Colóquio internacional de arte contemporânea e museus – Programação do dia 26

Local: Santander Cultural – Conferências e palestras

Conferência – Museu, Arte e Educação: desarrolhando o mundo (10h00 -10h40)

Conferencista:
Ana Mae Barbosa. Professora titular da USP e da Universidade Anhembi Morumbi, ensinou nas Universidades de Yale e Ohio, nos Estados Unidos. Foi presidente INSEA e diretora do Museu de Arte Contemporânea da USP (1987-1993). É autora premiada de inúmeros livros sobre Arte e Arte/Educação, tendo recebido o prêmio da Ordem Nacional do Mérito Científico. Proferiu palestras nas Universidades de Harvard e Columbia, no MOMA e em cerca de 30 países das Américas, Europa, Ásia e África. Foi consultora do Canal Futura e membro do Conselho da Petrobras Cultural.

Mediação:
Carla Dias. Doutora em Artes Visuais, na área de Antropologia da Arte pela Escola de Belas Artes/UFRJ, com tese sobre as Paneleiras de Goiabeiras e sobre a Coleção Regional do Museu Nacional, ambas premiadas no Concurso Silvio Romero. Atualmente leciona na Escola de Belas Artes/UFRJ e é coordenadora do Museu Dom João VI / EBA / UFRJ.

Debates (10h40 -11h00)

Mesa 6- Museu, Arte e Educação: desarrolhando o mundo (11h00 -12h20)

Palestrantes
Guilherme Vergara. Ex-diretor do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, é curador na área de Arte e Educação, priorizando o legado das práticas artísticas e os desafios de sua recepção pública. Atualmente é coordenador do curso de Produção Cultural da UFF, junto ao Departamento de Arte.

Denise Grispun. Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da USP, é gerente do Instituto Arte na Escola, compondo ainda a diretoria do Comitê Brasileiro do International Council of Museums – ICOM. Foi curadora do projeto educativo da 27ª Bienal de São Paulo e responsável pela implanta da Ação Educativa do Museu Lasar Segall, além de diretora da instituição a partir de 2002.

José Rufino. Artista plástico e doutor em Geologia, trabalhou com poesia e arte postal. Participou de inúmeras exposições, coletivas e individuais, dentro e fora do Brasil, além de pesquisar sobre cartas e documentos originais de desaparecidos políticos brasileiros. Atualmente é professor em Artes da Universidade Federal da Paraíba.

Mediadora:
Vera Rodrigues. Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Artes da UERJ, com a tese A comunicação estética na Arte Contemporânea: processos de mediação e institucionalidade, especializou-se ainda em Gestão de Políticas Públicas pela Universidade de Brasília – UnB na área das Artes Visuais.

Debates (12h20 -12h40)

Almoço (12h40 -14h00)

Mesa 7: Museu, Arte e Educação: desarrolhando o mundo (14h00-15h20)

Palestrantes
Maria Helena Bernardes. Criadora do Projeto Areal, é autora dos livros Vaga em campo de rejeito, Arroio dos ratos: histórias de Península e Praia Grande e A estrada que não sabe de nada. Em 19 de novembro de 2009 apagou todos os arquivos físicos e virtuais contendo versões de seu currículo anteriores a esse relato biográfico, que considera um bom apanhado do que melhor viveu e aprendeu como artista.

Anna Bella Geiger. Uma das principais artistas brasileiras, com obras em diversos museus e coleções nacionais e internacionais, tais como o Centre Georges Pompidou, o Victoria & Albert Museum, a Getty Collection, em Los Angeles, e a Fogg Collection em Boston. Formada em Lingüística e História e Sociologia da Arte / NYU e Metropolitan Museum, ensina Arte e Filosofia na Escola de Artes Visuais – Parque Lage, no Rio de Janeiro.

Mediação:
Cristiano Píton. Mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia, foi professor de Teoria e Técnica da Consultoria na Faculdade da Cidade de Salvador, e professor de Teoria e Técnica da Pintura e Técnicas de Utilização de Materiais Expressivos na Escola de Belas Artes da UFBA. Atualmente é arte educador, faz parte do Coringa Soluções Artísticas, onde trabalha com cenografia, além do grupo GIA – Grupo de Interferência Ambiental.

Debates (15h20 -15h40)

Intervalo para café (15h40 -16h00)

Fala do artista (16h00 – 17h00)

Paula Parisot. Bacharel em desenho industrial, foi bolsista da New School University, em Nova York, onde cursou o mestrado em Belas-Artes. É autora do livro de contos A dama da solidão, finalista do prêmio Jabuti 2008, e do romance Gonzos e parafusos, recentemente lançado em São Paulo e acompanhado de singular performance.

Mediação:
Carmen Maia. Mestre e doutora em História Social da Cultura pela PUC / RJ, com teses sobre Hélio Oiticica-Lygia Clark e sobre Pablo Picasso-Marcel Duchamp. É autora de publicações sobre a obra de Cildo Meireles e lecionou no Instituto de Artes da UERJ, tendo trabalhado ainda com montagens de exposições no Paço Imperial. Atualmente integra a Coordenação de Pesquisa e Inovação Museal do IBRAM.

Debates (17h00 – 17h30)

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

Fala do artista (19h00-20h00)

Paulo Cac (O menor espetáculo da terra – performance). Pós-graduado em Literatura pela UNB e colecionador de revistas literárias, publicou, em 2006, o primeiro volume do álbum Revistas Literárias Brasileiras: 1970 – 2005, com apoio do Fundo de Apoio à Cultura do GDF. Autor dos livros de poemas O Pacífico é sempre Atlântico, Pacto de palavras, Pulso e Na página, foi editor da revista de poesia intitulada Gandaia, além de curador de várias Mostras Literárias.

Anúncios

Hidalgo Adams – Formas Pétreas

Fotodiálogo – Galeria Penteado

abertura 26 de agosto, quinta-feira, às 19h

27 de agosto a 26 de setembro de 2010
terça a sexta, das 9h às 17h
sábados, das 9h às 16h
domingos e feriados, das 9h às 13h

curadoria Eduardo Fernandes
produção Galeria Penteado

MACC: rua Benjamin Constante,1633, Centro, Campinas – tel (19) 3236 4716, (19) 2116 0346

Memória, da Abstração à Matéria

Tramas Diárias – Lilian Maus / Museu do Trabalho

expo lilian maus

Lilian Maus apresenta desenhos que migram de cadernos autorais,  contendo textos-desenhos, para desenhos aquarelados de grande formato e também para a arquitetura do espaço expositivo. Em  seu processo de criação, a artista apropria-se de materiais sintéticos, como tecidos e plástico, e também de materiais orgânicos, como fios de cabelo e fungos, para construir desenhos que se alastram do plano bi ao tridimensional. Para este projeto, concebido especialmente para o Museu do Trabalho, Lilian Maus recria um ambiente envolvente de tramas que se alastram, por meio do uso de palavras e de imagens, e aderem a superfícies diversas. Uma espécie de textura porosa,  que lança a própria pele como metáfora do desenho.

Abertura dia 25 de agosto, quarta, às 19 horas
Em cartaz até 17 de outubro de 2010

www.flickr.com/lilianmaus

Museu do Trabalho
Rua dos Andradas, 230
CEP 90020-000 – Porto Alegre – RS – BRASIL
Tel/fax (51) 3227-5196
de terça-feira a domingo, das 13h 30min às 18h 30min

Apoio: BD Divulgação / Subterrânea / Vinhos Salton

%d blogueiros gostam disto: