Enredos e Desenredos / Estúdio Buck

O Estúdio Buck inaugura no dia 7 de agosto, terça-feira, a mostraindividual Enredos e Desenredos da artista mineira Adrianne Gallinari. São apresentadas 21 pinturas em tinta acrílica sobretela e mdf realizadas entre 2011 e 2012, todas elas com forte presença de desenho, além de uma série de objetos em giz decera e um vídeo de animação inédito. A exposição conta com texto deapresentação do crítico e curador Agnaldo Farias.

Adrianne Gallinari, Sem Título, 2012 (acr ílica sobre tela, 81 x 131 cm) foto Eduardo Ortega

O desenho é imperativo na produçãoda artista, mesmo em suas pinturas. Enquanto nalgumas paisagens a pincelada deGallinari define espaços para transparências e campos azulados e vermelhos, noutras,a artista recobre todo o espaço pictórico com essa mesma pincelada, fazendo emergir formas que se delineiam apartir do ritmo. E é desse gesto repetitivo, mas não menos revelador, quesurge a figuração: são as árvores, vasos, cubos e formas humanas que habitam ouniverso paralelo desta individual. A composição confere caráter onírico ao conjunto. As figuras humanasem posição de prece não revelam se agradecem ou se clamam por algo. Corposestendidos não dizem a que vêm: se descansam ou vagam pela paisagem demúltiplos planos. Tampouco sabe-se se os vasos são mudas de novas árvores ou sesão apenas galhos secos. Como numa escritacarregada de ambiguidade, há que se ler e reler as telas para decifrar asimbologia desses elementos recorrentes. É um lento prazer. A tese do desenho imanente tambémse insinua no espaço, com a série de objetosescultóricos realizados a partir de giz de cera. Nela, as figuras em estadode prece ganham volume. Adrianne traz à tona essa figura, porém mineiramenteconserva o enigma do seu gesto. 

 Adrianne Gallinari (Belo Horizonte – 1965)

Vive e trabalha em São Paulo. Graduadaem Artes pela Escola Guignard nos anos 1980, teve como colegas alguns expoentesda arte contemporânea brasileira, como Cao Guimarães, Mabe Bethonico, IsauraPena, Rosângela Rennó e Nídia Negromonte. Vem realizando mostras individuais desde o início da década de 1990. Dentre elas,destacam-se Projeto Pampulha, noMuseu da Pampulha (Belo Horizonte, MG, 2003), Wall Drawings, no The Drawing center (Nova York, EUA, 2000) e Dibujos, no Centro Cultural Borges(Buenos Aires, Argentina, 2000). Contabiliza pelos menos 4 dezenas de mostras coletivas. As mais relevantes são: Realidades.Desenho Contemporâneo Brasileiro, com curadoria de Nazareno, no SESC Pinheiros(São Paulo, SP, 2011); DisarticulatedBobies/Destabilized Meanings, com curadoria de Alana Nissen (FalconerGallery, Iowa, EUA, 2008); Paralela 2006,com curadoria de Daniela Bousso; DesenhosA-Z, Colecção Madeira Corporate Services (Ilha da Madeira, Portugal, 2005);Ordenação e Vertigem, curadoria deAgnaldo Farias (Centro Cultural Banco do Brasil, São Paulo, SP, 2003); Flip Pocket-Sized Stories (Pori ArtMuseum, Pori, Finlândia, 2003); Bienal dePontevedra, curadoria de Maria de Corral (Espanha, 2000).

Enredos e Desenredos, exposição individual da artista Adrianne Gallinari

Abertura: 07 de agosto,terça-feira, a partir das 19 horas – Período expositivo: de 08 deagosto a 29 de setembro 2012

Estúdio Buck

Rua LopesAmaral, 123, Vila Olímpia, São Paulo, SP

Horários: de segunda a sexta, das11 às 19 horas; e sábado, das 11 às 14 horas – Entrada gratuita e livre

Tels.: (11) 3846 4028 e 3044 4575

www.estudiobuck.com.br

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: