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), além de participar do 16º Salão UNAMA de Pequenos Formatos (PA) e do 14º Salão dos Novos de Joinville(SC). No exterior, participou de coletivas na Suécia, na Argentina, na Espanha, no Chile e no México. Integra o Coletivo Filé de Peixe, que desde 2009 desenvolve o projeto PIRATÃO, que investiga e simula a economia informal para a difusão de videoartes.

Mediação:
Ricardo Resende. Mestre em História da Arte pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, foi arte-educador, produtor e curador de exposições e coordenou o Projeto Leonilson. Foi diretor do Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza e do Centro de Artes Visuais da Fundação Nacional das Artes.

Debates (15h00 -15h20)

Intervalo para café (15h20 -15h40)

Mesa 5: A obsolescência e outros problemas de conservação em Arte Contemporânea (15h40 -16h40)

Palestrantes
Cécile Dazord. Conservadora, fez parte do Museu de Arte Contemporânea de Strasbourg, onde atuou como curadora de exposições e diretora de publicações. Atualmente é responsável pelo Grupo de Arte Contemporânea no Departamento de Pesquisa e Restauração dos Musées de France / C2RMF.

Humberto Farias.. Conservador/Restaurador associado do CCBC e professor da PUC-SP).

Magaly Sehen. Doutora em poéticas visuais pela Universidade de São Paulo-ECA/USP com uma tese relacionada à preservação de “instalações de arte”. É especialista em conservação de bens móveis pelo CECOR/UFMG.

Mediação:
Franciza Toledo. Doutora em poéticas visuais pela Universidade de São Paulo-ECA/USP com uma tese sobre a preservação de “instalações de arte”, é especialista em conservação de bens móveis pelo CECOR/UFMG.

Debates (16h40 – 17h00)

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

Fala do artista (19:00 – 21h00)

Cildo (filme), de Gustavo Moura. Arquiteto pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, realiza projetos museogréficos e cenográficos, além de atuar como documentarista e videomaker independente.

Narrativas Privadas – Fábio Barolil / Galeria Laura Marsiaj

Com um trabalho surpreendente e impecável em pinturas á óleo, o jovem artista Fábio Baroli, acaba de chegar a galeria e inaugura sua primeira individual no anexo na próxima quarta-feira. Narrativas Privadas é o nome da exposição, e é também o nome da série de pinturas a óleo composta por trípticos e polípticos realizados a partir da apropriação de imagens anônimas encontradas em sites pornográficos.

Essas imagens, em sua maioria, são fotografias amadoras de baixa resolução. Nenhum tratamento em software de edição de imagem é dado a elas. Assim como se dispõem nos sites são impressas e (re)contextualizadas nas pinturas em pinceladas curtas e marcadas.As obras que compõem a série apresentam sucessões espaciais e temporais de acontecimentos encadeados. São cenas cotidianas, meramente sequenciadas, constituídas por pessoas anônimas dentro de quartos ou banheiros particulares em ocasiões de intimidade passíveis de voyeurismo.

Narrativas Privadas #16, 2010 - óleo sobre tela - 25 x 18 cm (cada)

Nessa série, as pinturas são elaboradas em pequena escala, buscando instigar a aproximação do espectador e a curiosidade com relação ao que é privativo, possibilitando uma relação mais íntima entre o fruidor, a obra e o conteúdo.

André Sheik – [fotocelular:visibilidades] / Galeria Toulouse

eclipse, André Sheik (divulgação)

Na obra do Sheik, o celular perde sua função de telefone-móvel e ganha status de meio para a produção de imagens e construção de linguagens. Desde 2006, fotografa com celulares e parte dessa pesquisa é apresentada na exposição [fotocelular:visibilidades]. Segundo o curador Saraiva, não as consideramos imagens de baixa qualidade e sim de qualidade diferente, apropriadas para a velocidade de uma época em que se produz, se troca e se é submetido a uma enorme quantidade de informações visuais. Além da praticidade de captação e veiculação, aliada ao olhar do artista, a baixa resolução destaca luz

Curadoria de Alberto Saraiva

Abertura:  24/08/2010, terça-feira, 19h
Exposição: de 25/08 a 22/09/2010

Galeria Toulouse
Rua Marquês de São Vicente 52 350 – Gávea
Rio de Janeiro / Rio de Janeiro / Brazil
21-2274-4044
contato@galeriatoulouse.com.br
www.galeriatoulouse.com.br

Fonte Canal Contemporâneo

Colóquio internacional de arte contemporânea e museus – Programação do dia 24

Local: Santander Cultural – Abertura oficial, conferências, palestras e fala do artista

Abertura oficial (10h-11h00)

Presidente do Ibram: José do Nascimento Júnior
Presidente da Funarte: Sérgio Mamberti
Secretário de Cultura do Estado: César Prestes
Diretora do Santander Cultural: Maria Bastos
Diretor da Casa de Cultura Mário Quintana: Luiz Armando Capra Filho

Conferência: Arte, museus e política: uma inevitável tensão (11h00 – 11h40)

Conferencista
Benoit de L´Estoile. Pesquisador do Centre National de la Recherche Scientifique – CNRS / Laboratório “Genêse e transformações dos mundos sociais”; professor-assistente em Antropologia Social e Sociologia na École Normale Supérieure – Paris, e Phd em Antropologia Histórica e Social; recentemente foi eleito para o Comitê Executivo da Associação Européia de Antropologia Social.

Mediação
Wilton Montenegro. Fotógrafo de inúmeros livros e catálogos de arte, dentro e fora do Brasil; é também artista e curador (ciclo de Debates Arte / Estado).

Debates (11h40 -12h00)

Almoço (12h00 -13h30)

Mesa 1: Arte, museus e política: uma inevitável tensão (13h30 -14h50)

Palestrantes
Marcio Doctors. Crítico de arte e curador da Fundação Eva Klabin e do Espaço de Instalações do Museu do Açude, é organizador e autor de inúmeras publicações de arte.

Cristiana Tejo. Coordenadora Difusão Cultural da Fundação Joaquim Nabuco – publicações, seminários, workshops e Concurso Mário Pedrosa de Ensaios sobre Arte e Cultura Contemporânea, foi curadora do programa Rumos do Itaú Cultura.
Paulo Bruscky. Artista voltado, desde a década de 1970, para as ações da vanguarda e do experimentalismo; tem realizado projetos de performance, instalação, intervenção, vídeo e linguagens multimídia. Em 1981, recebeu a Bolsa Guggenheim de Artes Visuais, residindo por um ano em Nova Iorque. Suas experiências com arte-correio, áudio-arte, vídeoarte, artdoor e xerografia/faxarte são consideradas pioneiras com relação à utilização de novos meios na arte brasileira. Possui ainda um importante acervo documental sobre as vanguardas artísticas do pós-guerra, tendo sido convidado a participar da ARCO 2008, Madri / Espanha, além de ser agraciado com uma sala especial na 16ª Bienal de São Paulo e com uma exposição retrospectiva intitulada “Ars Brevis” no MAC/USP.

Mediação: Leila Danziger. Artista graduada em Artes pelo Institut d´Arts Visuels de Orléans, é doutora em História Social da Cultura com tese sobre arte e monumento histórico e hoje leciona na UERJ e na PUC-RJ.

Debates (14h50-15h20)

Intervalo para café (15h20-15h40)

Mesa 2: Arte, museu e sociedade: palavras, gestos e ações (15h40 -17h00)

Palestrantes
Catherine Bompuis. Historiadora da arte e curadora, dirigiu o Fonds Régional d’Art Contemporain Champagne-Ardenne e fez parte da Delegação das Artes Plásticas do Ministério da Cultura na França.

Chus Martinez. Ex- diretora de Frankfurt Kunstverein (Alemanha) e da Sala Rekalde (Bilbao, Espanha), hoje é curadora-chefe do Museu de Arte Contemporânea de Barcelona e co-curadora da Bienal de São Paulo em 2010.

Anne Cauquelin. Professora emérita de Filosofia na Université de Picardie, dirige a Nouvelle Revue d’Esthétique e é Vice-présidente de la Société française d’Esthétique e membro de comitê de redação de numerosas revistas. autora de numerosas publicações, dentre as mesmas podemos destacar: Ensaio de filosofia urbana, Arte Contemporânea, Pequeno tratado de Arte Contemporânea, Arte do lugar comum, A invenção da paisagem, As teorias da arte, Frequentar os incorporais e Sitio e paisagem.

Mediação:
Cristina Freire. Mestre em Administração de Museus e Galerias de Arte pelaCity University, de Londres, e ex-coordenadora da Divisão de Pesquisa, Teoria e Crítica do MAC-USP. Atualmente é curadora do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo.

Debates (17h00 -17h30)

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

Fala do artista (20h00 – 21h00)

Zeca Ligiero / performance. Ph.D pela New York University, é escritor, diretor e artista visual, além de diretor do Instituto Hemisférico de Performance e Política; é curador do Acervo Augusto Boal, na UniRio.

Marcas Reveladas – Museu Nacional de Belas Artes


Os artistas responsáveis pela exposição Marcas Reveladas (Alexandra Morizot, Armando Barbosa, Bia Sasso, Rizza Conde e Roberto Tavares) oferecem ao público oficinas gratuitas que demonstram os princípios da gravura e suas inúmeras possibilidades, de 24 a 27 de agosto, no MNBA. Eles vão levar aos participantes a prazerosa experiência de fazer gravura,  uma arte fascinante. São oito workshops, intitulados Marcas Reveladas – Villa Venturoza, que prometem oferecer aos visitantes uma visualidade gráfica contextualizada com as obras expostas.
Em outro momento,  no dia 24 de agosto (terça-feira), será lançado um vídeo que irá integrar a exposição, com depoimento dos cinco artistas sobre os trabalhos da mostra, abordando a convivência no atelier, suas experiências com gravura, entre outras curiosidades. Além disso, no dia 28 de agosto (sábado), a partir das 14h, haverá o lançamento do catálogo de Marcas Reveladas, com texto do artista Rubem Grillo.

Workshops Gratuitos :

DESENHO CEGO em camadas e outras aplicações, com ROBERTO TAVARES.
Desenvolvimento de formas de impressão, utilizando o desenho livre como alavanca para resultados gráficos e lúdicos.
Dias 24 e 26 de agosto, das 11h às 13 h.

A DESCOBERTA DA IMAGEM, com ALEXANDRA MORIZOT E BIA SASSO
A oficina, através de fotografias de detalhes do Museu, inicia uma pesquisa com transferência de imagens com xerox e monotipias.
Dias 24 e 26 de agosto, das 14h às 16 h.

INCISÕES E INTERFERÊNCIAS, com ARMANDO BARBOSA
Utilização de processos diretos de gravação em suportes variados.
Dias 25 e 27 de agosto, das 11h às 13h

EXPERIÊNCIAS GRÁFICAS, com RIZZA CONDE
Demonstração do processo de transferência de gravação feita em linóleo, assim como utilizando imagens em acetato.
Dias 25 e 27 de agosto, das 14h às 16h.

Número máximo de participantes por dia (cada oficina): 12
Idade mínima de 12 anos.
Os interessados podem escolher um ou mais dias. As inscrições podem ser feitas pelo telefone 2219-8156 ou pelo e-mail comunicação@mnba.gov.br. Mais informações: 2219-8474, ramais 23 ou 29.

MNBA – Museu Nacioanl de Belas Artes
Av. Rio Branco,  199 – Cinelandia
cep: 20040-008
fone: (21) 2219-8474
fax: (21) 2262-6067
www.mnba.gov.br

Currículos resumidos dos artistas/ oficineiros:
Alexandra Morizot –
Cursou Educação Artística e Arquitetura nas Faculdades Integradas Bennett, pós-graduação em História da Arte e Arquitetura na PUC-RJ. Estudou desenho e gravura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e na PUC-Rio, estudou gravura com Thereza Miranda. Realizou exposições individuais no Centro Cultural dos Correios, RJ e na Galeria MW, Madrid. Atua também como professora de Educação Artística.
Armando Barbosa – Desenvolveu seus estudos em design de jóias, joalheria e gravação em metais na School of Jewellery da University of Central England em Birmingham, Inglaterra. Participou das coletivas “Cem Anos de Carlos Drummond de Andrade” e “Gravura em foco” no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, RJ.  É professor de joalheria da Escola de Ourivesaria do SENAI, RJ e do Centro de Artes Calouste Gulbenkian, RJ.
Bia Sasso – Desde 1979, fotografa em diversas áreas, passando pelas artes cênicas e pelas artes plásticas. Na década de 80, começou a fazer gravura em metal no Museu de Arte Moderna, RJ e cursos de serigrafia e litografia na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, RJ. Participou de várias coletivas, destacando-se “Pau, Pedra, Fibra e Metal” no Parque Lage, RJ.
Rizza Conde – Realizou sua formação artística na Escolinha de Arte do Brasil, com Augusto Rodrigues, no Núcleo de Atividades Criativas com Eduardo Sued, e em xilogravura, com Rubem Grilo. Realizou diversas exposições individuais, destacando-se: Museu Castro Maia, Chácara do Céu, RJ; Centro Cultural de Belém, Lisboa; Paço Imperial, RJ; Centro Cultural Recoleta, Buenos Aires; Consulado Brasileiro, Frankfurt; Museu Nacional de Belas Artes, RJ.
Roberto Tavares – Formado pela Escola de Belas Artes (UFRJ). Realizou exposições individuais no circuito SESC, Centro Cultural Cândido Mendes (Centro e Ipanema), Instituto Cultural Brasil-Argentina, Museu da República e na “Mostra Rio Gravura”, RJ. Entre as exposições coletivas se destacam: “Pau, Pedra, Fibra e Metal” e “Como vai você geração oitenta?”, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, RJ; “Mínimo Múltiplo Comum” no Museu Nacional de Belas Artes, RJ.  Atualmente desenvolve a supervisão artística das Oficinas da Imagem Gráfica da EAV do Parque Lage.

Você que faz versos – Walmor Corrêa / Galeria Laura Marsiaj


Walmor voa nas asas dos animais inventados.
Movem-se com elegância, olhares indagativos, ágeis, confiantes.
Montados em fios, em antenas, vencem distâncias na velocidade dos meios de comunicação, da luz.

A festa acabou para o homem!
Testemunhos do fim: depósitos de lixo, restos de produtos industrializados, comercializados.
Sonhos de imortalidade – materializados em rochas, mármore, bronze, concreto e aço – viram lixo.
O que somos? Lixo, produtores de lixo.

[Donaldo Shuller]

Lixo, 2010 - ferro e animais taxidermizados (foto: Letícia Remião)

Você que faz versos é o nome da exposição que Walmor Corrêa apresentou no Instituto Goethe, em Porto Alegre no mês de junho, e tem abertura marcada para o dia 25 de agosto, a partir das 19hs na Galeria Laura Marsiaj.

Como se estivesse deslocando fragmentos das ruas das grandes cidades brasileiras para a galeria, Corrêa apresenta latas de lixo repletas de resíduos . Alí estào, com um colorido vistoso, simulacros de restos de biscoitos e sanduíches, latas de refrigerantes, garrafas, frutas em estado de decomposição. Não há discriminação entre lixo orgânico e lixo seco; tudo está misturado, na aparente beleza e harmonia resultante do encontro entre as cores.

Entorno dos detritos, junto ao lixo, apoiados em galhos de árvores ou antenas, dezenas de bizarros pássaros se divertem e buscam alimento. O estranhamento se deve ao caráter indefinido dos animais, num híbrido de aves e ratos, como se fossem resultados de uma mutação também provocada pelo próprio lixo desmesurado, não controlado e não tratado.

Propondo reflexões que atravessam o nosso cotidiano e sem abandonar a característica de suas pesquisas conceituais e formais, Walmor Corrêa mais uma vez surpreenderá o espectador, com sua poética contemporânea e pungente.

[trechos do texto de Paula Ramos]

Danúbio Gonçalvez – Série Grandes Mestres

Colóquio internacional de arte contemporânea e museus: Transversalidades Poéticas e Políticas

Amanhã inicia o Colóquio internacional de arte contemporânea e museus: Transversalidades Poéticas e Políticas que acontece no Santader Cultural e na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre. O colóquio é uma realização do Ibram – Instituto Brasileiro de Museus, da Funarte e do Programa Ibermuseus, e conta com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul .

O Colóquio tem como objetivos fomentar ações de pesquisa e documentação que levem ao aprofundamento do discurso crítico e reflexivo sobre a formação de acervos de arte contemporânea e das ações relacionadas às artes visuais; abarcar amplo leque de meios e mídias, bem como novas conexões e formas de cooperação entre museus, artistas, pesquisadores, críticos, produtores, gestores culturais e públicos e promover o patrimônio artístico, que articula passado, presente e futuro.

O evento acontece nos dias 24, 25, 26 e 27 de agosto de 2010

Confira a programação resumida abaixo:

24 de agosto de 2010

Local: Santander Cultural – Abertura oficial, conferências, palestras e fala do artista

Abertura oficial (10h-11h00)

Presidente do Ibram: José do Nascimento Júnior
Presidente da Funarte: Sérgio Mamberti
Secretário de Cultura do Estado: César Prestes
Diretora do Santander Cultural: Maria Bastos
Diretor da Casa de Cultura Mário Quintana: Luiz Armando Capra Filho

Conferência: Arte, museus e política: uma inevitável tensão (11h00 – 11h40)

Conferencista: Benoit de L´Estoile.

Mediação: Wilton Montenegro.

Mesa 1: Arte, museus e política: uma inevitável tensão(13h30 -14h50)

Palestrantes Marcio Doctors, Cristiana Tejo e Paulo Bruscky

Mediação: Leila Danziger

Mesa 2: Arte, museu e sociedade: palavras, gestos e ações (15h40 -17h00)

Palestrantes Catherine Bompuis, Chus Martinez e Anne Cauquelin

Mediação: Cristina Freire

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

Fala do artista (20h00 – 21h00)

Zeca Ligiero

25 de agosto de 2010

Local: Santander Cultural – Conferências e palestras

Conferencia – Arte e mercado: galerias, museus, coleções e baratos afins (10h00 -10h40)

Conferencista: Ricardo Bausbaum

Mediação: Martha Niklaus

Mesa 3: Arte e mercado: galerias, museus, coleções e baratos afins (11h00 -12h10)

Palestrantes Mônica Zielinsky e Yuri Firmeza

Mediação: Mabe Bethonico

Mesa 4: Arte e mercado: galerias, museus, coleções e baratos afins (14h00 -15h00)

Palestrantes: Maria Ignes Mantovani Franco e Alex Topini

Mediação: Ricardo Resende

Mesa 5: A obsolescência e outros problemas de conservação em Arte Contemporânea (15h40 -16h40)

Palestrantes: Cécile Dazord, Humberto Farias e Magaly Sehen

Mediação: Franciza Toledo

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

Fala do artista (19:00 – 21h00)

Cildo (filme), de Gustavo Moura

26 de agosto de 2010

Local: Santander Cultural – Conferências e palestras

Conferência – Museu, Arte e Educação: desarrolhando o mundo (10h00 -10h40)

Conferencista: Ana Mae Barbosa

Mediação: Carla Dias

Mesa 6- Museu, Arte e Educação: desarrolhando o mundo (11h00 -12h20)

Palestrantes Guilherme Vergara, Denise Grispun e José Rufino

Mediadora: Vera Rodrigues

Mesa 7: Museu, Arte e Educação: desarrolhando o mundo (14h00-15h20)

Palestrantes: Maria Helena Bernardes e Anna Bella Geiger

Mediação: Cristiano Píton

Fala do artista (16h00 – 17h00)

Paula Parisot.

Mediação: Carmen Maia

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

Fala do artista (19h00-20h00)

Paulo Cac (O menor espetáculo da terra – performance)

27 de agosto de 2010

Local: Santander Cultural – Conferências e palestras

Conferência: Transversalidades poéticas: trafegar é preciso (10h00-10h40)

Conferencista: Gilles Tiberghien.

Mediação: Álvaro Marins

Mesa 8: Transversalidades poéticas: trafegar é preciso (11h00-12h20)

Palestrantes: Nelson Felix, Carlito Azevedo e Xico Chaves

Mediação: Mário Chagas

Mesa 9: Transversalidades poéticas: trafegar é preciso (14h00 -15h20)

Palestrantes: Patricia Canetti, Bia Lessa e Marcone Moreira

Mediação: Lilian Amaral

Balanço de transver o mundo e os museus (15h40 – 16h40)

Mário Chagas e demais participantes do seminário.

Coquetel de encerramento
(17h00-18h00)

PROGRAMAÇÃO PARALELA
Mediante Inscrição – 90 vagas – 2 ônibus
28/08 – sábado – 12h – Visita à Fundação Iberê Camargo

Concepção, coordenação e supervisão técnica:
Mário Chagas, Ricardo Resende, Álvaro Marins, Carmen Maia e Vera Rodrigues

Organização:
Alejandra Saladino (DPMUS), Joana Regattieri (DPMUS), Tania Failson (DPMUS), MaxImiliano de Souza (DPMUS), Flávia Mello (GAB), Danielle Perdomo (DPGI), Jaqueline Lima (DPGI)

Agradecimentos:
Eneida Rocha Braga (DDFEM) e Antía Vilela (Programa Ibermuseus)

IV Fórum de Arte Contemporânea – Bienal Zero

Epiphania – Jaymes Reis

A Editora C/Arte e Jayme Reis convidam para a exposição de seus novos trabalhos e de seu Livro de Artista inédito. A inauguração será dia 21 de agosto, das 10:30 às 14 horas, na Galeria LIVROBJETO, Av. Guarapari, 464, Pampulha, BH/MG.

Jayme Reis é um artista plástico singular, procura criar a partir do sensível, mas sempre com a dimensão do hoje, do aqui, agora. Sempre atento ao seu entorno, deixa fluir em sua obra elementos plásticos do mundo que o cerca, como a influência do popular e das tradições religiosas. É justamente isso que o artista irá apresentar com o livro-objeto Epiphania ou o Homem que Observava Fogueiras Durante a Semana Santa. Composto de obras inéditas que nasceram da experiência vivenciada em São João Del Rei, da manifestação religiosa com o fogo, com a queima de objetos variados, que foram mesclados na composição deste livro-objeto.

Nascido em Itabira, Jayme Reis se notabilizou por algumas das criações mais originais das artes plásticas de Minas Gerais, como, por exemplo, os famosos barcos moldados em madeira, ferro e tinta. Autodidata, atuou como professor de escultura no Elke Hering Atelier, em Blumenau/SC, em 1988. Foi “artista visitante” na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e do Colégio Técnico da Universidade Federal de Minas Gerais  (UFMG). Conquistou o Prêmio de Incentivo à Cultura do Estado de Santa Catarina e o primeiro prêmio no 1o Salão de Artes Plásticas da Uberaba/MG. Participou também do 1º Concurso de Arte Erótica e do 1º Salão de Arte Erótica, em Barcelona, Espanha, em 1996.

Diálogos Ampliados – Conversa c/ Artista

(Re) Configurações do Eu – FUNDARTE/Montenegro

Coletivo Al Revés – LABMIS – MIS/SP

O coletivo Al Revés apresenta Ambiente Sensível, trabalho artístico que vem sendo desenvolvido durante a Residência LABMIS 2010. Trata-se de apresentação aberta ao público do processo de concepção e criação da obra do artista contemplado pelo edital do Programa de Residência LABMIS 2010, que oferece aos selecionados, entre outras formas de apoio, livre acesso à infraestrutura tecnológica do espaço e suporte de orientadores e técnicos especializados.
O projeto “Ambiente Sensível”  investiga as relações entre som, espaço e receptor através da criação de uma instalação sonora. Os artistas classificam o trabalho como um ecossistema audível, no qual esses três elementos são ativos e interconectados. O resultado sonoro é traço dessa interação, aberta e indeterminada. Tal característica remete à escala temporal presente, território da sensação e da experimentação, e reinsere o corpo na escuta, tornando-a ativa e criadora.
A instalação ocorre em um espaço que prioriza o sentido da audição. Ou seja, o som é trabalhado para não trazer sensação imagética.Tecnicamente, o trabalho é formado por um microfone e sensores de distância,  conectados através de Arduino ao Pure Data – cérebro do sistema. Os áudios compõem uma reação de acordo com a presença dos espectadores. Se a instalação estiver vazia, ela fica muda. Com o aumento da quantidade de pessoas, o som torna-se mais complexo e inconstante.
O evento conta também com a presença dos orientadores Daniela Kutschat, Fernando Iazzetta e Tuti Fornari.

Sobre Al Revés
Alexandre Marino Fernandez
é graduado em Comunicação Audiovisual (2004) e pós-graduado em Composição Musical e Tecnologias Contemporâneas pela Universidad Pompeu Fabra (Barcelona, 2008). Recebeu o prêmio Beca Phonos para composição de peça sonora (Barcelona, 2008). Participou do Festival TSONAMI e do DCMT’08 en Concierto (ambos em Barcelona, 2008). Já apresentou trabalhos no Can Xalant (Barcelona, 2008), no Espaço Eureka (São Paulo, 2008), no Centro Cultural São Paulo e no SESC-SP (2007), além do FILE/Hipersônica (São Paulo, 2006).
Rafael De Marchi Gherini Molla é graduado em Design Digital pela Universidade Anhembi Morumbi (2004), já realizou diversos cursos, principalmente nas áreas de áudio e vídeo, em espaços como Festival Sónar (Barcelona, 2003), MACBA – Museu d’Art Contemporani de Barcelona (2002) e MAM-SP (2001). Apresentou trabalhos no Espaço Eureka (São Paulo, 2008), no Estúdio EPPA (Salvador, 2008), no Centro Cultural São Paulo e no SESC-SP (2007) e no FILE/Hipersônica (São Paulo, 2006).
Conheça o resultado da pesquisa em www.alreves.org/wiki

encontro com artista
20 de agosto de 2010, sexta às 16h
auditório LABMIS – ingresso: gratuito

Museu da Imagem e do Som de São Paulo – MIS/SP
Avenida Europa, 158, Jardim Europa,
São Paulo – SP, Brasil. CEP 01449-000.
55 11 2117 4777

http://mis-sp.org.br

Paço das Artes / Temporada de Projetos 2011 – Inscrições abertas

II Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo

Abertas as inscrições para os Workshops e Leituras de Portfólio do II Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo. Atividade gratuita, com Certificado do Itaú Cultural. Acesse o site http://www.forumfoto.org.br/ e conheça os temas das atividades, quem são os ministrantes, como se inscrever, o regulamento, horários e a programação geral do Fórum.. Qualquer tipo de dúvida, escreva para portfolio@itaucultural.org.br.

Prazo para as inscrições: até 22 de agosto de 2010.
Público alvo: somente pessoas físicas, sem limitação etária e de formação.
– Data da realização dos Workshops: outubro, nos dias 20 quarta, 21 quinta e 22 sexta.
– Data da realização das Leituras de Portfólio: outubro, nos dias 23 sábado e 24 domingo.
As duas atividades acima serão realizadas na Casa das Rosas, avenida Paulista, 37, ao lado do Itaú Cultural.

O resultado das inscrições será anunciado até 13 de setembro, no próprio site do Fórum e os selecionados receberão e-mail de confirmação.

Observação: as demais atividades do Fórum – mesas de debates e exposição – são abertas ao público geral e não requerem inscrições antecipadas. Os ingressos são distribuídos na bilheteria da Recepção do Itaú Cultural. Lotação por ordem de chegada: 247 lugares.

Iatã Cannabrava é o Coordenador do II Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo.
Edú Brandão e o coletivo Cia de Foto são os Curadorres da Exposição Histórias de Mapas, Piratas e Tesouros.

Local : Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149, São Paulo (SP), Brasil.
Data: de 20 a 24 de outubro de 2010.
Itaú Cultural | Comunicação Dirigida
itaucultural@comunicacaodirigida.com.br
Tel 11 3881-1710 | 11 8405-4664

Projeto Edições – Laboratório de Curadoria

Revisitando Poética das Cores: da natureza à figura humana

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.609 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: