Estratégias Curatoriais / Paço das Artes

15

Anúncios

Diálogos Contemporâneos: Encontros com a Arte / MAC Niteroi

securedownload

Curso Organização do Artista Plástico / Atelier LIvre

cartaz-org-profissional-2014-seg-semestre

28º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre

unnamed1212

Minicurso sobre Arte Contemporânea / Paço das Artes

unnamedmm

Gravura em Metal para Iniciantes / Paço das Artes

unnamed

Palestra com Artistas Chineses / Institutode Artes daUFRGS

Palestra artistas chineses

Workshop de Escultura / Paço das Artes

unnamed555

Oficina de Curadoria / Subterrânea

10330403_640172812716475_2846808511582548243_n

Cursos – Inscrições Abertas / Museu da Imagem e do Som

Edição de Curtas_Estúdio de Som

Leitura de Imagens na Arte Contemporânea / Paço das Artes

unnamed333

Residência Artística / Mamute Galeria

videoresidencia dia 1 - divulgação Galeria Mamute

Porto Alegre, 4 de fevereiro de 2014 – O ano começa com o principal projeto que a Mamute realiza em 2014: Vídeoresidência Território Expandido.  Trata-se do primeiro projeto de residência artística da Galeria Mamute concebido com o objetivo de abrir espaço de pesquisa e criação a projetos de videoarte.  Esta primeira edição, com lançamento em 13 de fevereiro, integra o Edital Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10ª Edição, que a Galeria venceu em 2013.  Todo programa tem duração de seis meses.

                Vídeoresidência Território Expandido propõe um espaço de inter-relações entre artistas e regiões do Brasil, no intuito de estimular a troca de conhecimento entre as diferentes produções. Durante 15 dias, em diferentes períodos, cada grupo de artistas–residentes dos estados de Alagoas, Minas Gerais e Rio de Janeiro convivem para compartilhar experiências e criar obras em vídeo com artistas gaúchos membros do Núcleo de Vídeo RS. Os grupos são: Walter Karwatzki (RS) e Alice Jardim (AL); Andreia Vigo (RS), Adriana Tabalipa (RJ) e Roderick Steel (RS | artista convidado); Nelton Pellenz (RS) e Joacélio Batista (MG).

Iniciativa contempla ainda: Mostra com curadoria de Solange Farkas (Presidente e curadora da Associação Cultural da Associação VídeoBrasil), junto com Exposição dos videoresidentes que traz Niura Borges na curadoria (Diretora da Galeria Mamute); Exposição com curadoria de André Parente (Prof. Dr pesquisador UFRJ); palestras com Solange Farkas, Lucas Bambozzi e Orlando Maneschy e produção de DVD e catálogo.

Calendário dos artistas-residentes

1ª dupla: Walter Karwatzki (RS) e Alice Jardim (AL) – 1º a 15 de fevereiro (FOTO)

2ª dupla: Andreia Vigo (RS), Adriana Tabalipa (RJ) e Roderick Steel (RS | artista convidado) – 15 a 29 de março

3ª dupla: Nelton Pellenz (RS) e Joacélio Batista (MG) – 05 a 19 de abril

Adriana Tabalipa (vem do RJ) – Nasceu em Curitiba, em 1972. Adriana realiza exposições individuais desde 1994, em cidades como Buenos Aires, Rio de Janeiro, Distrito Federal, entre outros. Além disso, a artista já recebeu diversos prêmio por sua produção, como o 1º Prêmio no 25º Salão de Arte de Ribeirão Preto, em São Paulo, Menção Honrosa, na Universidarte IX, Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, e o Prêmio Rio de Artes Visuais, pela British Council Cultura Inglesa EAV Parque Lage, em Londres, Grã Bretanha.

Alice Jardim (vem de Alagoas) – Realizadora audiovisual, fotógrafa, designer, cineclubista e arquiteta urbanista graduada pela Universidade Federal de Alagoas (2007). Integra o cineclube e coletivo de experimentação audiovisual Tela Tudo, bem como o Grupo de Pesquisa Estudos da Paisagem (UFAL), onde coordena o núcleo audiovisual do Laboratório de Criação Taba-êtê, responsável pela realização de documentários e outros produtos audiovisuais acerca de patrimônio imaterial e paisagens urbanas. Site: www.alicejardim.art.br

Andreia Vigo (Porto Alegre) – Nasceu em 1975 e vive em Porto Alegre. É curadora, artista visual, diretora de arte, produtora e diretora de cinema. Formada em Comunicação Social (Rádio e Televisão), pela Universidade Federal do Mato Grosso, tem mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de filmes e documentários, festivais e mostras de cinema, exposições de arte e eventos multimídia. Integrante do Núcleo de Vídeo RS.

Joacélio Batista (vem de Minas Gerais) – Nasceu em Ponte Nova, no estado de Minas Gerais. Participou de mostras coletivas como 8th Berlin International Directors Lounge – The festival for contermporary media and film, em Berlim, Alemanha; Oslo Screen Festival 2012, em Oslo, Noruega; Mostra do Filme Livre 2012, no Rio de Janeiro; Métodos Empíricos para a Extração (ou Contrução) de uma forma -Galeria Celma Albuquerque, em Belo Horizonte; R.A.T. Residencias Artísticas Por Intercambio, no México, entre outros.

Nelton Pellenz (Porto Alegre) – Nasceu em São Paulo das Missões, no Rio Grande do Sul. Graduou-se em Administração pela UFSM e pós-graduou-se pela UFRGS e pela ULBRA. Realizou as exposições individuais Conjunto Habitacional, pelo 2º Prêmio IEAVi, na Fotogaleria Virgílio Calegari e Fiat Lux, na Galeria Lunara, ambas em Porto Alegre, em 2013. Entre as principais exposições coletivas, estão: FONLAD # 09, Festival Internacional de Artes Digitais, em Coimbra, Portugal, VI Festival de Vídeo Arte de Barcelona, na Espanha entre outras. Integrante do Núcleo de Vídeo RS.

Roderick Steel (Porto Alegre) – Nasceu em Porto Alegre. Sua formação acadêmica passa pela Universidade de Winchester, Inglaterra. Graduação em Cinema pela Universidade de Boston, E.U.A, 1991 (Distinção 1990-1991) e, atualmente, o Mestrado (Meios e Processos Audiovisuais). Escola de Comunicações e Arte. ECA-USP (previsto para 2015). Seu trabalho não privilegia um suporte ou técnica, e os diálogos com mídia móvel, pintura, instalação, cinema e fotografia estão sempre em processo de per laboração. Abriu o Festival Cultura Inglesa em 2002, e participou de Mostras: no Paço das Artes em 2007 (São Paulo), na Bienal Ventosul em 2009 (Curitiba), foi vencedor do Arte.mov em 2010 (São Paulo), seleção oficial do 17º Videobrasil em 2011, e Kunstfilmtag (Alemanha), SESSIF (Coréia), Madatac (Espanha), e VideoMedeja (Sérbia) em 2012. Participou de festivais etnográficos na Dinamarca e Itália, e de cinema e arte contemporânea.

Walter Karwatzki (Porto Alegre) – Nasceu em Maceió, em 1959. Atualmente, vive e trabalha em Porto Alegre. Fotógrafo Autodidata. Mestre em Geografia pela UFRGS. Membro do Comitê de Curadoria do Museu de Arte Contemporânea do RS e Coordenador de Projetos Culturais do IFRS.Entre as mostras individuais destacam-se: Folia dos Papangus de Bezerros, em Porto Alegre, e Um Olhar Atrás das Cores, em Maceió. Recebeu os prêmios: VI Concurso Internacional de Fotografía de la Red Merco-ciudades, na Argentina, e III Prêmio Artes Visuais João Simões Lopes Neto, em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Integrante do Núcelo de Vídeo RS.

 Sobre o programa de atividades do projeto Videoresidencia Território Expandido:

Palestras

1ª palestra: Lucas Bambozzi – 29 de março | Santander Cultural

Posição do artista diante da produção em Videoarte.

www.lucasbambozzi.net

www.artemov.net

www.labmovel.net

2ª palestra: Orlando Maneschy – 26 de abril | Santander Cultural

A produção em Videoarte.

                Sobre o ministrante: Artista, curador independente e crítico. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo e mestre com habilitação em Artes pelo mesmo programa. É professor da FAV/UFPA na graduação e pós-graduação. Em 2007 lançou o livro Seqüestros: imagem na arte contemporânea paraense. Dentro de suas ações há a criação e articulação do Mirante – Território Móvel, que é uma plataforma de ação ativa que viabiliza proposições de arte na cidade de Belém. EM 2008 recebeu Bolsa Funarte de Estímulo à Produção Crítica em Artes (Programa de Bolsas 2008). Foi consultor na região norte no projeto Arte no Brasil: textos críticos do século XX / Documents of 20th century Latin American and Latino Art: A Digital Archive and Publications Project, 2008. No final de 2009 lançou o livro JÁ! Emergências Contemporâneas, livro organizado em parceria com Ana Paula Lima com críticos e artistas brasileiros. Realizou, dentre outras, as seguintes curadorias: Perspectivas – Cinco Olhares Sobre a Amazônia, no Mês Internacional da Fotografia de São Paulo, realizado pelo NAFOTO, 1999, SP; O Corpo Sutil das Imagens – Fotografias de Gratuliano Bibas, Museu do Estado do Pará, 2002; Projeto Correspondência, Galeria ArtSpot, 2003, EUA e seu desdobramento na Galeria Gratulino Bibas, 2008, Belém, PA; Entorno de Operações Mentais, Galeria Fidanza, 2006, PA; Quase Pintura, MABE, 2006, PA; Circuito Distinto, MABE, 2006, PA; Seqüestros, Laboratório das Artes – Casa das 11 Janelas, 2007, PA; Contigüidades – dos anos 1970 aos anos 2000 (40 anos de história da arte em Belém), Museu Histórico do Estado do Pará, 2008; Projeto Arte Pará 2008, 2009 e 2010; Amazônia, a arte e Contra-Pensamento Selvagem, (esta última com Paulo Herkenhoff, Clarissa Diniz e Cayo Honorato), dentre outras.

 

3ª palestra: Solange Farkas – 24 de maio | Santander Cultural

Guarda e circulação de conteúdos.

Sobre a ministrante: Solange Farkas é curadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil. Criou o Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, que completou trinta anos em 2013, evento que tem sua curadoria-geral e que se tornou referência para a produção artística do Sul geopolítico do mundo (África, América Latina, Leste Europeu, Oriente Médio, parte da Ásia e Oceania), além de ter trazido nomes de peso da arte internacional, como Akram Zaatari, Bill Biola, Gary Hill, Peter Greenaway, Marina Abramovic, Olafur Eliasson e Walid Raad.

 

Exposições

Exposição com a temática “Giro” – Curadoria André Parente

Dia 09 de abril | abertura | Galeria Mamute

O “Giro” é o tema desta proposta de exposição por acumular alguns “significados” que são expressos pelas obras apresentadas. O giro tem haver aqui com uma suspensão da ação, algo que nos faz refletir sobre o que se repete sem cessar e que, ao se repetir, se diferencia: um ritornelo, um pensamento, uma meditação, uma sensação, uma imagem em “loop”. A exposição propõe um percurso aos visitantes por espaços gerados por imagens que não são apresentadas como meras projeções, mas como situações, ou seja, como uma atmosfera em que nossa presença parece o centro do que vemos.

Os artistas que compõem a mostra já expuseram seus trabalhos em grandes instituições e eventos, no Brasil e no exterior. Eles costumam utilizar suportes e técnicas diversas como vídeo, vídeo-instalações, fotografia, dispositivos tecnológicos “high” e “low tech”, performance, objetos, etc. Entretanto, nesta exposição, a maior parte dos trabalhos são híbridos, isto é: estão entre a fotografia e o cinema, o cinema e o vídeo, o vídeo e a instalação, o vídeo e a performance. Ou seja, entre a imagem fixa e a imagem e movimento, a imagem “single channel” e a imagem espacializada, a imagem e o objeto. O que os une é a temática e um certo pensamento do giro como de algo que nos leva ao movimento interior mais do que apenas ao movimento exterior.

Sobre o curador: André Parente é artista e teórico do cinema e das novas mídias. Em 1987 obtém o doutorado na Universidade de Paris 8 sob a orientação de Gilles Deleuze. Em 1991 funda, juntamente com Rogério Luz, o Núcleo de Tecnologia da Imagem (N-Imagem) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Entre 1977 e 2007, realiza inúmeros vídeos, filmes e instalações nos quais predominam a dimensão experimental e conceitual. Seus trabalhos foram apresentados no Brasil e no exterior (Alemanha, França, Espanha, Suécia, México, Canadá, Argentina, Colômbia, entre muitos outros). É autor de vários livros: Imagem-máquina. A era das tecnologias do virtual (1993), Sobre o cinema do simulacro (1998), O virtual e o hipertextual (1999), Narrativa e modernidade (2000), Tramas da rede (2004), Cinema et narrativité (L’Harmattan, 2005), Preparações e tarefas (2007), Cinema em trânsito (2012), Cinema/Deleuze (2013), Cinemáticos (2013), entre outros. Nos últimos anos obteve vários prêmios: Prêmio Transmídia do Itaú Cultural, Prêmio Petrobrás de Novas Mídias, Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, Prêmio Petrobrás de Memória das artes, Prêmio Oi Cultural, Prêmio da Caixa Cultural Brasília.

 

Videoresidência Território Expandido

Curadoria Niura Borges – Dia 14 de maio | abertura|  Galeria Mamute

Lançamento do Catálogo/DVD.

A Mostra contemplará a produção dos Vídeoresidentes que participarão do projeto nos meses de fevereiro, março e abril, resultando em três produções inéditas e coletivas.

Sobre a curadora: Niura Borges é Mestre em Artes Visuais – PPGAVI/UFRGS; Especialista em Poéticas Visuais: Gravura, Fotografia e Imagem Digital – Feevale, Novo Hamburgo, RS; Especialista em Psicopedagogia – CEP/UFRJ. É pesquisadora CNPq PROCESSOS HÍBRIDOS NA ARTE CONTEMPORÂNEA – IA/UFRGS; Pesquisadora CNPq Pesquisas em Artes Visuais. FURG/RS. Em 2008, recebeu o Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, na categoria Mídias Tecnológicas. Atua nas áreas da Produção Cultural, Arte e tecnologia, videoarte, audiovisual documental, experimental e performance. Há 12 anos vem realizando produções no segmento audiovisual, pesquisando processos de criação e produção no campo artístico. Entre suas produções estão: direção e roteiro do documentário audiovisual A Obra Gravada de Pedro Weingartner; produção executiva, direção e roteiro dos documentários audiovisuais Código Pessoal da artista plástica Eliane Santos Rocha; Meus Mortos, Meus Vivos: diálogos com a Gravura e a Memória, da artista plástica Miriam Tolpolar; Entre-Águas: música silenciosa, da artista visual Márcia Rosa; direção e roteiro do documentário audiovisual Núcleo XX Anos, do Núcleo de Gravura do Rio Grande do Sul; direção coletiva, captação de imagens e edição para o documentário audiovisual IAIOO evento comemorativo dos 100 Anos do Instituto de Artes da UFRGS. Produção executiva e direção do documentário Coletânea Processos de Criação- Teresa Poester, que apresenta o processo e a obra, desta artista plástica gaúcha.(em execução). É proprietária do ESTÚDIO GALERIA MAMUTE – espaço de criação, produção e circulação das artes, com foco na videoarte localizado na Caldas Junior, 375. Centro Histórico. Porto Alegre, RS. Diretora do NÚCLEO DE VIDEO RS, centro de formação e difusão das artes do vídeo no Rio Grande do Sul.

 

Mostra com curadoria de Solange Farkas

Dia 14 de maio abertura | Galeria Mamute  – Mostra com obras do Acervo de Videoarte no Brasil.

Sobre a curadora: Solange Farkas é curadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil. Criou o Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, que completou trinta anos em 2013, evento que tem sua curadoria-geral e que se tornou referência para a produção artística do Sul geopolítico do mundo (África, América Latina, Leste Europeu, Oriente Médio, parte da Ásia e Oceania), além de ter trazido nomes de peso da arte internacional, como Akram Zaatari, Bill Biola, Gary Hill, Peter Greenaway, Marina Abramovic, Olafur Eliasson e Walid Raad.

 

Sobre o Estúdio Galeria Mamute

A Galeria Mamute é uma Instituição Cultural de Exposição e formação em Artes Visuais, com foco nas artes do vídeo. Promove exposições, cursos, oficinas, palestras, orientação em vídeo, entre inúmeras ações direcionadas a fomentar a produção,  reflexão, prática nas Artes Visuais e nos seus cruzamentos com as demais criações artísticas contemporâneas. Com proposta inovadora, a Mamute é a primeira Galeria de Arte do Brasil dedicada às artes do vídeo. Desempenha um forte papel na produção de conhecimento, na circulação de obras de arte e  na projeção de artistas do Estado do Rio Grande do Sul.  Neste um ano de existência, conquistou um grande reconhecimento no âmbito cultural sendo contemplada como Destaque em Espaço Institucionalno VII Prêmio Açorianos de Artes Plásticas do Rio Grande do Sul. 

 

Vídeoresidência Território Expandido

Lançamento 13 de fevereiro, às 19 horas

Aberto ao público

Estúdio Galeria Mamute

Rua Caldas Júnior, 375 | Centro Histórico

Porto Alegre | RS 51 3286 2615

www.galeriamamute.com.br

contato@galeriamamute.com.br

 

 

 

Oficina Brinquedos Ópticos como Instrumento Pedagógico / Mamute Galeria

Convite_MailchimpInscrições abertas pelo email contato@galeriamamute.com.br.

Oficina de fotografia de viagem / StudioClio

oficina de fotografia de viagem - francisco marshall - studioclio divulgacao

Nos dias 21 e 28 de janeiro, o StudioClio promove uma oficina de fotografia de viagem. Das 19h30 às 22h, o prof. Francisco Marshall apresenta os fundamentos da fotografia e esclarece suas aplicações em quatro técnicas de fotografia de viagem: paisagem, retrato, retrato com paisagem e museu.

O curso tem caráter teórico e prático, incluindo análise das relações entre história da pintura e fotografia, análise de repertórios e oficina prática. Os participantes receberão manual de bolso, contendo informações essenciais para otimizar as fotografias durante viagens. Ao término do curso, será fornecido certificado de 6h/aula.

Inscrições até o dia 14 de janeiro podem ser feitas pelos valores de R$ 216 (público geral) e R$ 194 (professores e estudantes), a partir do dia 15 de janeiro, os valores passam para R$ 237 (público geral) e R$ 213 (professores e estudantes). A entrada é franca para expedicionários ClioTur  Passagens do Mediterrâneo, mediante reserva. Mais informações pela página www.studioclio.com.br ou pelo telefone (51) 3254-7200.

Francisco Marshall – Licenciado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1988) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1996), Francisco Marshall realizou pósdoutorado na Princeton University (NJ, EUA, 1998), como bolsista Capes-Fulbright, convidado de Peter Brown, e na Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg (Alemanha, 2008-9), como bolsista da Fundação Alexander von Humboldt. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando no Depto. e PPG História (IFCH) e no PPG Artes Visuais (IA). Tem experiência nas áreas de História e de Arqueologia Clássica, com ênfase em História Antiga e Medieval, atuando principalmente em história antiga, arqueologia clássica, museologia, iconologia, estudos do imaginário e história da cultura.

Oficina de fotografia de viagem

Com Francisco Marshall

Dias 21 e 28 de janeiro, terças-feiras, das 19h30 às 22h

StudioClio – Instituto de Arte e Humanismo

Rua José do Patrocínio, 698 – Cidade Baixa – (51) 3254-7200

www.studioclio.com.br

Workshop de Curadoria / Paço das Artes

306

O Barroco Internacional / C/Arte – Museu Mineiro – UFMG

image001

Curso de Estêncil / Paço das Artes

279

Pinhole – Oficina de Fotografia / SESC Contagem – MG

16286_658754724134558_1801026546_n

Projeto de Ocupação a Pipa / Museu de Sustentabilidade da Praça Victor Civita

santa_teresa_nerveux_original_rodolpho_parigi (2) peq

O Museu de Sustentabilidade da Praça Victor Civita é o cenário escolhido para acolher a terceira etapa do “Projeto de Ocupação a Pipa”, que tem início em 12 de junho, com intervenções dos artistas Rodolpho Parigi e Vanderlei Lopes. Com curadoria de Mario Gioia, a intervenção de cada artista terá duração de seis semanas, desde o processo de ocupação até a exposição.

A ocupação de Rodolpho Parigi acontecerá entre 12 de junho e 12 de julho e a exposição, de 17 a 28 de julho. De acordo com a agenda, está prevista a participação do artista em um bate-papo com o curador e o público, no dia 27 de julho.

Já a ocupação de Vanderlei Lopes está programada para o período entre 1º e 30 de agosto e a exposição, entre 31 de agosto e 15 de setembro, com bate-papo marcado para 14 de setembro.

O “Projeto de Ocupação a Pipa” busca intensificar o diálogo com as artes visuais contemporâneas, ampliando a possibilidade de acesso a uma produção antes restrita ao público em geral. Conceitualmente, a proposta é desmistificar a atuação do artista plástico diante do público, promovendo a necessária interação com o espectador para romper a barreira do distanciamento que, muitas vezes, caracteriza os espaços tradicionais de exibição de obras de arte.

A terceira etapa do Projeto tem patrocínio do Grupo CCR (http://www.ccr.com.br) e apoio da Praça Victor Civita (http://pracavictorcivita.org.br). A idealização é do Atelier a Pipa (www.atelierapipa.com.br) e a produção, da Porto das Artes (www.portodasartes.com).

Cronograma das oficinas:

Semana 1 – Referências históricas do desenho
Compartilhamento de imagens| referências bibliográficas| conversa sobre processo de criação e produção artística. Projeção + livros + textos críticos.
13/06 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
14/06 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 2 – Referências do desenho moderno
Compartilhamento de imagens| referências bibliográficas| conversa sobre processo de criação e produção artística. Projeção + livros + textos críticos.
20/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
21/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 3 – Referências do desenho contemporâneo
Compartilhamento de imagens| referências bibliográficas| conversa sobre processo de criação e produção artística. Projeção + livros + textos críticos.
27/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
28/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 4 – Oficina de desenho
Prática de desenho de observação. Ação colaborativa para inventariar as espécies de plantas da Praça Victor Civita. Caneta vermelha + papel + pranchetas.
04/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
05/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 5 – Experiências e aprendizados
Conversa sobre relações entre referências discutidas em encontros anteriores e a produção de cada participante na oficina, critérios e perspectivas para os trabalhos.
11/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
12/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Sobre Rodolpho Parigi: Rodolpho Parigi nasceu em São Paulo, em 1977. Formado em Artes Plásticas pela FAAP, expôs suas obras em renomadas galerias, entre elas a Vermelho e o SESC Pinheiros, em São Paulo, e Abstract Nerveux, em Milão. Desde 2009, dá aulas na Escola São Paulo sobre “As possibilidades da Pintura na Arte Contemporânea”.

De 12/6 a 12/7 – ocupação

De 17 a 28/7 – exposição

 

Sobre Vanderlei Lopes: Vanderlei Lopes nasceu em Terra Boa, Paraná, em 1973. Artista plástico formado pela UNESP, expôs suas obras no Centro Cultural São Paulo, Galeria Virgilio e Centro Cultural Banco do Brasil. No exterior, participou do Loop VídeoArt Barcelona, em 2009, e na cidade do Porto, em 2007, com a exposição individual “Maus Hábitos”.

De 1º a 30/8 – ocupação

De 31/8 a 15/9 – exposição

• SOBRE A PRAÇA VICTOR CIVITA

Projeto pioneiro na América Latina, inaugurada em 2008, a Praça Victor Civita é resultado da iniciativa do Grupo Abril em parceria com a Prefeitura do Município de São Paulo, o Itaú, a Even Construtora e a Petrobrás. A partir de um espaço com aproximadamente 14 mil metros quadrados e área verde com cerca de 80 árvores, a Praça oferece à população um espaço que propõe uma reflexão acerca da preservação ambiental. Também abriga o Museu da Sustentabilidade, instalado no antigo incinerador de Pinheiros, e desenvolve atividades de educação socioambiental, com cursos, palestras e visitas escolares, além de localização privilegiada e de fácil acesso através de transporte público ou carro. A Praça Victor Civita dispõe de um palco para espetáculos com arquibancada coberta para 290 pessoas, onde ocorrem apresentações musicais, passando pelo rock, samba e música clássica, também espetáculos circenses, aulas de arte, yoga e pilates, além de atividades no centro de convivência para a terceira idade (CIIPE). O projeto foi implementado a partir da iniciativa de reviver uma região degradada pelo acúmulo de detritos ao longo dos anos, uma vez que, entre os anos de 1949 e 1989, o espaço funcionou como centro de processamento de resíduos urbanos.Dentro das normas técnicas de acessibilidade, a área conta com uma exposição permanente sobre as formas, materiais e tecnologias empregadas no tipo de reabilitação ambiental do terreno. Além disso, a Praça Victor Civita conta com soluções arquitetônicas de reuso de água, economia energética e projeto paisagístico educativo. A Praça Victor Civita é aberta diariamente, das 6h30 às 19h, e toda a sua programação é gratuita. Para visita de grupos escolares é necessário agendamento. A Praça divulga suas atividades através do site http://pracavictorcivita.org.br e também  nas redes sociais twitter (@pracavc) e facebook (fb.com/pracavictorcivita). No site, o público pode se cadastrar para receber a newsletter da programação.

Rodolpho Parigi: De 12/6 a 12/7 – ocupação / De 17 a 28/7 – exposição

Vanderlei Lopes: De 1º a 30/08 – ocupação / De 31/8 a 15/9 – exposição

Horário: quarta a sexta-feira, das 14h15 às 18h

Horário de funcionamento do museu: das 8h às 18h

Local: Praça Victor Civita | Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros

Ingresso: gratuito

Outras informações: (11) 3031-3689 ou www.pracavictorcivita.org.br

Inscrições para oficinas: (11) 2506-0096 ou email educativo@atelierapipa.com.br

Aula de Desenho em Atelier / Atelier Macaco Branco

947179_10200506577803768_1943006239_n

%d blogueiros gostam disto: