Revelações: o objeto como múltiplo de identidade

Água, Alegria e Drama – 3ª Bienal B

O Fio Condutor da Diversidade

Quadros por Quadra

Mais Parede, Mais Pintura / Delphus

Fragmentos e Reflexos – Grupo naipe

O Grupo naipe, coletivo de intervenções e performances artísticas, desde 2008 participa de diversas atividades relacionas à arte e a cultura de Porto Alegre. Nesta edição do evento da Bienal B, o grupo apresenta a performance Fragmentos e Reflexos em um dos espaços mais belos da Redenção. O Recanto Europeu possui uma arquitetura inspiradora. O corredor principal de colunas servirá como local de investigação da ação.

Pedaços de vidros pendurados. Um som distorcido no ar. Duas mulheres. Cada uma no extremo do corredor. Cada uma no seu universo. Movimentos. Como se relacionam com suas imagens? Como sustentam suas afirmações? Negações? Determinar caminhos, fazer escolhas, desapegar e enfrentar novos olhares. Reações aos momentos de transições. Percurso fragmentado. Extremos representados atuando na busca de um equilíbrio, um novo olhar.

www.gruponaipe.blogspot.com

Cotidiano

Linhas de Trabalho / Cubo 4

Paisagens Transitórias, Pinturas Encontradas

Coletivo arq_tipo / Bienal B

Piscina / Gravura Galeria

Os Hereges e as Nações Desunidas

Trabalhos para Porta-Retratos / TCE-RS

3ª Bienal B

Bienal B teve sua 3ª edição lançada no dia 21 de outubro

Há três edições, um grupo em torno de 250 artistas, heroicamente, oferece suas obras à exposição em diversos espaços de Porto Alegre.  Há três edições, uma média de 30 espaços, públicos e privados, abre suas portas e abriga grupos de artistas, que fazem uma proposta artística apropriada para cada lugar escolhido, possibilitando a abertura e oxigenação do ambiente cultural e artístico da nossa cidade.Há três edições, não temos patrocínio de nenhuma empresa, não recebemos dinheiro – apesar de termos tido o benefício da Lei Rouanet em 2009 e 2010, nenhuma das empresas consultadas se interessou.

Mas, com recursos próprios e com a imensa boa-vontade de todos os envolvidos, voltamos! Com o disparo para 30 aberturas de exposições abarcados em 54 dias (www.bienalb.org/2009/abertura/cronograma), buscamos fomentar a união e a positividade das ações artísticas!

Afirmando que não há um tipo “melhor de arte”, a Bienal B quer a inclusão de todas as manifestações. Assim, pode-se discutir, argumentar e articular entre o que foi visto e produzido. Consideramos que o artista é um co-curador e que tem autonomia para eleger seu tema, abordagem e procedimentos com o seu grupo, sem deixar de lado um ponto importante: prezamos a qualidade artística.

Maiores informações em: www.bienalb.org

jE LE PAIS PAR COEUR

Do Azul ao Marrom – vestígios e projeções

A Cor como Experiência Estética / Nieto Galeria

Ío – Livro das Tentações

Empilháveis III / IAB

Intimidades

%d blogueiros gostam disto: