Casa M – Programação de 12 a 17 de dezembro – semana de encerramento

A Casa M da 8ª Bienal do Mercosul se despede no dia 17 de dezembro, após sete meses de intensa atuação cultural na Capital, promovendo atividades gratuitas para diversos públicos. Na programação da semana de 12 a 17 de dezembro, destaque para a apresentação dosintegrantes da oficina de improvisação musical, ministrada por Marcelo Armani, o show da banda Quiçá, se fosse e a última edição dos Duetos com Maíra Coelho, Marcelo Noah e Panetone. No sábado, 17 de dezembro, a Casa M se despede com piquenique no pátio ao som do DJ Jovi, debate, sarau e Dueto.
Na terça-feira, dia 13 de dezembro, a banda Quiçá, se fosse, formada pelos músicos Róger Wiest e André Paz se apresenta às 19h30. A dupla compõe canções que tem por objetivo explicar a si mesmas, sem a preocupação de definir umúnico estilo.
Na quinta-feira, às 19h, Carla Borba apresenta a performance 7 Cabeças +1+1+1… com a participação da equipe de mediadores, produtores e montadores da Casa M. Carla é artista e trabalhou como coordenadora do Espaço Educativo da Casa. Neste dia, apresenta a quarta ediçãoda performance. Os participantes foram convocados a se reunir na cozinha e carimbar folhas de um relatório ao ritmo de “Escravos de Jó”.
No dia 16 de dezembro, sexta-feira, às 19h, os participantes da Oficina de Improvisação Dirigida, ministrada pelo músico improvisador, compositor e artista sonoro Marcelo Armani, apresentam os resultados do workshop, que aconteceu nos dias 06 e 08 de dezembro. O objetivodo projeto é incentivar novas formas de execução instrumental. O evento é aberto ao público.
O sábado tem uma programação especial, marcando o encerramento das atividades da Casa M. Às 14h, tem piquenique no pátio, integrando visitantes, profissionais envolvidos no projeto da Casa, artistas e vizinhos. O piquenique vai contar com o som bem brasileiro do DJ Jovi, das 15h às 17h. Carioca radicado no Sul, tem como diferencial em seu trabalho a inspiração na atmosfera das Gafieiras de sua cidade natal, o Rio de Janeiro. Para participar, basta levar seu kit piquenique.
O Casarinho – comunidade urbana com inspiração em práticas ecológicas, vizinha à Casa M – vai realizar em parceria com a Casa o Traças, adeus! Brechó e feiras detrocas. Na Casa M, o público vai poder conferir uma parte dos produtos que estarão em exposição no Casarinho durante todo o sábado. Produtos artesanais, como perfumes e cartões poéticos, além de roupas, acessórios, livros e afins estarão à venda e também poderão ser trocados por outros produtos. O Casarinho está localizado na Comuna do Arvoredo, no número 480 da Rua Fernando Machado.
Às 16h, artistas, conselheiros, mediadores e frequentadores da Casa M e da 8ª Bienal do Mercosul participam de uma conversa com o público para refletir sobre o projeto, avaliar o período de funcionamento e pensar em possíveis desdobramentos da ideia ao longo de 2012.
Às 16h30, Sara Hartmann comanda o Sarau da Casa, em um momento de trocas e encontros.
Às 19h30, acontece o último Dueto, projeto onde doze artistas e coletivos de diferentes linguagens – música, literatura, teatro, vídeo, dança, cinema e artes visuais – utilizaram a Casa M de maio a dezembro como espaço de trabalho e investigação e desenvolveram propostas em colaboração. Encerrando a programação, adiretora de arte e especialista em toytheatre Maíra Coelho, o músico e poeta Marcelo Noah e Panetone, projeto audiovisual de Cristiano Rosa, se reúnem para um “dueto expandido”, apresentando o resultado desta “química criativa”.
Durante toda a semana, o público pode acompanhar a mostra de vídeos no porão da casa, promovido pela Desvenda, feira de Arte Contemporânea. A seleção de vídeos é resultado de uma convocatória feita pelos organizadores da Desvenda, que mobilizou artistas e grupos detodo o país que quisessem apresentar seus trabalhos audiovisuais. A curadoria ficou a cargo de Rodrigo Lourenço (Desvenda) e Bruna Pedrosa (Museu Murillo La Greca). Após o período de exibição na Casa M, a mostra da Desvenda segue para Recife, onde fica em cartaz no Museu Murillo La Greca, em fevereiro de 2012.
Na Vitrine – um espaço experimental que abriga, a cada mês, uma pequena exposição de um jovem artista, com uma obra criada especialmente para o contexto da casa – o público pode conferir a obra de João Genaro. Uma banheira cheia de mel, protegida por um biombo de cera de abelha, é a obra intitulada “O mel é mais doce que o sangue”, que inspira histórias e encerra o ciclo de exposições neste espaço.
Também vale a pena conferir as três obras permanentes da Casa: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta de entradaé obra de Vitor Cesar.

Programação da semana – de 12 a 17 de dezembro
Vitrine – João Genaro
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

12 de dezembro – segunda
18h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda

13 de dezembro – terça
12h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda
19h30 – Show – Banda Quiçá se fosse

14 de dezembro – quarta
18h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda

15 de dezembro – quinta
12h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda
19h – Performance – 7 Cabeças +1+1+1 | Carla Borba

16 de dezembro – sexta
18h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda
19h – Especial – Apresentação Oficina de Improvisação Dirigida | Marcelo Armani eparticipantes

17 de dezembro – sábado
Todo o dia – Especial – Traças, adeus! Brechó e feiras de trocas | Casarinho
14h – Especial – Piquenique com DJ Jovi
16h – Conversa – Casa M
16h30 – Especial – Sarau da Casa | SaraHartmann
19h30 – Duetos – Maíra Coelho, Marcelo Noah e Panetone

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas a sexta das 12h às 20h | Sábados, das 09h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS
Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Anúncios

Casa M – programação de 05 a 10 de dezembro

A Casa M da 8ª Bienal do Mercosul permanece aberta até o dia 17 de dezembro, com uma intensa programação de oficinas, mostras de vídeos, exposições na Vitrine e outras atividades culturais e educativas, destinadas gratuitamente a diversos públicos. Na programação da semana de 05 a 10 dedezembro, destaque para as oficinas sobre poesia, música e teatro e improvisação musical, conversa sobre cultura indígena, Combo sobre o centro histórico de Porto Alegre e seleção de vídeos do projeto Desvenda.
Iniciando a programação semanal, Angélica Freitas ministra Oficina de Poesia, na segunda-feira, dia 05, às 14h. Na ocasião, serão lidos e discutidos poemas de autores contemporâneos e, a partir deles, compõem-se novos poemas. Os participantes interferem na seleção de poemas para discussão,podendo trazer sua própria seleção. As inscrições são gratuitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
No dia 06 de dezembro, terça-feira, Marcelo Armani, músico improvisador, compositor e artista sonoro, ministra a Oficina de Improvisação Dirigida, às 19h. O objetivo do workshop é incentivar novas formas de execução instrumental. A atividade tem um segundo encontro na quinta-feira, dia 08.No dia 14, às 19h, os integrantes e oficineiro farão uma apresentação com os resultados dos encontros. A oficina é destinada a músicos e interessados e as inscrições são gratuitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
Quarta-feira é dia de Combos na Casa M, projeto em que convidados de diferentes áreas compartilham com o público projetos em desenvolvimento e trocam ideias sobre suas práticas. Nesta edição – que é a última do projeto – o tema é “A pé pelo Centro”. O encontro começa às 19h30, com uma caminhada pelo Centro de Porto Alegre. O passeio inspira uma conversa sobre três projetos que se dedicam a explorar a pé essa região da cidade: Viva o Centro, Cidade das Crianças e Perambulações/Cidade Não Vista.
Na quinta-feira, dia 08, estreia nova mostra de vídeos no porão da casa, promovido pela Desvenda, feira de Arte Contemporânea. A seleção de vídeos é resultado de uma convocatória feita pelos organizadores da Desvenda, quemobilizou artistas e grupos de todo o país que quisessem apresentar seus trabalhos audiovisuais. A curadoria ficou a cargo de Rodrigo Lourenço (Desvenda) e Bruna Pedrosa (Museu Murillo La Greca). A Feira surgiu para que os artistas pudessem divulgar e comercializar o resultado de suas pesquisas em arte, junto a um público heterogêneo, de forma desburocratizada e sem intermediários. A Desvenda acontece todo primeiro domingo de cada mês, ininterruptamente, desde dezembro de 2008. Hoje a Desvenda abriga artistas de outras regiões, que também levaram a feira para suas cidades, criando assim uma inédita rede autônoma de artistas/produtores. Após o período de exibição na Casa M, a mostra da Desvenda segue para Recife, onde fica em cartaz no Museu Murillo La Greca, em fevereiro de 2012.
Na sexta-feira, dia 09 de dezembro, às 19h30, o escritor e educador Jorge Bucksdricker lança o livro Pinus (ellitottii). O título é umareferência ao litoral norte do Rio Grande do Sul, uma região culturalmente esquecida no Estado, e a uma alusão a um elemento estranho àquela paisagem, o Pinus – uma árvore exótica na flora do local. Ainda que não possua uma narrativa propriamente dita, ao longo do livro é recorrente uma sensação de “despertencimento”, cujo símbolo é o próprio pinus. O não pertencimento se traduz em questionamentos a respeito da natureza de determinadas convenções e em reflexões sobre a prática artística. No evento delançamento, artistas convidados realizarão intervenções a partir de passagens do livro.
No sábado, dia 10 de dezembro, às 09h, Marcos Chaves ministra a oficina Música e Teatro Unidos no Canto em Grupo, em que utiliza musicalização, princípios teatrais e jogos dramáticos em um formato que vai além do encontro daatividade, para que o participante possa ampliar o estudo em suas atividades cotidianas e/ou específicas. As inscrições são gratuitas através do email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
No mesmo dia, às 16h, o historiador e professor da UFRGS, José Otávio Catafesto e o cacique José Cirilo, chefe da nação MByá Guarani, participam de uma conversa intitulada Além Fronteiras – Cultura Indígena.
João Genaro é o artista que encerra as exposições na Vitrine – um espaço experimental que abriga, a cada mês, uma pequena exposição de um jovem artista, com uma obra criada especialmente para o contexto da casa. Uma banheira cheia de mel, protegida por um biombode cera de abelha, é a obra de Genaro, intitulada “O mel é mais doce que o sangue”, que inspira histórias e encerra o ciclo de exposições neste espaço.
Também vale a pena conferir as três obras especiais que estão permanentemente em exposição: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta deentrada é obra de Vitor Cesar.

Programação da semana – de 05 a 10 de dezembro
Vitrine – João Genaro
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

05 de dezembro – segunda
14h – Oficina – Oficina de Poesia | Angélica Freitas
18h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine

06 de dezembro – terça
12h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine
19h – Oficina – Oficina de improvisação dirigida | MarceloArmani

07 de dezembro – quarta
18h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine
19h30 – Combos – A pé pelo Centro

08 de dezembro – quinta
18h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda
19h – Oficina – Oficina de improvisação dirigida | MarceloArmani

09 de dezembro – sexta
18h30 – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda
19h30 – Lançamento – Livro Pinus (elliottii) | Jorge Bucksdricker

10 de dezembro – sábado
09h – Oficina – Música e Teatro Unidos no Canto em Grupo | MarcosChaves
16h – Conversa – Além Fronteiras – cultura indígena | José Otávio Catafesto eJosé Cirilo
16h – Mostra de vídeos – Seleção Desvenda

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas a sexta das 12h às 20h | Sábados, das 09h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RSTodas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Casa M – Programação de 28 de novembro à 03 de dezembro

As exposições da 8ª Bienal do Mercosul foram encerradas no dia 15 de novembro, mas a Casa M permanece aberta até o dia 17 de dezembro, com uma intensa programação de oficinas, mostras de vídeos, exposições na Vitrine e outras atividades culturais e educativas, destinadas gratuitamentea diversos públicos. Na programação da semana de 28 de novembro a 03 de dezembro, destaque para as sessões do documentário Inventovoceinventa e dos trabalhos audiovisuais que fazem parte da Mostra Universitária Gaúcha, oficina com Maíra Coelho sobre teatro de bonecos, além de apresentação demais uma edição do programa Duetos, dessa vez com Rodrigo John e Avalanche.
Na segunda-feira, 28 de novembro, iniciam-se as exibições da seleção da Mostra Universitária Gaúcha, promovida pela Fundacine, com produções audiovisuais realizadas por estudantes da UFSM, UFPEL, UFRGS, UNISC, PUCRS, UNIVATES e FURG. A mostra segue até o dia 07 de dezembro.
A partir da terça-feira, dia 29, inicia-se também a projeção do documentário Inventovoceinventa, um poético-audiovisual sobre a circulação do objeto Novas bases para a personalidade (NBP) em Pelotas (RS), que coincidiu com a residência do artista e autor do objeto Ricardo Basbaum na cidade, ação que fez parte do Projeto Pedagógico da 7ª Bienal do Mercosul. O vídeo é mais uma das experiências interventivas dentro da proposta “Você gostaria de participar de uma experiência artística?”, inserida no projeto NBP. O documentário apresenta uma leitura sobre a experiência de alguns grupos deartistas e não artistas com a circulação deste objeto em Pelotas e busca enfatizar o potencial pedagógico como potencial criativo.
Sexta-feira é dia de Duetos na Casa M, um projeto onde doze artistas e coletivos de diferentes linguagens – música, literatura, teatro, vídeo, dança, cinema e artes visuais – utilizam a Casa m como espaço de trabalho e investigação ao longo do ano e desenvolvem propostas em colaboração. No dia 02 de dezembro, às 19h30, o cineasta, roteirista e artista visual Rodrigo John e o coletivo Avalanche, que opera e transita entre múltiplas áreas de criação, do cinema à fotografia, apresentam ao público trabalho inédito realizado em parceria.
No sábado, dia 03 de dezembro, o público pode participar de duas oficinas: Às 14h, GabrielaSilva ministra a oficina Culinárias do Mundo – oficina de sushi, que aborda métodos básicos para fazer sushi, como cozimento do arroz, molhos básicos, seleção e corte de peixe, corte e preparação de vegetais. As inscrições são gratuitas pelo email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
Às 15h, Maíra Coelho ministra a oficina Teatro de papel: caixas e miniaturas para crianças, que mescla linguagens de teatro, teatro de bonecos e animação no toytheatre – caixas de pequenos espetáculos feitas em silhuetas de papel em miniaturas, com personagens caracterizados em seu estado dramático para contar suas histórias. As inscrições são gratuitas pelo email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
Na Vitrine – um espaço experimental que abriga, a cada mês, uma pequena exposição de um jovem artista, com uma obra criada especialmente para o contexto da casa – , João Genaro é o artista que encerra o ciclo obras no espaço. Uma banheira cheia de mel, protegidapor um biombo de cera de abelha, é a obra de Genaro, intitulada “O mel é mais doce que o sangue”, que inspira histórias e encerra o ciclo de exposições neste espaço.
Também vale a pena conferir as três obras especiais que estão permanentemente em exposição: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta deentrada é obra de Vitor Cesar.

Programação da semana – de 28 de novembro a 03 dedezembro
Vitrine – João Genaro
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

28 de novembro – segunda
18h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine

29 de novembro – terça
12h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine
18h30 – Mostra de vídeos – Inventovoceinventa | Ricardo Basbaum

30 de novembro – quarta
18h30 – Mostra de vídeos -Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine

01 de dezembro – quinta
12h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine
18h30 – Mostra de vídeos – Inventovoceinventa | Ricardo Basbaum

02 de dezembro – sexta
18h30 – Mostra de vídeos – Mostra Universitária Gaúcha | Fundacine
19h30 – Duetos – Rodrigo John e Avalanche

03 de dezembro – sábado
14h – Oficina – Culinárias do mundo – oficina de sushi | Gabriela Silva
15h – Oficina – Teatro de papel: caixas e miniaturas para crianças | MaíraCoelho

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas a sexta das 12h às 20h | Sábados, das 09h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS
Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Casa M – programação de 14 a 19 de novembro

A programação da semana de 14 a 19 de novembro na Casa M está repleta de atividades culturais e educativas gratuitas, destinadas a diversos públicos. Destaque para oficinas de esculturas em papel machê, manipulações de objetos, arte cemiterial e produção para artistas, série de conversas sobre o Festival de Arte Cidade de Porto Alegre 2011 e projeto Duetos, com Tatiana da Rosa e Daniel Galera.
Na segunda-feira, dia 14 de novembro, inicia-se uma nova mostra de vídeos no porão da Casa M. A seleção é de Gabriel Menotti, intitulada Janelas com vista para osistema, que reúne obras baseadas na dimensão performática da imagem computadorizada. A seleção evidencia as características espetaculares das produções através de interfaces gráficas.
No dia 16, quarta-feira, Maíra Redin, Cuca Medina e Ana Flávia Baldiserotto participam de conversa com o público, às 19h30. O bate papo aborda o trabalho Histórias sem fim: relato de um processo de colaboração artística desenvolvido pelos participantes para o Festival de Arte Cidade de Porto Alegre 2011.
Na quinta-feira, dia 17, às 14h, Renata Nascimento e NatáliaUtz, integrantes do grupo ContraQueda, ministram a oficina Ensaio Visual com manipuladores de objetos. A proposta da atividade é criar interações de manipuladores de objetos com a arquitetura da Casa M, realizando um vídeo-juggler como resultado do processo. A oficina tem dois encontros e as inscrições podem ser feitas gratuitamente através do email oficinascasam@bienalmercosul.org.br.
Às 17h30, a produtora Gabriela Silva ministra a oficina Produção para artistas. O workshop apresenta métodos de planejamento para artistas que tem interesse em organizar e produzir materiais de registro edivulgação de seu trabalho, além de projetos e pequenos bancos de dados pessoais. O público alvo é de artistas e estudantes de artes, e as inscrições gratuitas devem ser feitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br. A oficina tem um segundo encontro, que acontece no dia 24 de novembro.
Às 19h30, Gustavo Jahn e Melissa Dullius participam de conversa com o público. A dupla Distruktur vive e trabalha em Berlim desde 2006, e sua pesquisa sobre imagens projetáveis é o tema do encontro. Os artistas integram a exposição Ponto de Fuga, que inaugura na Fundação Ecarta no dia 18 de novembro. Seus trabalhos atravessam emisturam fronteiras entre cinema e arte, ficção e performance, fotografia e imagem em movimento.
Na sexta-feira, dia 18 de novembro, às 14h, Carla Barth ministra a oficina Esculturas de papel machê, um projeto desenvolvido pela artista especialmente para a 8ª Bienal do Mercosul. As inscrições são gratuitas pelo email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
Ás 19h30, o público pode acompanhar mais uma edição dos Duetos – onde doze artistas e coletivos de diferentes linguagens utilizam a Casa M como espaço de trabalho e investigação ao longo do ano e desenvolvem propostas em colaboração. Nesta sexta, Tatiana da Rosa, bailarina, coreógrafa eprofessora de dança e Daniel Galera, escritor, tradutor e autor dos livros “Cordilheira” e “Mãos de Cavalo” executam uma performance combinando dança e literatura, tendo como referência o conceito de small dance.
No sábado, às 16h, duas atividades movimentam a programação. João Thimóteo Machado ministra a oficina A negação da morte, a culpa e a remissão e seus reflexos na arte cemiterial. As inscrições são gratuitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br. No mesmo horário acontece o Chá da Casa, um momento de encontro e troca, que agrega vizinhança, visitantes e artistas.
Entre as atrações permanentes que podem ser visitadas na Casa M, está a Vitrine, um espaço experimental que abriga, a cada mês, uma pequena exposição de um jovem artista, com uma obra criada especialmente para o contexto da casa. A artista desse mês é Glaucis de Morais, que apresenta ainstalação Lugar Remoto, um vídeo que reúne relatos imaginários sobre Porto Alegre: depoimentos de pessoas que nunca estiveram na cidade e só a conhecem por meio de um cartão postal. O próximo artista a ocupar o espaço é João Genaro, com abertura programada para o dia 26 de novembro.
Também vale a pena conferir as três obras especiais que estão permanentemente em exposição: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta deentrada é obra de Vitor Cesar.

Programação da semana – 14 a 19 de novembro
Vitrine – Glaucis de Morais
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

14 de novembro – segunda
18h30 – Mostra de vídeos – Janelas com vista para o sistema | GabrielMenotti

15 de novembro – terça
12h30 – Mostra de vídeos – Janelas com vista para o sistema | GabrielMenotti

16 de novembro – quarta
18h30 – Mostra de vídeos – Janelas com vista para o sistema | GabrielMenotti
19h30 – Conversa – Festival de Arte Porto Alegre | Maíra Redin, Cuca Medina e AnaFlávia Baldiserotto

17 de novembro – quinta
12h30 – Mostra de vídeos – Janelas com vista para o sistema | GabrielMenotti
14h – Oficina – Ensaio visual com manipuladores de objetos | Renata Nascimento eNatália Utz
14h30 – Oficina – Pensando o espaço urbano | LucianoMontanha
17h30 – Oficina – Produção para artistas | Gabriela Silva
19h30 – Conversa – Gustavo Jahn e Melissa Dullius

18 de novembro – sexta
14h – Oficina – Esculturas em papel machê | Carla Barth
18h30 às 20h – Mostra de vídeos – Janelas com vista para o sistema | GabrielMenotti
19h30 – Duetos – Tatiana da Rosa e Daniel Galera

19 de novembro – sábado
16h – Mostra de vídeos – Janelas com vista para o sistema | GabrielMenotti
16h – Oficina – A negação da morte, a culpa e a remissão e seus reflexos na arte cemiterial | João Thimóteo Machado
16h – Chá da Casa

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas, quartas e sextas, das 12h às 20h | Terças, quintas e sábados, das 09h às 20h | Domingos e feriados, das 14h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS
Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
Para cursos de formação de professores: telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519 – professor@bienalmercosul.art.br
http://www.bienalmercosul.art.br/casam

Mediadores da Mostra Geopoéticas oferecem visitas guiadas especiais – 8ª Bienal do Mercosul

Nos dias 12, 13 e 15 de novembro o público poderá fazer visitas guiadas especiais pela mostra Geopoéticas, da 8ª Bienal do Mercosul no Cais do Porto. O projeto, intitulado Mediações Nômades tem o objetivo de oferecer mediações que abordam temas transversais aos do projeto curatorial damostra, através de visitas temáticas.
As visitas iniciam no sábado, dia 12 de novembro, às 14h, com o tema Fronteira(s), mediada por Luciana de Mello. No mesmo dia, às 15h30, Dannilo Melo propõe aosvisitantes um questionamento sobre Noções de Tempo na Contemporaneidade.
No domingo, dia 13 de novembro, às 12h, Renata Job realiza um percurso com o tema Arte como documento, documento como arte: relações geopoéticas. Às 15h30, Natália Souza Silva e Andre Jaeger da Cunha fazem a mediação intitulada Mistura de Culturas / Ensaios de Geopoéticas. Às 17h30, Helena dos Santos Moschoutis aborda o tema Construções da verdade.
Na terça-feira, 15 de novembro, último dia da 8ª Bienal, as visitas iniciam às 10h30 com a mediação Centro-periferia, orientada por Luciana de Mello. Às 15h30,Katyúscia Sosnowski aborda Paralelos entre o Mundo Bienal e o Mundo digital: diálogos entre Arte/Educação e tecnologias digitais – o início dessa visita se dá no saguão de entrada do Santander Cultural, que recebe a mostra Eugenio Dittborn. A programação encerra-se com Dannilo Melo tratando das Zonas de Autonomia Poética (ZAPs), às 17h30.
As inscrições são gratuitas, por ordem de chegada, na Central de Informações da Bienal no Cais do Porto (entre os Armazéns A3 e A4).

Mediações Nômades
Inscrições gratuitas no horário da atividade na Central de Informações da Bienal do Cais do Porto (entre os Armazéns A3 e A4)

Sábado, dia 12 de novembro
14h – Fronteira(s), mediação de Luciana de Mello
15h30 – Noções de Tempo na Contemporaneidade, mediação de Dannilo Melo

Domingo, dia 13 de novembro
12h – Arte como documento, documento como arte: relações geopoéticas, mediação de Renata Job
15h30 – Mistura de Culturas / Ensaios de Geopoéticas – mediação de Natália Souza Silva e Andre Jaeger da Cunha
17h30 – Construções da verdade – mediação de Helena dos Santos Moschoutis

Terça-feira, 15 de novembro
10h30 – Centro-periferia, mediação de Luciana de Mello
15h30 – Paralelos entre o Mundo Bienal e o Mundo digital: diálogos entre Arte/Educação e tecnologias digitais, mediação de Katyúscia Sosnowski. O início dessa visita se dá no saguão de entrada do Santander Cultural, que recebe a mostra Eugenio Dittborn.
17h30 – Zonas de Autonomia Poética (ZAPs), mediação de Dannilo Melo

Projeto Pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul lança livro Pedagogia no Campo Expandido

No próximo sábado, dia 12 de novembro, às 18h, na Sala O Arquipélago do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, será lançada a publicação Pedagogia no Campo Expandido, organizada pelo curador pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul, Pablo Helguera e pela Coordenadora do ProjetoPedagógico, Mônica Hoff. O evento tem entrada franca. A publicação custará R$ 25,00 no lançamento.
Segundo Helguera, a publicação tem como objetivo oferecer uma compilação das diferentes áreas de enfoque do Projeto Pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul, incluindo textos, testemunhos e documentos relacionados às diversas atividades que o compõem. “O livro tem a finalidade de servir como uma crônica desta edição, assim como uma antologia de referência sobre a relação entre apedagogia e a arte contemporânea”, afirma o curador.
O lançamento contará com a presença de todos os curadores da 8ª edição: José Roca – curador-geral, Pablo Helguera – curador pedagógico, Aracy Amaral – curadora convidada, Cauê Alves, Alexia Tala e Paola Santoscoy – curadores adjuntos e Fernanda Albuquerque – curadora assistente.
Ainda no dia 12 será realizado o seminário internacional Pedagogia no Campo Expandido, das 10h às 18h, no Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo, que vai reunir convidados de renome internacional com o objetivo de discutir a relação entre arte, educação e práticas sociais a partir de temas como Transpedagogia, Arte e interpretação e Arte como espaço de sociabilidade e conhecimento. As inscrições são gratuitas até o dia 10 de novembro,através de formulário no link http://www2.portoalegre.rs.gov.br/encontros_bienal. O evento também terá transmissão simultânea online pelo site da Bienal do Mercosul – http://www.bienalmercosul.art.br.
As atividades fazem parte da programação de encerramento da 8ª Bienal do Mercosul, cujas exposições terminam no dia 15 de novembro.

Lançamento do livro Pedagogia no Campo Expandido (2011, publicação independente da Fundação Bienal do Mercosul)
Organização: Pablo Helguera e Mônica Hoff. 428 páginas. R$ 25,00
Lançamento no dia 12 de novembro, às 18h. Entrada franca
Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Sala O Arquipélago
Rua dos Andradas, 1223 – centro – Porto Alegre – RS

Ist Orbita – Sarau Literário / Garagem dos Livros – 8ª Bienal do Mercosul

Cultura afro gaúcha na Casa M / 8ª Bienal do Mercosul

A Casa M recebe no próximo sábado, 05 de novembro, às 18h30, os músicos Richard Serraria, Marcelo Cougo e LucasKinoshita que ministram a oficina de tambor sopapo. A atividade tem o objetivo de apresentar ao público o instrumento e a cultura afro gaúcha. O tambor sopapo é um instrumento quase em extinção, herdado da cultura dos escravos africanos que habitaram o Rio Grande do Sul. As inscrições para a oficina são gratuitas e devem ser feitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
Após a oficina, será exibido o documentário O Grande Tambor, com a presença do diretor Gustavo Turk. O documentário é resultado de um projeto de resgate da produção, cultura e história doinstrumento, realizado em 1999 pelo Coletivo Catarse, em convênio com o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A entrada é franca.

Oficina e exibição do documentário O Grande Tambor, com Richard Serraria, Marcelo Cougo e Lucas Kinoshita
Sábado, 05 de novembro, às 18h30
Inscrições através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas, quartas e sextas, das 12h às 20h | Terças, quintas e sábados, das 09h às 20h | Domingos e feriados, das 14h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel) – CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS
Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
Para cursos de formação de professores: telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519 – professor@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Pensando a Bienal com… / 8ª Bienal do Mercosul – Santander Cultural

Seminário Internacional Pedagogia no Campo Expandido / 8ª Bienal do Mercosul

No fim de semana de encerramento das exposições da 8ª Bienal do Mercosul, o Projeto Pedagógico promove um grande seminário internacional, que vai discutir a relação entre arte, educação e práticas sociais a partir de temas como Transpedagogia, Arte e interpretação e Arte como espaço de sociabilidade econhecimento. Intitulado Pedagogia no Campo Expandido, o seminário vai trazer grandes especialistas nacionais e internacionais, como a professora da Universidade da Califórnia Shannon Jackson, a curadora de arte e educação do Instituto Cultural Inhotim Janaína Melo, a diretora de educação do MoMa Wendey Woon e Sally Tallant, Coordenadora de Programação da Serpentine Gallery, em Londres, e Diretora Artística da Bienal deLiverpool.
O objetivo do seminário é abordar temáticas presentes no Projeto Pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul. O evento também contará com uma mesa final de avaliação dessa edição da Bienal, com a presença de Luiz Guilherme Vergara e Jessica Gogan, responsáveis pela avaliação do Projeto Pedagógico e os curadores da 8ª Bienaldo Mercosul, José Roca, Pablo Helguera, Aracy Amaral, Cauê Alves, Paola Santoscoy, Alexia Tala e Fernanda Albuquerque.
Pablo Helguera, curador pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul, afirma que é importante difundir o modelo pedagógico praticado pela Bienal do Mercosul: “o aspecto pedagógico de grandes exposições e bienais é geralmente limitado ou praticado comrelutância. Em contraste, a Bienal do Mercosul é um caso excepcional, tanto pelo seu compromisso com a pedagogia quanto pela sua íntima relação com o público local”, afirma. “Desde seu início, o programa de formação de mediadores desta bienal tem tido a dupla função de escola, gerando uma disposição única para o campo da mediação na cidade de Porto Alegre. Nessa 8ª edição, além da possibilidade de convidar artistas cuja obra incorpora ativamente elementos da pedagogia, o tema da 8ª Bienal, “Ensaios de Geopoética”, a meu ver, oferecia também um convite para literalizar a noção de expansão do campo de ação da pedagogia. Desse modo, propusemos a ideia de se imaginar a pedagogia como um território que possui diferentes regiões. Uma delas, a mais conhecida, situa-se no âmbito da interpretação ou da educação como instrumento para entender a arte; a segunda é a fusão de arte e educação (como a prática artística dos artistas mencionados anteriormente), e aterceira é a arte como instrumento da educação, a qual denominei “arte como conhecimento do mund”, conclui o curador.
O seminário acontece no dia 12 de novembro, das 10h às 18h horas, no auditório Barbosa Lessa do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo. As inscrições são gratuitas e estão abertas a partir do dia 01 a 10 de novembro, através do formulário http://www2.portoalegre.rs.gov.br/encontros_bienal. São 140 vagas disponíveis, além de 50 lugares para assistir ao evento através de um telão disponível em sala auxiliar e transmissores de tradução simultânea. O evento também terá transmissão simultânea online pelo site da Bienal do Mercosul – www.bienalmercosul.art.br.
No mesmo dia, às 18h, ocorre o lançamento da publicação Pedagogia no Campo Expandido, organizada pelo curador pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul, Pablo Helguera e a Coordenadora do Projeto Pedagógico, Mônica Hoff, na Sala O Arquipélago.

Sobre os participantes
Guilherme Teixeira: Mestre em artes visuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Desde 1998 atua como educador em diversas instituições culturais. Entre 2007 e 2010 dirigiu a Divisão de Ação Cultural e Educativa do Centro Cultural São Paulo. Como artista apresentou seu trabalho em diversas exposições, coletivas e individuais, desde 2002.
Janaína Melo: é historiadora com atuação na área crítica de arte, curadoria, pesquisa e ensino de arte. Graduada em História (UFMG) e pós graduada em Pesquisa e Ensino de Arte Contemporânea pela Escola Guignard, UEMG. Atualmente é Curadora de Arte e Educação do Instituto Cultural Inhotim, Brumadinho (M) e professora de Crítica de arte na Escola Guignard. Vive e trabalha em BeloHorizonte.
Jessica Gogan: é curadora/educadora independente, trabalha com projetos no Brasil e Estados Unidos e desenvolve pesquisa em História da Arte para o PhD na University of Pittsburgh, EUA. É co-fundadora do Instituto MESA e co-coordenadora do Núcleo Experimental de Educação e Arte, Museu de Arte Moderna, RJ. Foi diretora de educação e curadora de projetos especiais do Museu AndyWarhol nos EUA, tendo realizado exposições e projetos nas áreas de arte, educação e desenvolvimento social, incluindo parceiras internacionais na Rússia e Brasil. Jessica publicou vários artigos e tem participado de debates e seminários sobre arte, curadoria e educação no MoMA New York, na American Association of Art Museum Directors e na American Association fos Museum.
Luiz Guilherme Vergara: Mestre em Artes e Instalações Ambientais pelo Studio Art and Environmental Program do Art Department, New York University, em 1993.  Doutor em Arte e Educação pelo Programa de Arte e Educação do Art Department, New York University. Diretor Geral do MAC-Niterói, de 2005 a 2008. Diretor da Divisão de Arte Educação (1996-2005) e coordenador do curso deGraduação em Produção Cultural da UFF (2007-2010), junto ao Departamento de Arte da UFF/RJ.
Payam Sharifi / Slavs and Tatars: Slavs and Tatars  é uma facção de polêmicas e intimidades devotada para uma área a leste do antigo muro de Berlim e ao oeste da Muralha da China conhecido como Eurásia. O trabalaho desse coletivo passa por diversas mídias, disciplinas e um amplo espectro de registros culturais (altos e baixos) focados em uma esfera de influência normalmenteesquecida entre eslavos, caucasianos e centro-asiáticos.
Sally Tallant: É Chefe de Programas da Serpentine Gallery em Londres, onde é responsável pelo desenvolvimento e entrega de programa integrado de mostras, arquitetura, educação e programação pública. Desde 2001, tem desenvolvido um ambicioso programa de projetos de artistas e comissões, conferências, debates e eventos. Foi curadora em performances, eventos sonoros, mostras de cinema, e conferências incluindo o início da série Noites no Parque (Park Nights)nos pavilhões da Serpentine Gallery com Hans Ulrich Obrist. Desde 2007, supervisionou a entrefa de cinco grandes mostras por ano na Galeria, inclindo as de Jeff Koons, Klara Liden, Michelangelo Pistoletto, Mark Leckey e outros.
Sofía Olascoaga: Trabalha nas intersecções da arte e da educação, ativando espaços para o pensamento crítico e ação coletiva. Através de educação museal, prática artística e iniciativas curatoriais, procura ocupar-se de formas produtivas de questionamento e experimentação no papel social da arte. Olascoaga foi bolsista curatorial no Programa de Arte Independente Norte-Americana no Whitney Museum em 2010 e recebeu seu BFA da La Esmeralda National School ofFine Arts (Cidade do México). Entre 2007 e 2010 foi chefe dos programas públicos e de educação no Museu de Arte Carrillo Gil na Cidade do México, onde fundou o Estúdio Abierto, uma plataforma de programação interdisciplinar que desafia formatos de eventos e as relações dos museus com as suas comunidades. É ganhadora do Prêmio do Fundo Nacional De Artes e Cultura para Jovens Artistas FONCA (2010).
Shannon Jackson: Ganhadora da distinção Richard e Rhoda Goldman e professora de retórica e teatro, dança e estudos performáticos na Universidade de Berkeley, Califórnia, onde também é diretora do Centro de Estudos Artísticos. Seus livros exploraram a relação entre performance e reforma social (Lines of Activity), entre performance e tendências interdisciplinares na educaçãosuperior (Professing Performance) e, mais recentemente, entre performance e arte contemporânea engajada socialmente (Social Works: Performing Art, Supporting Publics). Publicou em diversos periódicos, coordenou diversos projetos de arte comunitária e atua em uma série de conselhos relativos às artes, performance e novas mídias.
Wendy Woon: diretora de Educação do Museum of Modern Art – MoMA (Nova Iorque/ EUA). Foi Diretora de Educação do Museum of Contemporary Art de Chicago, de 1995 a 2006.Seminário Internacional Pedagogia no Campo Expandido

Seminário Internacional Pedagogia no Campo Expandido

12 de novembro, das 10h às 18h
Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Auditório Barbosa Lessa
Rua dos Andradas, 1223 – centro – Porto Alegre – RS
Inscrições gratuitas de 1º a 10 de novembro, através de formulário no link http://www2.portoalegre.rs.gov.br/encontros_bienal. São 140 vagas no auditório, e mais 50 vagas em uma sala auxiliar com telão,sonorização e transmissores de tradução simultânea.
Informações: 55 51 32547500 ou projetopedagogico@bienalmercosul.org.br

Lançamento do livro Pedagogia no Campo Expandido
Organização: Pablo Helguera e Mônica Hoff
12 de novembro, às 18h
Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Sala O Arquipélago
Entrada franca

Programação
09h30 – credenciamento
10h – Mesa Arte como espaço de sociabilidade e conhecimento | Convidados: Shannon Jackson (Professora Universidade daCalifornia) e Sofía Olascoaga (curadora educativa independente)
11h30 – Mesa Arte e Interpretação | Convidados: Wendy Woon (Diretora de Educação do MoMA/NY), Janaína Melo (Curadora de Arte e Educação do Instituto Cultural Inhotim – MG) e Guilherme Teixeira (artista e educador, coordenou a Divisão de Ação Cultural e Educativa do CentroCultural São Paulo, de 2007 a 2010)
13h – intervalo
15h – Mesa Transpedagogia | Convidados: Sally Tallant (Coordenadora de Programação da Serpentine Gallery, em Londres, e Diretora Artística da Bienal de Liverpool) e Payam Sharifi (artista do Coletivo Slavs and Tatars, presente na 8ª Bienal doMercosul)
16h30 – Notas sobre a 8ª Bienal do Mercosul. Convidados: Jessica Gogan (curadora e educadora independente, Brasil), Luiz Guilherme Vergara (educador, pesquisador e professor do Departamento de Arte da UFF/RJ,Brasil) e curadores da 8ª Bienal do Mercosul
18h – Lançamento da publicação Pedagogia no campo expandido, livro organizado por Pablo Helguera e Mônica Hoff, na Sala O Arquipélago do CCCEV

8ª Bienal do Mercosul abre inscrições para seminário internacional Pedagogia no Campo Expandido

 

Evento de encerramento da Bienal vai trazer especialistas internacionais para abordar a relação entre arte, educação e práticas sociais 

 A CEEE – Companhia Estadual de Energia Elétrica é apoiadora especial da 8ª Bienal do Mercosul. Ações do Projeto Pedagógico são patrocinadas pelo Banco Itaú com apoio do Grupo RBS

 

No fim de semana de encerramento das exposições da 8ª Bienal do Mercosul, o Projeto Pedagógico promove um grande seminário internacional, que vai discutir a relação entre arte, educação e práticas sociais a partir de temas como Transpedagogia, Arte e interpretação e Arte como espaço de sociabilidade econhecimento. Intitulado Pedagogia no Campo Expandido, o seminário vai trazer grandes especialistas nacionais e internacionais, como a professora da Universidade da Califórnia Shannon Jackson, a curadora de arte e educação do Instituto Cultural Inhotim Janaína Melo, a diretora de educação do MoMa Wendey Woon e Sally Tallant, Coordenadora de Programação da Serpentine Gallery, em Londres, e Diretora Artística da Bienal deLiverpool.

O objetivo do seminário é abordar temáticas presentes no Projeto Pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul. O evento também contará com uma mesa final de avaliação dessa edição da Bienal, com a presença de Luiz Guilherme Vergara e Jessica Gogan, responsáveis pela avaliação do Projeto Pedagógico e os curadores da 8ª Bienaldo Mercosul, José Roca, Pablo Helguera, Aracy Amaral, Cauê Alves, Paola Santoscoy, Alexia Tala e Fernanda Albuquerque.

Pablo Helguera, curador pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul, afirma que é importante difundir o modelo pedagógico praticado pela Bienal do Mercosul: “o aspecto pedagógico de grandes exposições e bienais é geralmente limitado ou praticado comrelutância. Em contraste, a Bienal do Mercosul é um caso excepcional, tanto pelo seu compromisso com a pedagogia quanto pela sua íntima relação com o público local”, afirma. “Desde seu início, o programa de formação de mediadores desta bienal tem tido a dupla função de escola, gerando uma disposição única para o campo da mediação na cidade de Porto Alegre. Nessa 8ª edição, além da possibilidade de convidar artistas cuja obra incorpora ativamente elementos da pedagogia, o tema da 8ª Bienal, ‘Ensaios de Geopoética’, a meu ver, oferecia também um convite para literalizar a noção de expansão do campo de ação da pedagogia. Desse modo, propusemos a ideia de se imaginar a pedagogia como um território que possui diferentes regiões. Uma delas, a mais conhecida, situa-se no âmbito da interpretação ou da educação como instrumento para entender a arte; a segunda é a fusão de arte e educação (como a prática artística dos artistas mencionados anteriormente), e aterceira é a arte como instrumento da educação, a qual denominei ‘arte como conhecimento do mundo’”, conclui o curador.

O seminário acontece no dia 12 de novembro, das 10h às 18h horas, no auditório Barbosa Lessa do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo. As inscrições são gratuitas e estão abertas a partir do dia 01 a 10 de novembro, através do formulário http://www2.portoalegre.rs.gov.br/encontros_bienal. São 140 vagas disponíveis, além de 50 lugares para assistir ao evento através de um telão disponível em sala auxiliar e transmissores de tradução simultânea. O evento também terá transmissão simultânea online pelo site da Bienal do Mercosul – www.bienalmercosul.art.br.

No mesmo dia, às 18h, ocorre o lançamento da publicação Pedagogia no Campo Expandido, organizada pelo curador pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul, Pablo Helguera e a Coordenadora do Projeto Pedagógico, Mônica Hoff, na Sala O Arquipélago.

 

Serviço

Seminário Internacional Pedagogia no Campo Expandido

12 de novembro, das 10h às 18h

Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Auditório Barbosa Lessa

Rua dos Andradas, 1223 – centro – Porto Alegre – RS

Inscrições gratuitas de 1º a 10 de novembro, através de formulário no link http://www2.portoalegre.rs.gov.br/encontros_bienal. São 140 vagas no auditório, e mais 50 vagas em uma sala auxiliar com telão,sonorização e transmissores de tradução simultânea.

Informações: 55 51 32547500 ou projetopedagogico@bienalmercosul.org.br

 

Lançamento do livro Pedagogia no Campo Expandido

Organização: Pablo Helguera e Mônica Hoff

12 de novembro, às 18h

Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – Sala O Arquipélago

Entrada franca

Programação

09h30 – credenciamento

10h – Mesa Arte como espaço de sociabilidade e conhecimento | Convidados: Shannon Jackson (Professora Universidade daCalifornia) e Sofía Olascoaga (curadora educativa independente)

11h30 – Mesa Arte e Interpretação | Convidados: Wendy Woon (Diretora de Educação do MoMA/NY), Janaína Melo (Curadora de Arte e Educação do Instituto Cultural Inhotim – MG) e Guilherme Teixeira (artista e educador, coordenou a Divisão de Ação Cultural e Educativa do CentroCultural São Paulo, de 2007 a 2010)

13h – intervalo

15h – Mesa Transpedagogia | Convidados: Sally Tallant (Coordenadora de Programação da Serpentine Gallery, em Londres, e Diretora Artística da Bienal de Liverpool) e Payam Sharifi (artista do Coletivo Slavs and Tatars, presente na 8ª Bienal doMercosul)

16h30 – Notas sobre a 8ª Bienal do Mercosul.Convidados: Jessica Gogan (curadora e educadora independente, Brasil), Luiz Guilherme Vergara (educador, pesquisador e professor do Departamento de Arte da UFF/RJ,Brasil) e curadores da 8ª Bienal do Mercosul

18h – Lançamento da publicação Pedagogia no campo expandido, livro organizado por Pablo Helguera e Mônica Hoff, na Sala O Arquipélago do CCCEV

 

Sobre os participantes

Guilherme Teixeira: Mestre em artes visuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Desde 1998 atua como educador em diversas instituições culturais. Entre 2007 e 2010 dirigiu a Divisão de Ação Cultural e Educativa do Centro Cultural São Paulo. Como artista apresentou seu trabalho em diversas exposições, coletivas e individuais, desde 2002.

Janaína Melo: é historiadora com atuação na área crítica de arte, curadoria, pesquisa e ensino de arte. Graduada em História (UFMG) e pós graduada em Pesquisa e Ensino de Arte Contemporânea pela Escola Guignard, UEMG. Atualmente é Curadora de Arte e Educação do Instituto Cultural Inhotim, Brumadinho (M) e professora de Crítica de arte na Escola Guignard. Vive e trabalha em BeloHorizonte.

Jessica Gogan: é curadora/educadora independente, trabalha com projetos no Brasil e Estados Unidos e desenvolve pesquisa em História da Arte para o PhD na University of Pittsburgh, EUA. É co-fundadora do Instituto MESA e co-coordenadora do Núcleo Experimental de Educação e Arte, Museu de Arte Moderna, RJ. Foi diretora de educação e curadora de projetos especiais do Museu AndyWarhol nos EUA, tendo realizado exposições e projetos nas áreas de arte, educação e desenvolvimento social, incluindo parceiras internacionais na Rússia e Brasil. Jessica publicou vários artigos e tem participado de debates e seminários sobre arte, curadoria e educação no MoMA New York, na American Association of Art Museum Directors e na American Association fos Museum. 

Luiz Guilherme Vergara: Mestre em Artes e Instalações Ambientais pelo Studio Art and Environmental Program do Art Department, New York University, em 1993.  Doutor em Arte e Educação pelo Programa de Arte e Educação do Art Department, New York University. Diretor Geral do MAC-Niterói, de 2005 a 2008. Diretor da Divisão de Arte Educação (1996-2005) e coordenador do curso deGraduação em Produção Cultural da UFF (2007-2010), junto ao Departamento de Arte da UFF/RJ.

Payam Sharifi / Slavs and Tatars: Slavs and Tatars  é uma facção de polêmicas e intimidades devotada para uma área a leste do antigo muro de Berlim e ao oeste da Muralha da China conhecido como Eurásia. O trabalaho desse coletivo passa por diversas mídias, disciplinas e um amplo espectro de registros culturais (altos e baixos) focados em uma esfera de influência normalmenteesquecida entre eslavos, caucasianos e centro-asiáticos.

Sally Tallant: É Chefe de Programas da Serpentine Gallery em Londres, onde é responsável pelo desenvolvimento e entrega de programa integrado de mostras, arquitetura, educação e programação pública. Desde 2001, tem desenvolvido um ambicioso programa de projetos de artistas e comissões, conferências, debates e eventos. Foi curadora em performances, eventos sonoros, mostras de cinema, e conferências incluindo o início da série Noites no Parque (Park Nights)nos pavilhões da Serpentine Gallery com Hans Ulrich Obrist. Desde 2007, supervisionou a entrefa de cinco grandes mostras por ano na Galeria, inclindo as de Jeff Koons, Klara Liden, Michelangelo Pistoletto, Mark Leckey e outros.

Sofía Olascoaga: Trabalha nas intersecções da arte e da educação, ativando espaços para o pensamento crítico e ação coletiva. Através de educação museal, prática artística e iniciativas curatoriais, procura ocupar-se de formas produtivas de questionamento e experimentação no papel social da arte. Olascoaga foi bolsista curatorial no Programa de Arte Independente Norte-Americana no Whitney Museum em 2010 e recebeu seu BFA da La Esmeralda National School ofFine Arts (Cidade do México). Entre 2007 e 2010 foi chefe dos programas públicos e de educação no Museu de Arte Carrillo Gil na Cidade do México, onde fundou o Estúdio Abierto, uma plataforma de programação interdisciplinar que desafia formatos de eventos e as relações dos museus com as suas comunidades. É ganhadora do Prêmio do Fundo Nacional De Artes e Cultura para Jovens Artistas FONCA (2010).

Shannon Jackson: Ganhadora da distinção Richard e Rhoda Goldman e professora de retórica e teatro, dança e estudos performáticos na Universidade de Berkeley, Califórnia, onde também é diretora do Centro de Estudos Artísticos. Seus livros exploraram a relação entre performance e reforma social (Lines of Activity), entre performance e tendências interdisciplinares na educaçãosuperior (Professing Performance) e, mais recentemente, entre performance e arte contemporânea engajada socialmente (Social Works: Performing Art, Supporting Publics). Publicou em diversos periódicos, coordenou diversos projetos de arte comunitária e atua em uma série de conselhos relativos às artes, performance e novas mídias.

Wendy Woon: diretora de Educação do Museum of Modern Art – MoMA (Nova Iorque/ EUA). Foi Diretora de Educação do Museum of Contemporary Art de Chicago, de 1995 a 2006.

Casa M – programação de 31 de outubro a 05 de novembro

A programação da semana de 31 de outubro a 05 de novembro na Casa M está repleta de atividades culturais e educativas gratuitas, destinadas a diversos públicos. Destaque para a oficina e a apresentação de projetos curatoriais com a curadora residente, a chilena Soledad García, a mostra dostrabalhos desenvolvidos na Oficina dos Vizinhos, conversas sobre moda, beleza e arte e o programa Duetos, que traz Diego Mac com Teatro Geográfico.
Encerrando o programa de Residências de Curadores da 8ª Bienal do Mercosul, a curadora Soledad García ministra, na segunda-feira, 31 de outubro, às 16h, a oficina Micro-colecciones de ficción. Osparticipantes vão criar pequenas coleções de livros a partir do acervo de publicações do Núcleo de Documentação e Pesquisa da Fundação Bienal do Mercosul. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br. A oficina é destinada a historiadores, bibliotecários, estudantes e interessados em geral.
No mesmo dia, às 19h30, a chilena apresenta ao público diferentes projetos curatoriais em colaboração voltados à intervenção em espaços públicos. Soledad vai contar as experiências do projeto do Centro de Documentação de Artes Visuais do Centro Cultural Palacio La Moneda, no Chile.
O programa de residências de curadores trouxe à Casa M, durante o ano de 2011, quatro curadores da América Latina (Argentina, Brasil, Chile e México) para passar uma semana em Porto Alegre, visitando ateliês e ativando a programação da Casa. Soledad é curadora e historiadora da arte, coordenadora do Centro de Documentação de Artes Visuais do Centro Cultural Palacio LaMoneda (Chile).
Ainda na segunda-feira, inicia-se nova mostra de vídeos da Casa M. De 31 de outubro a 12 de novembro, entra em cena o projeto Extranatureza, com curadoria da jornalista Paula Alzugaray (Revista Istoé e Revista SeLect). É a primeira mostra de um projetodedicado ao diálogo entre o pensamento curatorial e o pensamento editorial. A mostra está organizada em cinco grupos de obras: Paisagem, Corpo Casa, Natureza morta, Viagem travessia e Vídeo para celular.
Na terça-feira, 1º de novembro, o assunto é Moda, Arte e Beleza, com o evento BelOlhar, promovido pelas Lojas Pompéia, uma das apoiadoras da 8ª Bienal do Mercosul. Os diálogos abertos ao público são mediados pela estilista Greice Antes, quedesenvolveu a coleção de mesmo nome para a rede. As conversas ocorrem às 19h30 e o segundo encontro está marcado para o dia 08 de novembro. Nesta terça-feira, a conversa tem o tema Quem ama o feio, bonito lhe parece: a beleza ao longo das épocas, com participação do coordenador de cinema, vídeo e fotografia da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre Bernardo de Souza, da maquiadora e hair stylist Paula Ferrary, do artista e integrante do Atelier Subterrânea, Guilherme Dable e da jornalista, crítica de arte e professora do Instituto de Artes da UFRGS Paula Ramos.
Na quarta-feira, 02 de novembro, a partir das 10h, os participantes da Oficina dos Vizinhos, ministrada pela artista plástica e professora Claudia Sperb, expõem seus trabalhos produzidos durante cinco meses de atividades. As obras produzidas formarão um grande mapa composto pelos mapas pessoais de cada integrante do grupo e serão expostas na Rua Fernando Machado, em frente àCasa M.
Na quinta-feira, 03 de novembro, duas oficinas marcam a programação da Casa M: às 14h30, videoartista Rodrigo John ministra a oficina Fronteiras diluídas, que apresenta as possibilidades de experimentaçãode linguagens e processos técnicos em vídeo, no limiar entre o cinema e as artes plásticas.
No mesmo horário, o arte-educador Luciano Montanha ministra o primeiro de três encontros da oficina Pensando o espaço urbano, que pretende discutir o espaço urbano como campo de ação do artista, a partir de um exercício de análise das obras da mostra Cidade Não Vista, da 8ª Bienal doMercosul. Os encontros seguem nos dias 10 e 17 de novembro.
As inscrições para as duas atividades são gratuitas e devem ser feitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br.
Sexta-feira, 04 de novembro, é dia de Duetos, projeto onde doze artistas e coletivos de diferentes linguagens utilizam a Casa M como espaço de trabalho e investigação ao longo do ano e desenvolvem pesquisas em colaboração. Às 19h30, Diego Mace o Teatro Geográfico apresentam os resultados dessa parceria. Intitulada GEOCOREOGRAFIA: Cidade não vista, a performance conta com a participação de diversos atores e bailarinos de Porto Alegre e ocorrerá nas escadarias da Rua João Manoel, em frente à Casa M. Diego Mac é diretor, coreógrafo e bailarino. O Teatro Geográfico se concentra na pesquisa sobre o espaço como agente principal na criação cênica.
O sábado, 05 de novembro, inicia com uma das oficinas especiais, criadas e ministradas por mediadores da 8ª Bienal do Mercosul. Ás 9h, Gaston Kremer ministra a oficina Geopoética versus Geopolítica –conflitos por território e desdobramentos na arte. A oficina vai abordar diversos conflitos por território que ocorrem no mundo, fazendo relação com obras expostas nessa Bienal que discutem a noção de territorialidade e conflito. São 20 vagas disponíveis e as inscrições podem ser feitas através do email carla@bienalmercosul.art.br ou no horário da atividade, no local.
Às 14h, a Casa M abre as portas para ser o ponto de partida de um circuito de espaços independentes de arte no Centro da cidade. O projeto tem como objetivo a ativação e integração dos espaços culturais da vizinhança da Casa M. Participam docircuito os espaços Estudio Hybrido, Jabutipê, Museu do Trabalho, atelier da artista Ana Aita, IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil, Camerata de Música, Alumiar, Arteloja CCMQ e Comunidade Utopia e Luta, que passam a abrir aos sábados, das 14h às 18h. Os circuitos começam sempre pela Casa M, no começo da tarde. Lá, o público encontra todas as informações disponíveis sobre esses locais em um mapa.
Às 18h30, os músicos Richard Serraria, Marcelo Cougo e Lucas Kinoshita ministram a oficina O grande tambor. A atividade tem o objetivo deapresentar o tambor sopapo e a cultura afro gaúcha. O tambor sopapo é um instrumento quase em extinção, herdado da cultura dos escravos africanos que habitaram o Rio Grande do Sul. Em 1999, o Coletivo Catarse, em convênio com o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, produziu um projeto de resgate da produção, cultura e história do instrumento. O resultado desse projeto transformou-se no documentáriointitulado O Grande Tambor, que será exibido neste dia, após a oficina com a presença do diretor Gustavo Turk.
Entre as atrações permanentes que podem ser visitadas na Casa M, está a Vitrine, um espaço experimental que abriga, a cada mês, uma pequena exposição de um jovem artista, com uma obra criada especialmente para o contexto da casa. A artista desse mês é Glaucis de Morais, que apresenta ainstalação Lugar Remoto, um vídeo que reúne relatos imaginários sobre Porto Alegre: depoimentos de pessoas que nunca estiveram na cidade e só a conhecem por meio de um cartão postal. O próximo artista a ocupar o espaço é João Genaro, com abertura programada para o dia 26 de novembro.
Além dessas atividades, o ciclo de cursos de formação de professores da 8ª Bienal do Mercosul segue acontecendo na Casa M, destinado a professores de qualquer área, interessados e participantes do curso de mediadores da 8ª Bienal. As inscrições são gratuitas, através do email professor@bienalmercosul.art.br e também pelos telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519. A programaçãocompleta dos cursos e suas ementas podem ser encontradas no site http://www.bienalmercosul.art.br/casam. Os cursos são ministrados pelos educadores André Rocha, Diana Kolker, Estêvão Fontoura e Jorge Bucksdricker.
Também vale a pena conferir as três obras especiais que estão permanentemente em exposição: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta deentrada é obra de Vitor Cesar.

Programação da semana – de 31 de outubro a 05 de novembro
Vitrine – Glaucis de Morais, abertura no dia 29 às 11h
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

31 de outubro – segunda
16h – Oficina – Micro-colecciones de ficción | Soledad García
18h30 – Mostra de vídeos – Extranatureza | Paula Alzugaray
19h – Conversa – Soledad García

01 de novembro – terça
09h – Formação de Professores – Poéticas da apropriação | Estevão Haeser
12h30 – Mostra de vídeos – Extranatureza | Paula Alzugaray
19h30 – Conversa – BelOlhar – Quem ama o feio, bonito lhe parece: a beleza ao longo das épocas | Bernardo de Souza, Paula Ferrary, Guilherme Dable e Paula Ramos

02 de novembro – quarta
10h – Especial – Mostra dos trabalhos produzidos na Oficina dos Vizinhos
14h30 – Oficina – Fronteiras diluídas | Rodrigo John
14h30 – Oficina – Pensando o espaço urbano | Luciano Montanha
18h30 – Mostra de vídeos – Extranatureza | Paula Alzugaray

03 de novembro – quinta
12h30 – Mostra de vídeos – Extranatureza | Paula Alzugaray
18h30 – Formação de Professores – A imagem e seus poderes | André Rocha

04 de novembro – sexta
18h30 às 20h – Mostra de vídeos – Extranatureza | Paula Alzugaray
19h – Duetos – Geocoreografia: Cidade Não Vista | Diego Mac e Teatro Geográfico

05 de novembro – sábado
09h – Oficina – Geopoética versus Geopolítica – conflitos por território e desdobramentos na arte | GastonKremer
14h – Especial – Circuito Centro
16h – Mostra de vídeos – Extranatureza | Paula Alzugaray
18h30 – Oficina e exibição de documentário – O grande tambor | Richard Serraria, Marcelo Cougo e Lucas Kinoshita

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas, quartas e sextas, das 12h às 20h | Terças, quintas e sábados, das 09h às 20h | Domingos e feriados, das 14h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS
Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
Para cursos de formação de professores: telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519 – professor@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Lugar Remoto / Casa M

Invisibles / Subterrânea – 8ª Bienal do Mercosul

abertura nesta quinta-feira, 27 de outubro, 19h

Atelier Subterrânea  |  Av. Independência, 745/subsolo – Porto Alegre-RS

visitação até 18 de novembro – segunda a sexta, das 14h as 18h

ATELIER SUBTERRÂNEA / DESPACIO / DIABLO ROSSO /
LA CENTRAL / LA LOSETA / OFICINA #1 / PRETEEN /
PROYECTOS ULTRAVIOLETA / REVOLVER

Angelica Teuta / Byron Marmol / Carlos Laszlo / Giancarlo Scaglia /
José Castrellón / Juni Figueroa / Leandro Machado /
Maria Isabel Rueda / Suwon Lee

Esta mostra procura falar de nossa identidade ( ou falta de ) como região.
Uma região formada por interesses comuns, mais do que por limites geográficos.

Buscamos colocar em paralelo realidades não tão cotidianas como as que vivemos diariamente, e que em muitos casos, sentimos ser mais potentes que nossa imagem ideal como cidadãos do mundo.

 

O projeto, o qual chamamos INVISIBLES, pretende gerar um estudo quase antropológico dessas subculturas, enraizadas no lugar em que vivemos ou nos desenvolvemos.

Uma colaboração, em que distintos espaços irmãos da região, querem abrir um espaço de reflexão para a construção e desenvolvimento da identidade latinoamericana, com todos seus excessos, ausências e sabooor.

_______________________________________________

 

Essa exposição é parte da programação da residência do espaço Diablo Rosso aqui na Subterrânea por meio do componente “Continentes” da 8ª Bienal do Mercosul, curado por Paola Santoscoy.

Casa M – programação de 24 a 29 de outubro

A programação da semana de 24 a 29 de outubro na Casa M está repleta de atividades culturais e educativas gratuitas, destinadas a diversos públicos. Destaque para a conversa com os integrantes do projeto Continentes, a mostra Ensaios Visuais Fronteiras do Pensamento, workshop sobre crítica de arte, Combos sobre o Pampa e a abertura da Vitrine de Glaucis de Morais.
Na segunda-feira, 24 de outubro, das 14h às 17h, ocorre o workshop Perspectiva Histórica da Crítica de Arte, promovido pela AICA – Associação Internacional de Críticos de Arte. O evento é coordenado por Lisbeth Rebollo Gonçalves, presidente da ABCA – Associação Brasileira de Críticos de Arte e terá como ministrantes Yacouba Konate – Presidente da AICA, crítico e professor, Haydée Venegas – Diretora Tesoureira da AICA, crítica e professora de História da Arte, Brane Kovic – Diretor Secretário Geral, critico e curador independente, Henry Meyric-Hughes – crítico, curador independente, ex-presidente da AICA e Susana Sulic – AICA França. São 25 vagas disponíveis destinadas a profissionais atuantes na imprensa cultural, críticos de arte e estudantes. As aulas serão ministradas em inglês ou espanhol e as inscrições são gratuitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Na terça-feira, dia 25, das 17h30 às 20h, ocorre a já tradicional Oficina dos Vizinhos, ministrada pela artista plástica e professora Claudia Sperb.  A cada encontro são discutidas ações e realizações em conjunto, utilizando-se os espaços, conteúdos e materiais da 8ª Bienal do Mercosul. Nesse encontro, os participantes vão gravar depoimentos sobre a experiência.
Às 19h30, a crítica de arte Glória Ferreira lança seu livro Entrefalas. Durante o evento, Glória participa de conversa com o público, intitulada Entrevista: entre a fala e a escrita. A publicação reúne entrevistas realizadas desde os anos 1980 com artistas e críticos, brasileiros e estrangeiros. O livro faz parte da coleção Arte: Ensaios e Documentos no 4, da Editora Zouk.
Na quarta-feira, 26, às 19h, o público pode conferir mais uma edição dos Combos, onde três convidados de diferentes áreas compartilham projetos em desenvolvimento e trocam ideias sobre suas práticas. A paisagem particular do Sul do continente é tema da conversa do dia, que reúne três artistas de diferentes áreas cujos trabalhos impactam ou são impactados pelo cenário. Participam Maria Helena Bernardes e André Severo, do Projeto Areal, criado em 2000 a partir de uma série de viagens realizadas pelo interior do Rio Grande do Sul;a diretora teatral e pesquisadora Inês Marocco, que propõe o treinamento de atores baseado na pesquisa As técnicas corporais do gaúcho e a sua relação com a performance do ator/dançarino, e Felipe Azevedo, compositor, violonista, cantor, educador musical e ensaísta.
A programação de sexta-feira, dia 28, traz duas atrações: às 18h30, a Galeria Metropolitana do Chile lança na Casa M o livro GaleríaMetropolitana 2004-2010, que documenta o trabalho realizado pelo espaço. Segundo os editores, trata-se de um exercício de memória que se coloca como uma reconstrução aproximada dos processos, experiências e obras que tornaram possível sua importância na cena da arte contemporânea chilena. As edições mais recentes da revista Recibo também serão distribuídas gratuitamente. A publicação experimental de artes visuais se define como “plataformacuratorial-gráfica”, tendo como princípio agenciar projetos e ações relacionadas a práticas artísticas de análise, circulação e dispersão de ideias.
Após o lançamento, os editores se reúnem com integrantes dos espaços artísticos independentes Kiosko Galería (Santa Cruz de la Sierra/Bolívia), Diablo Rosso (Ciudad de Panamá/Panamá) e Batiscafo (Havana/Cuba), que participam do projeto Continentes, da 8ª Bienal do Mercosul, para um bate-papo com o público.
O sábado traz programação intensa na Casa M. Das 10h às 12h, o ator Cleber Vinícius dos Santos trará para os participantes uma oficina sensorial. A oficina O Aroma da Memória pretende, através da experiência sensorial, estimular o surgimento de lembranças que possam ser partilhadas pelos participantes em forma de produção textual. Interessados a partir de 16 anos podem participar. São 10 vagas disponíveis e as inscrições podem ser feitas através do email carla@bienalmercosul.art.br ou no horário da atividade, no local.
Às 11h, Glaucis de Morais inaugura sua Vitrine na Casa M. Operações sutis – delicadas na forma, mas agudas nas reflexões que evocam – compõem a obra da artista, que se vale de diferentes linguagens: do vídeo à fotografia, passando pelo desenho einstalação. Na vitrine da Casa M, a artista apresenta um vídeo que reúne relatos imaginários sobre Porto Alegre: depoimentos de pessoas que nunca estiveram na cidade e só a conhecem por meio de um cartão postal. O próximo artista a ocupar o espaço é João Genaro, com abertura programada para o dia 26 denovembro.
Às 14h, a Casa M abre as portas para ser o ponto de partida de um circuito de espaços independentes de arte no Centro da cidade. O projeto tem como objetivo a ativação e integração dos espaços culturais da vizinhança da Casa M. Participam docircuito os espaços Estudio Hybrido, Jabutipê, Museu do Trabalho, atelier da artista Ana Aita, IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil, Camerata de Música, Alumiar, Arteloja CCMQ e Comunidade Utopia e Luta, que passam a abrir aos sábados, das 14h às 18h. Os circuitos começam sempre pela Casa M, no começo da tarde. Lá, o público encontra todas as informações disponíveis sobre esses locais em um mapa.
Segue em cartaz na Casa M a série de curtas metragens intitulada Ensaios Visuais Fronteiras do Pensamento, produzida pela V2 Cinema e que apresenta algumas das personalidades do cinema, teatro, música e artes plásticas que passaram pelo curso de altos estudos Fronteiras do Pensamento em 2008: David Lynch, Fernando Arrabal, Phillip Glass, Win Wenders, Beto Brant e José Padilha. Os cinco curtas dirigidos por Marcio Schoenardie (Dois Andares), Fernando Belens (Teatro de Titãs), Gustavo Spolidoro (De volta ao quarto 666), Camila Gonzatto (What are you looking for?) e Davi Pinheiro (O passageiro obscuro) são exibidos durante a semana separadamente e, em sua versão integral, aos sábados, às 16h. A mostra vai até o dia 28 de outubro, com entrada franca.
Além dessas atividades, o ciclo de cursos de formação de professores da 8ª Bienal do Mercosul segue acontecendo na Casa M, destinado a professores de qualquer área, interessados e participantes do curso de mediadores da 8ª Bienal. As inscrições são gratuitas, através do email professor@bienalmercosul.art.br e também pelos telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519. A programaçãocompleta dos cursos e suas ementas podem ser encontradas no site http://www.bienalmercosul.art.br/casam. Os cursos são ministrados pelos educadores André Rocha, Diana Kolker, Estêvão Fontoura e Jorge Bucksdricker.
Também vale a pena conferir as três obras especiais que estão permanentemente em exposição: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta deentrada é obra de Vitor Cesar.

Programação da semana  de 24 a 29 de outubro
Vitrine – Glaucis de Morais, abertura no dia 29 às 11h
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

24 de outubro – segunda
14h – Oficina – Perspectiva histórica da crítica de arte |AICA
18h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | Dois andares – Marcio Schoenardie

25 de outubro – terça
12h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | Teatro de Titãs – Fernando Belens
17h30 – Oficina – Oficina dos Vizinhos | Claudia Sperb
19h30 – Especial – Lançamento livro Entrefalas e conversa com Glória Ferreira

26 de outubro – quarta
14h – Oficina – Obras de arte na narrativa | Daniel Galera (2ºencontro)
18h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | De volta ao quarto 666 – Gustavo Spolidoro
19h – Combos – Pampas | Maria Helena Bernardes, André Severo, Inês Marocco eFelipe Azevedo

27 de outubro – quinta
12h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | What are you looking for? – Camila Gonzatto

28 de outubro – sexta
14h às 17h – Formação de Professores – A cidade como suporte | Estevão Haeser e JorgeBucksdricker
18h30 às 20h – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | O passageiro obscuro – Davi Pinheiro
18h30 – Especial – Lançamento | publicações Galeria Metropolitana 2004-2010 e Recibo
19h – Conversa – Continentes – Kiosko, Diablo Rosso e Batiscafo

29 de outubro – sábado
10h às 12h – Oficina – O Aroma da Memória | Cléber Vinícius dosSantos
11h – Vitrine – Glaucis de Morais
14h – Especial – Circuito Centro
16h – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | Ensaios Visuais Fronteiras do Pensamento

Casa M
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
Horários de funcionamento: Segundas, quartas e sextas, das 12h às 20h | Terças, quintas e sábados, das 09h às 20h | Domingos e feriados, das 14h às 20h
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS

Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
Para cursos de formação de professores: telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519 – professor@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Santander Cultural promove encontros para pensar a 8ª Bienal do Mercosul

Nos dias 25 e 27 de outubro, o Santander Cultural dá sequencia a uma série de encontros para ampliar as discussões sobre o tema Ensaios de Geopoética, que norteia a 8ª edição da Bienal do Mercosul. Os próximos convidados são o poeta e artista visual Jean Sartief e o Curador Educativo do Da Maya Espaço Cultural Igor Simões, respectivamente.
Jean Sartief é mediador da 8ª Bienal do Mercosul. Vivendo no Rio Grande do Norte, Sartief participou do curso de formação de mediadores através da plataforma de EAD – Ensino à Distância. Sartief vai falar sobre a experiência de estar vivendo no Sul do País durante o período da Bienal, sua percepção como mediador da mostra de Eugenio Dittborn e suas percepções sobre a cidade e a cultura local.
Igor Simões vai falar sobre a participação do Espaço e da cidade de Bagé nessa edição da Bienal como instituição parceira, que abrigou diversos projetos que aconteceram na cidade na cidade como a mostra do artista Marcos Sari no projeto Cadernos de Viagem, a exposição itinerante do artista homenageado Eugenio Dittborn, cursos para formação de professores e oficina com o curador pedagógico Pablo Helguera.
Pensando a Bienal com… é uma iniciativa do Santander Cultural. A ideia é promover um bate-papo com profissionais de diferentes áreas que participaram de alguma forma da construção da 8ª Bienal do Mercosul, promovendo um cruzamento de campos com as artes visuais, e possibilitando o envolvimento do público num processo de reflexão sobre a mostra e as experiências por ela geradas.
A série é composta de quatro encontros, com um convidado cada um, sempre das 18h às 20h30, no Grande Hall do Santander Cultural em Porto Alegre, com entrada franca. O arquiteto Luiz Merino – que realizou a pesquisa histórica para a mostra Cidade Não Vista, foi o primeiro convidado a participar dos encontros, seguido do maestroLucas Brolese. O projeto encerra com as participações de Sartief e Simões.
Para a curadora Fernanda Albuquerque a iniciativa do Santander Cultural é importante porque cria a possibilidade de que o público conheça “olhares próximos da experiência da 8ª Bienal e, ao mesmo tempo, desde um outro lugar”.

Pensando a Bienal com Jean Sartief
Dia 25 de outubro, terça-feira
Santander Cultural – Grande Hall
Rua Sete de Setembro, 1028 – Centro – Porto Alegre
Das 18h às 20h30
Entrada franca

Pensando a Bienal com Igor Simões
Dia 27 de outubro, quinta-feira
Santander Cultural – Grande Hall
Rua Sete de Setembro, 1028 – Centro – Porto Alegre
Das 18h às 20h30
Entrada franca

Diablo Rosso + Atelier Subterrânea

Neste sábado, 22/10, às 16h, a Subterrânea realiza mais uma de suas conversas, dessa vez recebendo o pessoal do Panamá, Johann Wolfschoon e José Castrellón.

Johann é um dos fundadores do espaço Diablo Rosso (www.diablorosso.com) e o curador da mostra que se inaugura no dia 27/10. José (www.jose-castrellon.com) é o artista convidado para a residência em Porto Alegre.

Nessa conversa vamos falar das experiências de ambos os espaços e de como está sendo feito nosso trabalho em colaboração. Essa proposta faz parte do componente “Continentes” da 8ª Bienal do Mercosul (http://www.bienalmercosul.art.br/componentes/11), com curadoria de Paola Santoscoy.

Atelier Subterrânea
Av. Independência, 745/subsolo – Porto Alegre
www.subterranea.art.br

F. (51) 3208-2534

Casa M – programação de 17 a 22 de outubro

A programação da semana de 17 a 22 de outubro na Casa M está repleta de atividades culturais e educativas gratuitas, destinadas a diversos públicos. Destaque para a conversa com os artistas Fábio Morais e Pedro Palhares, a série de curtas metragens Ensaios Visuais Fronteiras do Pensamento, a oficina com Teatro Geográfico e os Duetos com Carla Borba e Yanto Laitano.
Segue em cartaz na Casa M a série de curtas metragens intitulada Ensaios Visuais Fronteiras do Pensamento, produzida pela V2 Cinema e que apresenta algumas das personalidades do cinema, teatro, música e artes plásticas que passaram pelo curso de altos estudos Fronteiras do Pensamento em 2008: David Lynch, Fernando Arrabal, Phillip Glass, Win Wenders, Beto Brant e José Padilha. Os cinco curtas dirigidos por Marcio Schoenardie (Dois Andares), Fernando Belens (Teatro de Titãs), Gustavo Spolidoro (De volta ao quarto 666), Camila Gonzatto (What are you looking for?) e Davi Pinheiro (O passageiro obscuro) são exibidos durante a semana separadamente e, em sua versão integral, aos sábados, às 16h. A mostra vai até o dia 28 de outubro, com entrada franca.
A partir da próxima segunda-feira, dia 17, acontece na Casa M a oficina A Casa como moldura de cena, ministrada pelos atores do Teatro Geográfico, TatianaVinhais e Pablo Damian. A atividade propõe observar o espaço físico e histórico da Casa M como espaço cênico, proporcionando a criação teatral a partir da experiência dos participantes com o lugar. A oficina tem duração de três encontros, nos dias 17, 19 e 21 de outubro, das 9h às 12h. As inscrições são gratuitas pelo email oficinascasam@bienalmercosul.art.br e o público alvo é de estudantes de artes cênicas, atores e bailarinos. Os resultados da oficina serão apresentados ao público no sábado, dia 22 de outubro, às 16h.
Na quinta-feira, dia 20 de outubro, às 19h, os artistas Fábio Morais e Pedro Palhares, que participam da 8ª Bienal do Mercosul promovem uma conversa com o público na Casa M. As obras de Morais e Palhares integram as mostras Geopoéticas e Cidade Não Vista, respectivamente. Os artistas vão falar de suas obras, seus novos projetos e de sua experiência na Bienal do Mercosul.  Morais utiliza-se da palavra e da literatura para pensar o território e a nação a partir do campo da linguagem, em sua obra, trabalha com mapas e promove encontros de mares a partir dedicionários e atlas. Palhares apresenta criações multidisciplinares e experimentais, com pesquisas em fotografia, performance, música e audiovisual. Sua obra para a Bienal, que está instalada no Aeromóvel e faz parte da mostra Cidade Não Vista, é uma espécie de rede que conecta as pessoas a partir do som.
Sexta-feira é dia de Duetos na Casa M. Entre junho e setembro, foram seis apresentações de doze artistas e coletivos de diferentes linguagens – música, literatura, dança, cinema e artes visuais. A partir de outubro até dezembro, novas duplas se formam para apresentar criações em conjunto. A parceria do dia 21 de outubro é entre Carla Borba e Yanto Laitano. Artista, performer e mestranda em Artes Visuais, Carla explora em seus trabalhos as relações entre corpo e imagem. Laitano é compositor, pianista, cantor e mestre em música e suas composições transitam entre música contemporânea e pop, frequentemente utilizando instrumentos não convencionais, explorando elementos cômicos e cênicos. A dupla apresenta o resultado desseencontro a partir das 19h.
O sábado traz programação intensa na Casa M. Das 9h às 12h, a professora de Literatura e Redação, arte-educadora e performer Michele Zgiet de Carvalho traz o tema geopoéticas para a pauta. Aoficina pretende discutir a diferença entre as ideias de país e nação, de identificação externa e pertencimento, de constituição de imaginário coletivo e representações artísticas de todas estas “ficções”. As inscrições são gratuitas através do email carla@bienalmercosul.org.br, com Carla Borba ou no local, no horário da atividade.
Às 14h, a Casa M abre as portas para ser o ponto de partida de um circuito de espaços independentes de arte no Centro da cidade. O projeto tem como objetivo a ativação e integração dos espaços culturais da vizinhança da Casa M. Participamdo circuito os espaços Estudio Hybrido, Jabutipê, Museu do Trabalho, atelier da artista Ana Aita, IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil, Camerata de Música, Alumiar, Arteloja CCMQ e Comunidade Utopia e Luta, que passam a abrir aos sábados, das 14h às 18h. Os circuitos começam sempre pela Casa M, no começo da tarde. Lá, o público encontra todas as informações disponíveis sobre esses locais em um mapa.
Ás 16h, o espaço em volta da mesa se transforma em ponto de encontro de artistas, vizinhos e visitantes no Chá da Casa. No mesmo horário, os participantes da oficina do Teatro Geográfico apresentam o resultado de uma semana de atividades para o público.
Entre as atrações permanentes que podem ser visitadas na Casa M, está a Vitrine, um espaço experimental que abriga, a cada mês, uma pequena exposição de um jovem artista, com uma obra criada especialmente para o contexto da casa. O artista do mês é Rommulo Conceição, que cria ambientesdeformados, lugares desconcertantes, ainda que impecavelmente bem acabados e muitas vezes funcionais. À primeira vista inquestionáveis, nossas ideias e percepções sobre espaços cotidianos são colocadas em xeque pelas criações do artista, sejam elas fotografias, desenhos, objetos ou instalações. Ao aproximar realidades tão distintas quanto uma cozinha e um banheiro ou um cinema e um supermercado, Rommulo embaralha construções identitárias aparentemente fixas. Saiba mais sobre o artista em http://rommulo.com. Para a Vitrine da Casa M, Rommulo criou uma peça – meio objeto, meio lugar – que condensa fragmentos da arquitetura da casa. A próxima artista a ocupar o espaço é Glaucis de Moraes, com aberturaprogramada para o dia 29 de oubro.
Além dessas atividades, o ciclo de cursos de formação de professores da 8ª Bienal do Mercosul segue acontecendo na Casa M, destinado a professores de qualquer área, interessados e participantes do curso de mediadores da 8ª Bienal. As inscrições são gratuitas, através do email professor@bienalmercosul.art.br e também pelos telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519. A programaçãocompleta dos cursos e suas ementas podem ser encontradas no site http://www.bienalmercosul.art.br/casam. Os cursos são ministrados pelos educadores André Rocha, Diana Kolker, Estêvão Fontoura e Jorge Bucksdricker.
Também vale a pena conferir as três obras especiais que estão permanentemente em exposição: na Sala de Leitura encontra-se uma peça de mobiliário multiuso criada por Daniel Acosta, uma instalação de Fernando Limberger está exposta no pátio e a campainha da porta deentrada é obra de Vitor Cesar.

Programação da semana – de 17 a 22 deoutubro
Vitrine – Rommulo Conceição
Instalações permanentes – obras de Daniel Acosta, Fernando Limberger e Vítor César

17 de outubro – segunda
9h – Oficina – A Casa como moldura de cena | TeatroGeográfico
18h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | Dois andares – Marcio Schoenardie

18 de outubro – terça
12h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | Teatro de Titãs – Fernando Belens

19 de outubro – quarta
9h – Oficina – A Casa como moldura de cena | TeatroGeográfico
18h30 – Mostra de vídeos -Fronteiras do Pensamento | De volta ao quarto 666 – Gustavo Spolidoro

20 de outubro – quinta
12h30 – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | What are you looking for? – Camila Gonzatto
19h – Conversa com artistas da Bienal – Fabio Morais e Pedro Palhares

21 de outubro – sexta
9h – Oficina – A Casa como moldura de cena | TeatroGeográfico
14h às 17h – Formação de Professores – A cidade como suporte| Estevão Haeser e JorgeBucksdricker
18h30 às 20h – Mostra de vídeos – Fronteiras do Pensamento | O passageiro obscuro – Davi Pinheiro
19h – Duetos – Carla Borba e Yanto Laitano

22 de outubro – sábado
09h às 12h – Oficina – Geopoética na prática | Michele Zgiet deCarvalho
14h – Especial – Circuito Centro
16h – Especial – Chá da Casa
16h – Mostra de vídeos -Fronteiras do Pensamento | Ensaios Visuais Fronteiras do Pensamento
16h – Performance – Resultados oficina A Casa como moldura de cena | Teatro Geográfico

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas, quartas e sextas, das 12h às 20h | Terças, quintas e sábados, das 09h às 20h | Domingos e feriados, das 14h às 20h
Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel)
CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS
Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
Para cursos de formação de professores: telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519 – professor@bienalmercosul.art.br
www.bienalmercosul.art.br/casam

Santander Cultural promove encontros para pensar a Bienal

A partir da próxima quinta-feira, dia 13 de outubro, o Santander Cultural promove uma série de encontros para ampliar as discussões sobre o tema Ensaios de Geopoética, que norteia a 8ª edição da Bienal do Mercosul. A ideia é promover umbate-papo com profissionais de diferentes áreas que participaram de alguma forma da construção dessa Bienal, promovendo um cruzamento de campos com as artes visuais, e possibilitando o envolvimento do público num processo de reflexão sobre a mostra e as experiências por ela geradas.
Cada encontro traz um convidado, dias 13, 18, 25 e 27 de outubro, sempre das 18h às 20h30, no Grande Hall do Santander Cultural em Porto Alegre, com entrada franca. Os convidados são o arquiteto Luiz Merino – que participou da mostra Cidade Não Vista e o artista, o maestro, músico eprofessor Lucas Brolese – que participou da mostra Cadernos de Viagem, o artista e poeta Jean Sartief – mediador da 8ª Bienal, e o educador Igor Simões – curador educativo do Da Maya Espaço Cultural, que abrigou vários eventos da Bienal em Bagé.
O primeiro encontro, que acontece no dia 13, traz o arquiteto Luiz Merino para falar sobre sua experiência com a mostra Cidade Não Vista, para a qual escreveu os textos históricos sobre os nove locais do centro de Porto Alegre que abrigam obras da Bienal. Os textos estão publicados no catálogo dessaedição.
Para a curadora Fernanda Albuquerque a iniciativa do Santander Cultural é importante porque cria a possibilidade de que o público conheça “olhares próximos da experiência da 8ª Bienal e, ao mesmo tempo, desde um outro lugar”.

Pensando a Bienal com…
Santander Cultural – Grande Hall
Rua Sete de Setembro, 1028 – Centro – Porto Alegre
Das 18h às 20h30
Entrada franca

Luiz Merino – dia 13 de outubro
Arquiteto e urbanista, participou da 8ª edição escrevendo os textos que acompanham as obras da mostra Cidade Não Vista. Merino vai falar sobre sua percepção da mostra e sua relação com a cidade/comunidade
Lucas Brolese – dia 18 de outubro
O maestro e professor de música participou da mostra Cadernos de Viagem como organizador, regente e compositor do Coro de Queixas de Teutônia, projeto dos artistas finlandeses Kochta e Kalleinen, que movimentou a comunidade local nos meses que antecederam à abertura da Bienal. O vídeo do Coro pode ser visto na mostra Cadernos de Viagem, em exibição do Armazém A7 do Cais do Porto. Brolese vai falar sobre estaexperiência.
Jean Sartief – dia 25 de outubro
O poeta e artista visual Jean Sartief é mediador da 8ª Bienal do Mercosul. Vivendo no Rio Grande do Norte, Sartief participou do curso de formação de mediadores através da plataforma de EAD – Ensino à Distância. Sartief vai falar sobre a experiência de estar vivendo no Sul do País durante o período da Bienal, sua percepção como mediador da mostra de Eugenio Dittborn e suas percepções sobre a cidade e a culturalocal
Igor Simões – dia 27 de outubro
Curador Educativo do Da Maya Espaço Cultural de Bagé/RS, Igor Simões vai falar sobre a participação do Espaço e da cidade de Bagé nessa edição da Bienal como instituição parceira, que abrigou diversos projetos que aconteceram na cidade na cidade como a mostra do artista Marcos Sari no projeto Cadernos de Viagem, a exposição itinerante do artista homenageado Eugenio Dittborn, cursos para formação de professores eoficina com o curador pedagógico Pablo Helguera.

Sala Dobradiça de Santa Maria desenvolve ações artísticas com instituições cubanas

A partir do dia 10 de outubro o espaço independente Sala Dobradiça, de Santa Maria, dá sequência ao projeto Continentes, da 8ª Bienal do Mercosul, recebendo as artistas cubanas Dalila Lopéz, do programa de residência artística Batiscafo, e Ada Azor, do coletivo Proyecto Circo, ambos de Havana/Cuba. Os três grupos irão desenvolver uma série de atividades em conjunto durante um período de 17 dias. No dia 10 de outubro, às 19h, uma videoinstalação será apresentada no Espaço Recombinante, no Largo da Gare, em Santa Maria. Intitulada “recomb::in::situ”, trata-se de um “mapeamento de vídeo”, técnica de projeção que permite utilizar elementos arquitetônicos para exibir imagens.
Um dos projetos concebidos pelos grupos de Cuba e Santa Maria, o Doc Móvil, visa disponibilizar informações sobre intervenções urbanas e grupos e espaços independentes que trabalham com videoarte evideoperformance. A documentação pode ser consultada em uma cabine itinerante, que visitará a Escola Estadual de Ensino Fundamental Boca do Monte (dia 13 de outubro), o Centro de Artes e Letras da UFSM (de 18 a 20 de outubro) e o Boteco do Rosário (dia 25 deoutubro).
No dia 15 de outubro, às 19h, no Espaço Recombinante (no Largo da Gare), ocorre a inauguração da exposição InstantoMetrage. A mostra consiste em fotos e cartazes de intervenções realizadas em Havana/Cuba por Batiscafoe Proyecto Circo, além de interferências interiores e exteriores no Espaço Recombinante e projeção de vídeos. Estará aberta ao público até o dia 26 de outubro.
O trabalho em colaboração desenvolvido no projeto Continentes será o tema de um bate-papo no dia 20 de outubro, às 14h, no Centro de Artes e Letras da UFSM. Participam do evento, aberto aopúblico e com entrada franca, as artistas Dalila López e Ada Azor e os integrantes da Sala Dobradiça Elias Maroso e Alessandra Giovanella.
Uma mostra de videoarte com curadoria de Batiscafo e Proyecto Circo ocorre dia 25 de outubro, às 20h, no Boteco do Rosário. Além das exibições, haverá uma conversa sobre as relações entre arte, cultura, política e tecnologia, comparticipação das convidadas cubanas. Dalila e Ada participam de uma outra conversa no dia 26 de outubro, às 19h, no Centro de Ciências Socias e Humanas (antiga Reitoria da UFSM). Dessa vez, o tema abordado será a vivência e as maneiras e de pensar a arte em Cuba e as conexões criadas com a Sala Dobradiça através do projeto Continentes.
Criada em 2009, a Sala Dobradiça está composta por artistas e produtores culturais interessados em modelos alternativos de exposição e no uso de espaços públicos. Suas ações contemplam procedimentos, conceitos e estratégiasque incluem o espaço como um meio dentro do pensamento artístico, revisando continuamente os limites e as convenções entre prática e curadoria. O espaço de Santa Maria participou da 7ª Bienal do Mercosul, no Programa de Residências Artistas em Disponibili­dade. Integram a Sala Dobradiça: Elias Maroso, Alessandra Giovanella, Desirée Tibola, Aloísio Licht, Gabriel Araújo, Adonai Schlosser eMarcos Benedetti.
O Batiscafo surgiu em 1997 como uma iniciativa promovida por artistas junto com estudantes e professores do Instituto Superior de Arte de Havana. Projeto único nesse gênero em Cuba, seu programa de residências tem como objetivo principal ointercâmbio cultural entre artistas de diferentes nacionalidades, para estimular o diálogo como fonte de novas ideias e possibilidades de experimentação. Esse projeto não conta com um espaço fixo de exposição e privilegia, mais que o resultado da obra artística, o processo de trabalho realizado durante as residências que organiza. Patrocinado pelas Fundações Hivos e Doem de Holanda, o Batiscafo forma parte do Triangle Arts Trust, uma rede internacional de programas de residência, com sede noCentro de Arte Gasworks, em Londres, Inglaterra. http://www.batiscafo.org/
O Proyecto Circo nasceu em 2003, inicialmente ligado ao Batiscafo, como uma plataforma nômade, de caráter híbrido, experimental e interativo que articula o vídeo com a performance, comestratégias de arte relacional, de arte de ação e com intervenções urbanas. Sua intenção centra-se em propiciar, a partir da prática artística, uma dinâmica de intervenção no espaço cotidiano e um diálogo capaz de mobilizar o pensamento analítico-artístico junto ao prazer e ao entretenimento. http://www.proyectocircocuba.org e http://proyectocircocuba.blogspot.com.
O projeto Continentes da 8ª Bienal do Mercosul tem como objetivo fortalecer a rede de espaços artísticos independentes através da troca de experiências relacionadas aosprocessos de criação curatorial e artística. Para tanto, a Bienal convidou seis espaços independentes estrangeiros para realizar um período de residência em espaços com as mesmas características em Porto Alegre, Santa Maria e Caxias do Sul. A ideia é promover a colaboração e o intercâmbio entre eles, com o desenvolvimento projetos artísticos, exposições e atividades em conjunto. Além das parceriasda Sala Dobradiça com Planta Alta (Assunção/Paraguai), Batiscafo e Proyecto Circo, o projeto Continentes contempla encontros de espaços independentes no Atelier Subterrânea, de Porto Alegre – que recebe o ceroinspiración (Quito/Equador) e o Diablo Rosso (Cidade do Panamá/Panamá) – e no NAVI – Núcleo de Artes Visuais, de Caxias do Sul – onde o lugar a dudas (Cali/Colômbia) e a KIOSKO galería (Santa Cruz de la Sierra/Bolívia) participam de residências.

Abertura da exposição recomb::in::situ – Noisy Loops (Moysés Lopes) e Jovem Palerosi (Youngman)
Dia 10 de outubro – Espaço Recombinante – Largo da Gare – Horário: 19h

Doc Móvil
Dia 13 de outubro – Escola Estadual de Ensino Fundamental Boca do Monte – 7º Distrito de Santa Maria – Boca do Monte – Rua Presidente Vargas, s/nº – Visitação: das 8h às 12h
De 18 de outubro a 20 de outubro
Centro de Artes e Letras/ UFSM – Av. Roraima, 1000 – Prédio 40, Sala 1212 – Cidade Universitária – Bairro Camobi – Visitação: das 8h30 às 12h e das 14h às 18h
25 de outubro – Boteco do Rosário – Rua do Rosário, 400 – Horário: 20h

Abertura da exposição InstantoMetrage
15 de outubro – Espaço Recombinante – Largo da Gare – Horário: 19h
Em exibição até 26 de outubro, das 9h às 12h e das 15h às 19h, sábados e domingos das 15h às 19h.

Mercado das Pulgas – Compra, venda, troca e bate-papo com as artistas Dalila López e Ada Azor
16 de outubro – Espaço Recombinante – Largo da Gare – Horário: 15h

Debate Batiscafo e Proyecto Circo com Sala Dobradiça
20 de outubro – Centro de Artes e Letras/ UFSM – Av. Roraima, 1000 – Prédio 40, Sala 1212 – Cidade Universitária – Bairro Camobi – Horário: 14h

Lançamento do livroEstratégias Expansivas: Publicações de Artistas e seus Espaços Moventes, de Michel Zózimo da Rocha
O livro apresenta uma pesquisa sobre publicações e múltiplos de artistas, abordando tra­balhos com tiragem em meio impresso que se utilizam de veículos e formatos pré-existentes, tais como o livro, a re­vista, o jornal e a cédula. A publicação traz também uma série de entrevistas com artistas e pesquisadores que investigam o meioimpresso no campo artístico atual: Amir Brito, Regina Melim, Paulo Silveira, Cristina Freire, Maria Ivone dos Santos, Cristiano Lenhardt. Publicação contemplada pelo Edital Bolsa Funarte de Estímulo à Produção Crítica em Artes Visuais, Brasil, 2010
21 de outubro – Espaço Recombinante – Largo da Gare – Horário: 19h

Mostra de videoarte com curadoria de Batiscafo e Proyecto Circo
25 de outubro – Boteco do Rosário – Rua do Rosário, 400 – Horário: 20h

Conversa – Arte, Cultura e Política em Cuba
26 de outubro – Auditório do Centro de Ciências Sociais e Humanas – antiga Reitoria da UFSM
Rua Floriano Peixoto, 1184 – Horário: 19h

Festa de encerramento
26 de outubro – Boteco do Rosário – Rua do Rosário, 400 – Horário: 22h

Casa M oferece workshop para jornalistas da área cultural e críticos de arte

No dia 24 de outubro, segunda-feira, das 14h às 17h, acontece na Casa M o workshop Perspectiva Histórica da Crítica de Arte, promovido pelaAICA – Associação Internacional de Críticos de Arte. A oficina terá três etapas: num primeiro momento, os ministrantes apresentarão as perspectivas históricas da Crítica de Arte em diferentes tradições (européia, latino-americana, africana). O segundo momento será reservado à discussão Tempos globais: Crítica e Curadoria no presente. A terceira e última etapa é prática e os participantes farão um exercício sobre questões de críticas no projeto da Bienal do Mercosul.
O evento é coordenado por Lisbeth Rebollo Gonçalves, presidente da ABCA – Associação Brasileira de Críticos de Arte e terá como ministrantes Yacouba Konate – Presidente da AICA, crítico e professor, Haydée Venegas –Diretora Tesoureira da AICA, crítica e professora de História da Arte, Brane Kovic – Diretor Secretário Geral, critico e curador independente, Henry Meyric-Hughes – crítico, curador independente, ex-presidente da AICA e Susana Sulic – AICA França.
São 25 vagas disponíveis destinadas a profissionais atuantes na imprensa cultural, críticos de arte e estudantes. As aulas serão ministradas em inglês ou espanhol e as inscrições são gratuitas através do email oficinascasam@bienalmercosul.art.br

Sobre a AICA – Associação Internacional de Críticos de Arte é uma Organização Não-Governamental, fundada em 1950, sob patrocínio da UNESCO. O objetivo da instituição é apoiar a crítica de arte em todas as formas pelo mundo. Seu escritório, sediado em Paris, representa e promove as atividades de mais de 4500 membros, divididos em 63 diferentes áreas ao redor do mundo. A AICAtambém vai promover o Prêmio de Incentivo aos Jovens Críticos, cujo tema será a Bienal do Mercosul. Destinado a jovens críticos de arte da América Latina, o prêmio está com inscrições abertas até 30 de dezembro. Informações pelo email: aica.office@gmail.com.

Workshop Perspectiva Histórica da Crítica de Arte
Promovido pela AICA – Associação Internacional de Críticos de Arte
Segunda-feira, 24 de outubro, das 14h às 17h
Público alvo: profissionais de imprensa da área cultural, críticos de arte e estudantes
Inscrições gratuitas pelo email oficinascasam@bienalmercosul.art.br. 25vagas

Casa M
Horários de funcionamento: Segundas, quartas e sextas, das 12h às 20h | Terças, quintas e sábados, das 09h às 20h | Domingos e feriados, das 14h às 20h – Rua Cel. Fernando Machado, 513 – Centro (em frente à escadaria da Rua João Manoel) – CEP 90010-321 – Porto Alegre – RS / Todas as atividades são gratuitas
Para oficinas, inscrições pelo email: oficinascasam@bienalmercosul.art.br
Informações: telefone 51 3519 7109 – casam@bienalmercosul.art.br
Para cursos de formação de professores: telefones (51) 3254 7517 e 3254 7519 – professor@bienalmercosul.art.br
http://www.bienalmercosul.art.br/casam

%d blogueiros gostam disto: