Projeto Mil Mãos

Dispositivos de Registro na Arte Contemporânea – Livraria Zouk

Nos últimos anos, têm se disseminado cada vez mais a reprodução, a circulação e o reprocessamento das “informações” plástico-poéticas. Tais imagens, a que muitos artistas chamam de “registros” e para as quais rejeitam a condição de obra, constituem uma linguagem cujas atribuições, mas também convenções envolvem acordos institucionais, com consequências para a própria definição do que é e do que deve ser chamado de arte.

Os 12 artigos que compõem o livro, precedidos pelo texto de orelha de Rubens Machado Jr., o prefácio de Glória Ferreira e uma detalhada apresentação de seu organizador, examinam e avaliam se as diversas formas de registro da e na arte ultrapassam ou não a simples documentação que elas efetivam na ordem simbólica. Em outras palavras, se elas trazem consigo a possibilidade de atualizar, de maneira singular, a potência das obras a que se referem e se, além disso, conformam hoje um campo que já não coincide com as imagens produzidas pelos próprios artistas.

À luz de perspectivas teóricas e críticas diversas, o conjunto dos textos oferece uma importante contribuição para o entendimento dos caminhos que têm sido trilhados pela arte contemporânea em suas relações com o cinema, o vídeo, a impressão de imagens, a performance e o teatro.

O livro contou com recursos do Programa de Apoio à Publicação (APQ-3) da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ).

Textos de: André Parente, Daniela Mattos, Hélio Fervenza, José da Costa, Katia Maciel, Luiz Cláudio da Costa, Philippe Dubois, Raymond Bellour, Renato Rodrigues da Silva, Roberto Conduru, Sheila Cabo Geraldo e Stella Senra

Luiz Cláudio da Costa (organizador)

ISBN 978-85-7740-059-1

Contra Capa / FAPERJ, 2009, 16 x 23 cm, R$ 40,00

Federico Guerreros no David Dalmau Studio

Nostalgia em mostra individual do artista
O Studio David Dalmau inaugura no dia 1º de junho, terça-feira, às 19h30 horas, a exposição individual do artista Federico Guerreros intitulada 18 Segundos. Organizada pelo artista brasileiro, nascido no Uruguai,  a mostra exibe 18 telas em encáustica realizadas entre 2008 e 2009 em seu ateliê em Barcelona, Espanha. São fragmentos ampliados de fotografias recentes ou antigas recobertos de cera de abelha pigmentada.
Intenção de memória

Na visita à exposição, o visitante se depara com cenas de estudantes com boina e gravata correndo pela rua, brincadeiras infantis ao ar livre e mesmo cenas de casamentos. Desde a escolha da fotografia que toma por base, sua edição pouco detalhada e posterior pintura, subsiste o traço de nostalgia que dá identidade visual da obra do artista. O instante efêmero aprisionado na foto ou mesmo a busca por reminiscências de idos tempos são preservados por detrás de certa transparência e de uma textura particulares que emprestam ares de eternidade e imanência a cada uma destas obras. São imagens delicadas e ao mesmo tempo fortes o suficiente para suspender o tempo do mundo para um espaço-tempo que transita entre a familiaridade e a memória.
A encáustica é uma técnica de pintura milenar, praticada pelas civilizações mediterrâneas, cujos registros mais remotos remontam à Grécia do século V a.C. Caiu em desuso por séculos, entretanto, seu resgate no século XIX e divulgação têm reabilitado a técnica, que vem ganhando adeptos no mundo todo. No Brasil, um de seus paladinos foi o artista plástico paraense Osmar Pinheiro (1950-2006), que a difundiu por entre uma expressiva geração de pintores, especialmente em São Paulo.

Federico Guerreros – Nascido no Uruguai, porém criado em São Paulo, o artista reside atualmente em Barcelona, Espanha. Sua instrução em artes obedeceu ao ritmo dos artistas de quem foi discípulo, Antonio Peticov e Osmar Pinheiro.  Em Barcelona, estudou na escola de arte contemporânea Metáfora.

Abertura: 1º de junho 2010, terça-feira, a partir das 19h30
Exposição: de 07 a 26 de junho, de segunda a sexta, das 10 às 18h; e sábados, das 10 às 17h
Entrada franca


David Dalmau Studio

Rua Groenlândia, 1943
Jardim América, São Paulo – SP
(11) 3063 5813

Enquanto Isso – Fabriano Rocha

Projeto Política da Arte 2010 – Artur Zmijewski

Na exposição estarão agrupados três dos mais conhecidos vídeos de Artur Zmijewski, nos quais dirige seu olhar inquiridor para incômodas questões políticas e históricas. No mais antigo deles, Game of Tag, o artista exibe um grupo de homens e mulheres de idades variadas jogando uma espécie de ‘jogo de pegar’. Eles estão despidos e confinados no interior de espaços claustrofóbicos. É a informação fornecida ao final do vídeo que retrospectivamente transforma imagens de diversão, erotismo latente e gradual desconforto dos jogadores em lembranças de crimes e traumas.
Curadoria de Moacir dos Anjos
Abertura: 27 de maio de 2010, quinta-feira, 19-22h
Exposição: de 28 de maio a 04 de julho de 2010, Terça a domingo, 15-20h
Fundação Joaquim Nabuco – FUNDAJ – Galeria Vicente do Rego Monteiro
Rua Henrique Dias 609 – Derby – Recife / Pernambuco / Brasil
(81) 3073-6692
artes@fundaj.gov.br – www.fundaj.gov.br

Palestras / Projeto Capacete – 29ª Bienal Internacional de São Paulo

Julia Rometti, Teresa Riccardi, Victor Costales
26 de maio, quarta-feira, 20h
+
Graziela Kunsch
27 de maio, quinta-feira, 20h
Teatro Arena
Rua Dr. Teodoro Baíma 94, São Paulo – SP

Fonte Canal Contemporâneo

Vídeo: por uma prática de Compartilhamento do olhar em contextos geográficos definidos

Regina Silveira – Bolsa de Arte

Vão – Galeria Vermelho

Seminário DIÁLOGOS – do ateliê à crítica de arte / Álvaro Seixas, Rafael Alonso e Fernando Cocchiarale

Exposição ALVARO SEIXAS / RAFAEL ALONSO: Diálogo de Pintura, organização de Gabriel Netto*

A exposição Alvaro Seixas/Rafael Alonso: Diálogo de Pintura, organizada por Gabriel Netto, abrirá nesta quinta-feira, dia 27 de maio, às 19h, no Atelier Subterrânea (Av. Independência, 745/Subsolo). Na mostra, os pensamentos pictóricos dos artistas cariocas rompem os limites da tela e se expandem. O diálogo estabelecido na exposição demonstra uma profusão de possibilidades geradas pelo interesse mútuo pela pintura, pelo gráfico, pelo objeto e pela ocupação do espaço, que se estendem da pintura gestual à apropriação e à elaboração de objetos. Assuntos e meios se transpõem e se misturam, construindo e desconstruindo a ideia da pintura como janela e mantendo-a em constante transformação. Na noite da abertura haverá sorteio de obras doadas pelos artistas. Os números estarão à venda no Atelier Subterrânea a R$ 5. Como evento associado à mostra será realizado, em parceria com o Santander Cultural, o Seminário Diálogos: do ateliê à crítica de arte, que contará com a presença de Alvaro Seixas, Rafael Alonso e do crítico de arte Fernando Cocchiarale, a ser realizado dia 29 de maio, às 16h, no Hall de entrada do Santander Cultural, em meio à mostra Horizonte Expandido, que tem curadoria de André Severo e Maria Helena Bernardes.

Exposição Alvaro Seixas/Rafael Alonso: Diálogo de Pintura
Abertura: quinta-feira, 27 de maio, às 19h (entrada franca)Sorteio de obras doadas no dia da abertura a partir das 21h, números à venda no local
Visitação: de segunda a sábado, das 14h às 18h
Encerramento: 26 de junho de 2010

Atelier Subterrânea
Av. Independência, 745/Subsolo – Porto Alegre
Informações e agendamento de visitas pelo site http://www.subterranea.art.br e email contato@subterranea.art.br
*Evento associado: Seminário Diálogos – do ateliê à crítica de arte, com a presença dos artistas palestrantes Álvaro Seixas, Rafael Alonso e do crítico de arte Fernando Cocchiarale

Seminário DIÁLOGOS – do ateliê à crítica de arte, com participação de Álvaro Seixas, Rafael Alonso e Fernando Cocchiarale

A proposta do seminário, resultado da parceria entre Atelier Subterrânea e Santander Cultural, é promover o encontro das experiências de dois jovens artistas que trabalham com a linguagem da pintura no cenário artístico contemporâneo – Álvaro Seixas e Rafael Alonso, ambos selecionados na última edição do Rumos Itaú Cultural 2009 – e Fernando Cocchiarale, crítico e curador com reconhecida atuação no campo da arte. O seminário ocorrerá dia 29 de maio, sábado, às 16h, no Hall de entrada do Santander Cultural. Trata-se de um evento paralelo às exposições ALVARO SEIXAS / RAFAEL ALONSO: Diálogo de Pintura, que será inaugurada dia 27 de maio, no Atelier Subterrânea, e Horizonte Expandido, mostra aberta à visitação a partir de 26 de maio, no Santander Cultural.
Quando: 29 de maio, sábado, às 16h
Local: Hall de entrada do Santander Cultural – Porto Alegre
Informações: scultura@santander.com.br (inscrições gratuitas)

Vistas a perder de vista – Galeria Penteado

3ª edição do Atêlie Aberto – Inscrições Abertas

A Casa Tomada está abrindo inscrições para a terceira edição do Ateliê Aberto, programa de convivência e produção conjunta voltado para jovens artistas e pesquisadores. Ao longo de três meses, os cinco a sete artistas e dois a quatro pesquisadores selecionados convivem no ateliê da Casa, compartilhando experiências e produzindo trabalhos – individuais ou coletivos – para uma exposição no próprio espaço. Os pesquisadores frequentam a Casa para fazer um acompanhamento crítico do processo de criação dos artistas, além de desenvolver um projeto teórico. Ao longo do processo, os participantes recebem visitas de artistas, curadores, galeristas e professores, que comentam o processo de criação.
A Casa Tomada (Rua Brás Cubas, 335, Aclimação, tel. 11-2532-7455) é um espaço reservado para práticas, investigações e reflexões de caráter artístico.
As inscrições para o Ateliê Aberto vão até 30 de junho. Podem participar artistas de qualquer área e qualquer nacionalidade. Ficha de inscrição e regulamento estão no site da Casa Tomada.

Silêncios e Susurros / Sala dos Pomares – Fundação Vera Chaves Barcellos

O conceito expandido de silêncio está representado nesta mostra coletiva por cerca de 60 trabalhos que incluem desenhos, gravuras, fotografias e plotagens, vídeos, objetos, esculturas e instalações de artistas de nacionalidades diversas como Mira Schendel, Regina Silveira, Sol LeWitt, Bob Wilson, Cao Guimarães, Christo, Carlos Asp, Mário Röhnelt, Lia Menna Barreto, entre outros.

“Com esta inauguração da FVCB, esperamos dar início a um ciclo de exposições que, em continuidade, possa mostrar ao público novos aspectos dessa coleção ainda em formação, mas que deverá continuar crescendo”, afirma Vera Chaves Barcellos, diretora-presidente da FVCB. “Esperamos que se torne uma das coleções de arte contemporânea exemplares dentro do panorama cultural do país”, complementa a artista e idealizadora da Fundação.

Transporte especial para o dia da abertura: no dia da abertura estará disponível gratuitamente ao público um ônibus executivo (com 44 lugares) (Porto Alegre-Viamão-Porto Alegre), com saídas às 10h e 13h, em frente ao Theatro São Pedro. Não é necessária inscrição prévia para o transporte.
Artistas – Adolfo Montejo Navas, Anna Bella Geiger, Bob Wilson, Cao Guimarães, Carlos Asp, Carlos Pasquetti, Carmela Gross, Carmen Calvo, Christo, Domènec, Eduardo Kickhöfel, Elaine Tedesco, Enric Mauri, Fernando Alday, Frantz, Gisela Waetge, Guilherme Dable, Hannah Collins, Helio Fervenza, Perejaume, José Rufino, Lenora de Barros, Leopoldo Plentz, Lia Menna Barreto, Luiz Barth, Luiz Roque, Mara Alvares, Mário Röhnelt, Marlies Ritter, Margarita Andreu, Michael Chapman, Mira Schendel, Nazareno, Nick Rands, Patrício Farias, Paulo Vivacqua, Pep Admetlla, Rafael França, Regina Silveira, Rintaro Iwata, Rodrigo Braga, Rufino Mesa, Sean Scully, Sol LeWitt, Teresa Poester, Vera Chaves Barcellos

Inauguração da Sala dos Pomares FVCB
Exposição Silêncios e Sussurros

Curadoria de Vera Chaves Barcellos
Abertura 29 de maio de 2010, às 11h
Visitação de 31 de maio a 30 de outubro de 2010, sábados das 14h às 18h
Segunda a sexta, através de agendamento
Sala dos Pomares – FVCB
Av. Senador Salgado Filho, 8450 – Viamão – RS – Brasil

(parada 53 / ao lado do condomínio Buena Vista)
Entrada Franca
Contato: 51 32281445 / info@fvcb.com / site: link abaixo

Fonte: Fundação Vera Chaves Barcellos e Koralle

Estado de Criação II – Cultural Arts

Entre desejos e utopias / A Gentil Carioca

A exposição na A Gentil Carioca, com início em 15 de maio, chama-se “Entre desejos e utopias” e tem curadoria de Felipe Scovino. Será uma exposição envolvendo projetos não realizados: Desenhos, estudos, maquetes, anotações de obras ou ações que estavam arquivados e nunca foram executados seja pela sua impossibilidade técnica ou financeira, seja pelo fato deles existirem unicamente como projeto utópico. A mostra indaga uma dimensão peculiar da produção artística, exibindo e permitindo diálogos transversais entre artistas que têm em comum o compromisso com a invenção.

Artistas – Alexandre Vogler, Antonio Dias, Artur Barrio, Botner e Pedro, Chelpa Ferro, Cildo Meireles, Guga Ferraz,  João Modé, Paulo Nenflidio, Renata Lucas, Ricardo Basbaum, Ronald Duarte, Thiago Rocha, Pitta

CAMISA EDUCAÇÃO – A GENTIL CARIOCA realiza o projeto Camisa Educação desde 2005. A cada nova inauguração na galeria convidamos um artista a realizar um projeto para uma camisa na qual a palavra “educação” está escrita. Nesta edição haverá o lançamento da Camisa-Educação n°31 do artista R. Godá.

“Entre desejos eutopias”

curadoria Felipe Scovino
Abertura 15 de maio de 2010 de 16h às 20h
Exposição de 18/05 a 19/06/2010
Lançamento da camisa educação por R.Godá

A Gentil Carioca
Rua Gonçalves Ledo, 17- Sobrado
Centro- Rio de Janeiro- 20060-020
Tel: 21 2222-1651
Abrimos de terça a sexta-feira das 12h às 19h e sábados das 12h às 17h.
correio@agentilcarioca.com.br
Fonte Koralle

Animatrolls – MIS/SP

Com Paloma Oliveira e Radamés Ajna

Esta oficina objetiva criar animatronics – brinquedos animados que simulam vida por meio da eletrônica e da robótica. Pretende envolver os participantes em um universo lúdico de criação de histórias e personagens baseados na mitologia nórdica (trolls) e, com essa linguagem, desenvolver habilidades de construção e resolução de problemas lógicos usando linguagem de programação e eletrônica.

Sobre os ministrantes
Paloma Oliveira é criadora multimídia e produtora cultural. Realiza trabalhos e pesquisas juntamente com os artistas Ricardo Palmieri, Kruno Jost e Mateus Knelsen.

Radamés Ajna
é bacharelando em física do Instituto de Física da USP. Obteve o primeiro lugar em votos com o Projeto IP-ROBOT na Feira Brasileira de Ciência e Engenharia, em 2003. Com o mesmo projeto, foi premiado pela Editora Saber Eletrônica. Ministra oficinas relacionadas à robótica.

Oficina de 05 a 06 de Junho de 2010, das 13h às 18h – sala de interface
Valor R$ 15 (desconto de 50% para estudantes).
Público alvo: infanto-juvenil – de 6 a 16 anos – acompanhado pelos pais.
Vagas 12 – Seleção: Disponibilidade de vagas

Inscreva-se aqui para a oficina Animatrolls

Museu da Imagem e do Som de São Paulo – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa
São Paulo – SP, Brasil.
Telefone: (11) 2117 4777

Arsenal / Baró Galeria

ARSENAL Primeira mostra do novo espaço cultural de São Paulo: a BARÓ Galeria. A exposição conta com trabalhos dos 58 artistas, de vários países, que compõe tanto a Baró Galeria como a Galeria Emma Thomas, convidada para integrar o novo espaço. O novo espaço de cultura, que se apresenta como uma opção de integração entre artes, artistas, designers, colecionadores, críticos e público, conta também com projeto arquitetonico feito pelo ‘sub studio’ (Renata Pedrosa, Isabel Nassif e Julia Masagao) e com a participação da nova loja do hangar: o Coletivo Amor de Madre.

Artistas: Ana Teixeira, Carlos Fajardo, Chico Togni, Claudia Jaguaribe, Courtney Smith, Darío Escobar, Emanuel Tovar, Enrique Radigales, Erica Bohm, Fabiano Gonper, Felipe Barbosa, Fernando Renes, Flaminio Jallageas, Gisele Beiguelman, Henrique Oliveira, Hélio Oiticica e Neville D’Almeida, Ivan Navarro, Jac Leirner, Jorge Menna Barreto, José Rezende, Marcos López, Mariannita Luzzati, Mónica Espinosa, Mônica Piloni, Nicola Costantino, Pablo Siquier, Patrick Hamilton, Raquel Kogan, Roberto Bethônico, Roberto Jacoby, Rodrigo Facundo, Rosana Ricalde, Tâmara Andrade, Toby Christian, Tomas Espina, Wilfredo Prieto e Yoshua Okón

Abertura: 22 de maio de 2010, sábado, 12-18h
Exposição: de 25 de maio a 14 de agosto de 2010

Baró Galeria
Rua Barra Funda 216 – Santa Cecília
São Paulo / São Paulo / Brasil
(11) 3666.6489
http://www.barogaleria.com
Fonte Canal Contemporâneo

Convocatória de textos p/ a Edição #06 – Jun/Jul – Revista Panorama Crítico

A revista eletrônica PANORAMA CRITICO abre convocatória para envio de textos, artigos e/ou entrevistas referentes ao campo da produção contemporânea em Artes Visuais para publicação na próxima edição, de nº 06, a ser lançada no final de Junho. O envio de material deve ser feito até o dia 20 de junho.

PANORAMA CRITICO é uma revista eletrônica bimestral de acesso gratuito e de abrangência nacional, voltada para a crítica e a produção textual, acadêmicas ou não, dentro do campo das Artes Visuais.

A revista, que estará completando um ano de existência em junho na Edição #06, e tem como objetivo preencher a lacuna deixada pela ausência (ou quase inexistência) de publicações especializadas na área que permitam a publicação e veiculação desta produção de forma independente e imparcial.

Assim, a revista PANORAMA CRÍTICO apresenta-se como uma alternativa de acesso a essa produção, por estar disponível à todos os públicos deste campo: artistas, estudantes, professores, historiadores, pesquisadores, curadores, produtores, conhecedores, galeristas e também instituições, como faculdades, universidades, institutos de artes, fundações, centros culturais e museus, como exemplos, tanto públicos como privados. Esta amplitude de atuação possibilita a constituição de um espaço para o debate crítico das principais questões da arte contemporânea.

Confira aqui os TERMOS DE USO antes de enviar o seu texto;

Para informações mais detalhadas, contate-nos:

contanto@panoramacritico.com

Para envio de textos e/ou artigos:
editoria@panoramacritico.com

Gramatura32 – MAC Campinas

A exposição “Gramatura32”, com obras de 26 jovens artistas graduados pelo Curso de Artes Visuais da Unicamp, fica em cartaz até 20 de junho no Museu de Arte Contemporânea de Campinas (MAC). A mostra estreou na quinta-feira (20). A exibição contém diversas linguagens artísticas, com predominância dos meios clássicos da gravura e do desenho. Serão apresentados também pinturas, vídeos, instalações, fotografias e objetos. A exposição retorna à universidade logo depois, editada para o espaço da Galeria de Arte da Unicamp, com abertura na sexta-feira, dia 28 de junho, a partir das 12h30, e encerramento em 16 de julho.

Artistas: Alice Reily, Angela Elias, Ayune Namur, Bel Magnani, Bruno Baptistelli (Beba), Carine Rieko, Cloves Marcão, Gabriela Lodo, Helenira Paulino, Julia Rolim, Juliana Alvim, Juliana Sá, Leticia Borges, Leticia Graciano, Leticia Leardini, Ligia Badiale, Luciana Miyuki, Maíra da Silva Pinto, Manu Romeiro, Mariana Murayama, Milena Quattrer, Raquel Ciorlia, Talita Caselato, Talita Mendes, Thais Nihi e Yara de Barros

O MAC Campinas fica na Rua Benjamin Constant, 1.633, Centro. O período de visitação acontece de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, aos sábados, das 9h às 16h, e aos domingos das 9h as 13h. A entrada é gratuita.

Coletivo TEC – Pinacoteca da Feevale

O coletivo TEC se apresenta, dia 21 de maio, sexta-feira, na Pinacoteca da Feevale, integrando o Projeto Desmontagens, que tem como objetivo ocupar os intervalos das exposições a partir de atividades com profissionais da área.

Pensando nisso, o grupo desenvolveu uma combinação consecutiva de performance e instalação: Experimento 32: 2010*. Durante o experimento, limites físicos e mentais serão colocados em jogo. Raciocínio, memória e concentração estarão em confronto direto com as “duas gigantescas séries numéricas contrárias”. A história do mundo e seus efeitos contemporâneos serão simbolicamente revertidos até o “ground zero” do Primeiro Milênio d.C.

*Experimento 32: 2010

A performance Um dos membros inicia verbalmente uma contagem regressiva de 2010 a zero, percorrendo numericamente os anos, da Idade Contemporânea até o “ground zero” do Primeiro Milênio d.C. Outro membro escreve de zero a 2010 num painel negro posicionado no chão. Usando giz branco ele reverte a contagem do primeiro integrante. Durante o experimento, os limites de concentração são colocados à prova. Séries numéricas se entrelaçam. Criam-se lacunas na memória e o raciocínio se perde.
A InstalaçãoAs consequências da performance: painel numérico, vídeo e demais resquícios materiais da ação, farão parte da instalação que permanecerá em exposição na pinacoteca entre os dias 24 e 28 de maio, das 8h30min às 22h.

Projeto Desmontagens 9ª edição apresenta
Tentacle Ensemble Collective
Experimento 32: “2010”

Performance21 de maio, às 20h.
Instalação – De 24 a 28 de maio, das 8h30min às 22h.


Pinacoteca Feevale – Campus I
Av. Maurício Cardoso, 510 – Novo Hamburgo
%d blogueiros gostam disto: