Prêmio Afro 2014 – Oficinas / Casa da Memóia – Casa da Cultura

unnamed6

Anúncios

Diálogos Contemporâneos: Encontros com a Arte / MAC Niteroi

securedownload

XXVIII FESTIVAL DE ARTE CIDADE DE PORTO ALEGRE – informações e inscrições

XXVIII FESTIVAL DE ARTE CIDADE DE PORTO ALEGRE

28 de julho a 01 de agosto de 2014

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE – SECRETARIA DA CULTURA – COORDENAÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS – ATELIER LIVRE XICO STOCKINGER

 

INSCRIÇÕES: 21 a 28 de julho de 2014

A efetivação da inscrição do curso escolhido será mediante pagamento SOMENTE no Atelier Livre Xico Stockinger nos seguintes horários: Manhã: 9h às 12h Tarde: 14h às 18h Noite: 19h às 21h

Valor de R$ 50,00 (cinqüenta reais) por curso.

DESCONTO de 50% para estudantes.

INFORMAÇÕES http://atelierlivre.wordpress.com

(51) 3289 – 80 57 ou 3289 – 80 58 / alivre@smc.prefpoa.com.br

 

Práticas coletivas em Artes Visuais

Pensar a profissionalização do artista plástico é sempre inquietante e cheio de expectativa. Como organizar e pensar esta experiência?

Atualmente vem-se produzindo cada vez mais informações sobre auto gestão, trabalho em rede, ateliês coletivos nas artes visuais, e foi pensando nos coletivos que criamos a programação para o XXVIII Festival de Artes de Porto Alegre, que inclui palestras, cursos, bate papo e exposição para os ateliês locais compartilharem suas experiências e mostrarem os seus trabalho.

Estas iniciativas não são novas. Temos experiências desta natureza que se consolidaram e institucionalizaram ao longo do tempo. O trabalho solidário ou cooperativo já se confirma como um modelo alternativo de produção e circulação para a arte?

Eleonora Fabre

Diretora do Atelier Livre

 

 

EXPOSIÇÃO XXVIII FESTIVAL DE ARTE DE PORTO ALEGRE

Obra dos artistas integrantes dos coletivos participantes

Local: Saguão Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues

Data: 25 a 01 de agosto

 

 

CURSOS

Local: ATELIER LIVRE

28 de julho a 01 de agosto

 

Tarde / 14h às 17h

1-      ACERVO INDEPENDENTE (Porto Alegre – RS) – Cadu Peixoto e Joana Burd – “A nuvem como espaço expositivo: produção e prós produção em Artes Visuais” Debater o que seria uma pós-produção de um objeto artístico, a importância da documentação do processo e os possíveis meios de veiculação on-line e off-line. A oficina tem como objetivo que o participante inicie um projeto para uma futura apresentação.

2-     BANDO DE BARRO (Porto Alegre – RS) – Adriana Deccache e Rodrigo Nuñez – “Provocações sobre produção em grupo: vivência prática de um processo coletivo” Visa desenvolver um trabalho coletivo tendo como objetivo a concepção, reflexão e pesquisa de uma exposição que parta do princípio da visão do todo ao trabalho individualizado.

3-      PROJETO CIRCULAR / FEEVALE (Novo Hamburgo – RS) coordenação Profª. Me. Alexandra Eckert.Usos Práticos da Poética Serigráfica: Impressões para Suportes Bi e Tridimensionais” –A oficina objetiva criar um espaço de interlocução sobre a produção serigráfica através de exercícios práticos em suportes bi e tridimensionais, bem como compreender os diferentes materiais e procedimentos de impressão utilizados na arte contemporânea.

4-      ATELIER MASCATE (Porto Alegre – RS) Tiago Coelho, Régis Duarte, Paulo Brum e Denny Chang – “Falsa Verdade” – As várias etapas de um ensaio fotográfico, da escolha de elenco, produção de locação, figurino e maquiagem dos fotografados. Vivenciar todos os papéis existentes na “cadeia produtiva” de um ensaio ficcional incluindo o processo de edição e finalização do trabalho.

Noite / 19h às 22h

5-      CASA PARALELA (Pelotas -RS) “Proposições Para Circunstancias Expositivas” – Chico Machado, Adriane Hernandez e Thiago Reis – A oficina irá oferecer atividades que possibilitem relações entre objetos em situação expositiva, levando em consideração aspectos visuais como materialidade, função, uso, maleabilidade, desgaste, cor, tamanho e outros, abordando ainda as atribuições de significados advindas da inserção espacial destes objetos. Além das atividades práticas, serão apresentados referenciais teóricos e artísticos.

6- ATELIER D 43 / UFRGS (Porto Alegre – RS) – (29,30 e 31 de julho) Kelvin Koubik e Kjú Galon – “Oficina De Desenho Coletivo” – Em uma construção coletiva, esta oficina busca trabalhar a prática e teoria em desenho, no cruzamento com outras linguagens artísticas – fotografia, vídeo ou escrita.

7- Rafael Sica (Porto Alegre –RS) – “Ilustração em Quadrinhos”

8-      PLATAFORMA ESPAÇO DE CRIAÇÃO (Porto Alegre – RS)Lizângela Torres – “Incursões Noturnas: A Fotografia Em Situações Obscuras” – O espaço noturno como método de construção de um repertório visual através de fotografia, vídeo, texto e objeto. A fotografia será analisada como veículo que possibilita o acesso à noite, zona de indeterminação da qual advém a imagem e pela qual o outro é arremessado na duração fugidia de sua experiência.

 

PALESTRAS – PRÁTICAS COLETIVAS EM ARTES VISUAIS.     

 28 a 31 de julho

Local: Sala Álvaro Moreyra – Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues

19h às 21h

28 de julho – Agenciamento de Experiências Colaborativas no Espaço Universitário

Mediadora: Maria Amélia Bulhões

Palestrantes: Prof. Me Alexandra Eckert (Projeto Circular) e Teresa Poester, Kelvin Koubik e Kjú Galon (Atelier D43)

Serão apresentados relatos das experiências coletivas nas universidades UFRGS e FEEVALE. O Projeto Circular (FEEVALE) tem como questão principal ser um espaço de experimentação e aprofundamento da prática serigráfica, reunindo acadêmicos, professores e egressos dos cursos de Artes Visuais na Universidade Feevale. O atelier D43 (UFRGS) é a consciência do desenho como registro gestual e a preocupação de investigar suas possibilidades em cruzamento com outras linguagens artísticas.

29 de julho – “Práticas coletivas em Artes Visuais”

Palestrante: Maria Amélia Bulhões

“Atelier Livre da Prefeitura: Grupos de Artistas”

Palestrante: Ana Pettini

30 de julho – CURATORIA FORENSERede de Gestões Autônomas em Arte Contemporânea” – Uma importante reflexão sobre as diferentes formas de compreender a noção de autonomia, analisar suas relações e tensões com as instituições artísticas e, através de suas eficiências práticas, apresentando modelos de gestão que operam de forma autônoma na América do Sul. Noções como “cena local” e “gestão independente” vem organizando e potencializando os esforços de artistas e gestores, favorecendo a criação e o fortalecimento de vínculos, gerando acordos táticos e alianças estratégicas.

Mediadora: Maria Amélia Bullhões

Palestrantes: Jorge Sepúlveda (Chile) e Ilze Petroni (Argentina).

Organização: Denis Rodriguez

31 de julho – “Coletivos e Espaços Autogestionados: práticas artísticas na América Latina” – Serão abordados alguns coletivos e espaços observando seus modos de fazer ao atuarem fora dos tradicionais lugares de arte, inventando e ativando outros espaços e possibilidades de ação.

Mediadora: Maria Amélia Bulhões

Palestrante: Claudia Paim

 

 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO E BATE PAPO

Local: Auditório do Atelier Livre

17h ás 19h

28 de julho – “Distensões Da Experiência: A Pintura Como Zona De Aporte” – Clóvis Martins Costa – Apresentação da pesquisa acerca do cruzamento de procedimentos na construção do campo pictórico, através de processos que envolvem a experiência em um território específico e sua distensão através da fotografia e do contato entre superfícies.

29 de julho – ATELIER SUBTERRÂNEA – Lilian Maus (Porto Alegre – RS)O Atelier Subterrânea (gerido por Lilian Maus, Túlio Pinto, James Zortéa, Guilherme Dable e Gabriel Netto) apresenta experiências realizadas ao longo dos oito anos de atividade como espaço artístico independente em Porto Alegre. Na palestra serão enfatizadas as estratégias de sobrevivências, a formação de arquivo, as parcerias institucionais e a formação de redes, além do caráter experimental do espaço.

30 de julho – PLATAFORMA ESPAÇO DE CRIAÇÃOMarcos Sari (Porto Alegre – RS) O encontro se propõe a uma apresentação sobre a recente produção do artista que fará comentários e relações entre as imagens de sua produção permeadas por perguntas e intervenções dos participantes. Ao final será aberta uma conversa sobre percepções individuais.

31 de julho – ATELIER MASCATE Tiago Coelho, Régis Duarte, Paulo Brum e Denny Chang. (Porto Alegre – RS) – O processo criativo do Barraco Estúdio, espaço multidisciplinar que dialoga com a moda, a fotografia, o design e a arte contemporânea. Também será apresentado o processo de curadoria da Galeria Mascate, integrante do estúdio.(Porto Alegre – RS)

 

 ATIVIDADES do Coletivo Contorno: “FRONTEIRA EM CHAMAS”

Local: estacionamento do CMC

15h ás 18h

28 de julho -A normatização de diferentes Estados origina procedimentos conflituosos e de delitos. Tencionaremos as noções de territorialidade e nacionalidade, questionando a validade de códigos e valores locais,  regionais e universais. Multiplicando sonhos de livre circulação e de um maior diálogo de fronteira. Nesse sentido propomos as seguintes atividades e jogos:

1. MALA PERDIDA: Malas serão escondidas no Atelier Livre e mapas com
instruções que serão distribuídos para que sejam encontradas.
2. CADASTRO (pintura com giz) – atividade de contorno de corpos com giz
no piso do estacionamento do Atelier Livre. A ideia é a criação de um
grande painel no chão do estacionamento. A atividade também serve como
requisito para participação em outra atividade, a TRAVESSIA CLANDESTINA;
3. TRAVESSIA CLANDESTINA (penetrável), o trailer Contorno se transforma
num grande penetrável com um paramilitar controlando a entrada dos
participantes, que deverão entrar descalços. Experiência sensorial de se
atravessar uma fronteira clandestinamente.

4. DESENHO DO DESEJO (desenho), o trailer será revestido com desenhos.
Pediremos aos participantes que desenhem um desejo de liberdade. Em
seguida, o desenho é colado no trailer.

01 de agosto – “TRAILER EM CHAMAS” – Atividade SURPRESA de encerramento do festival, o TRAILER EM CHAMAS, onde atearemos fogo no trailer. Experiência sensorial direta de grande impacto visual.

 

LANÇAMENTO DO LIVRO

“Diretório De Gestões Autônomas De Artes Visuais Contemporâneas – Latinoamericano” de Jorge Sepúlveda  e Ilze Petroni

30 de julho

Local : Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues

21h

 

EQUIPE REALIZADORA DO XXVIII FESTIVAL

Coordenação geral: Eleonora Fabre

Chefia da Secretaria: Lucia Demarchi Lautert

Assistente Administrativa: Rejane Santos da Silva

Estagiária: Cláudia Prass

Produção: Alexandre Magalhães e Silva

Auxiliar de Produção: Priscila Moreira

Auxiliar de Secretaria: Enir Elizabeth Freitas

Assessoria de Imprensa: Bebe Baumgarten

Arte gráfica: Malu Rocha

 

Francis Bacon / Paço das Artes

unnamed000

Semana de Museus / Paço das Artes

unnamed12

Museus – coleções criam conexões / 12ª Semana de Museus – SESC Gravatai

12ª Semana de Museus

Serra Gaucha / Santander Cultural

news_serra_gaucha

Oficina de Curadoria / Subterrânea

10330403_640172812716475_2846808511582548243_n

Conexões Globais 2014 / Casa de Cultura Mario Quintana

Conexões Globais 2014 debate as mobilizações sociais na era digital

Evento traz conferências com grandes pensadores e ativistas mundiais, atividades culturais, maratona hacker e oficinas

 

Nos dias 24 e 25 de janeiro, Porto Alegre será palco de um amplo diálogo entre os mais diferentes setores da sociedade em rede. A edição 2014 do Conexões Globais, que ocorre paralelamente ao Fórum Social Temático, reunirá ativistas, gestores públicos, comunicadores e ativistas dos mais diferentes movimentos sociais mundiais para discutir temas como democracia 2.0, Marco Civil da Internet, soberania na rede, cultura digital e mobilização social na era da internet. As atividades acontecem na Casa de Cultura Mario Quintana, com entrada franca.

Como nas edições anteriores, as atividades do Conexões Globais serão transmitidas ao vivo pela internet, com cobertura colaborativa via redes sociais e espaço para ampla participação de internautas. Além dos debatedores presenciais, cada um dos Diálogos Globais traz também um webconferencista, que participará da discussão via web.

Entre os debatedores já confirmados estão o cientista político finlandês Teivo Teivainen, membro fundador do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial e com vários livros publicados; Ahmet M. Ogut, engajado em lutas contra discriminação migratória e a gentrificação urbana de Istambul desde 1990; Bernardo Gutiérrez, jornalista e escritor, fundador da rede fundador da rede FuturaMedia.net  e participante dos movimentos 15M; Bruno Torturra, jornalista e um dos principais porta-vozes da Mídia Ninja (Narrativas Independentes Jornalismo e Ação) e um dos articuladores do movimento Existe Amor em SP, integrante da Rede Pense Livre; Pablo Capilé, um dos principais articuladores da rede sociocultural Fora do Eixo e do NINJA – Narrativas Independentes de Jornalismo e Ação; o professor Sérgio Amadeu, ativista da liberdade na rede e membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil; o pesquisador Fábio Malini, que atua na análise de redes sociais; o produtor do grupo Teatro Mágico, Gustavo Anitelli, um dos porta-vozes do MPB – Música para baixar, que trata do direito de baixar arquivos digitais pela internet; e a pesquisadora Ivana Bentes, da UFRJ, integrante da Rede Fórum de Mídia Livre e com várias pesquisas sobre comunicação, cultura e sociedade em rede. Todos eles trarão seu conhecimento para estimular amplas discussões sobre cultura colaborativa, soberania digital e os protestos auto organizados e interconectados no Brasil e no mundo.

Serão seis debates (três a cada dia), que acontecerão no Teatro Bruno Kiefer, sempre a partir das 14h. Entre os temas que serão discutidos no Conexões 2014, há amplo espaço para os protestos que movimentam vários lugares do mundo – e que agitaram o Brasil em junho do ano passado. Uma das mesas, “Três anos de Revoltas Interconectadas – de Túnis ao Brasil”, tratará justamente das interconexões entre as várias revoltas ao redor do mundo, enquanto o painel “As Jornadas de Junho e o Futuro da Democracia no Brasil” busca entender o que veio (e o que ainda virá) como resultado das multidões que foram à rua no país. Em apoio a essas discussões, “Tecnopolítica dos #ProtestosBR e um Enfoque Global” busca trazer à discussão o uso de ferramentas tecnológicas contemporâneas (como monitoramento, análise de dados e análise cartográfica dos protestos) no estudo dessas novas formas de organização social.

O Conexões Globais também terá espaço para uma das discussões mais importantes da atualidade: “Soberania Digital e vigilância na era da Internet” trará, a partir das denúncias do analista de informação dos EUA Edward Snowden, um intenso debate sobre a vigilância promovida por governos e corporações sobre o cidadão em rede. A lógica desenvolvimentista e o modelo de privatização de espaços públicos também estão na mesa “Espaço público e sociedade em rede”. O diálogo sobre “Cultura de rede, colaborativa e digital” abordará os novos circuitos culturais colaborativos no Brasil, que utilizam a rede para difundir e ampliar a distribuição da megadiversidade cultural brasileira.

Além dos debates, oficinas voltadas para a troca de saberes e a capacitação para o uso de novas mídias, produção e edição multimídia, utilização das ferramentas digitais e estratégias para mídias sociais serão realizadas simultaneamente. Uma intensa programação de atividades culturais e artísticas, como shows musicais e exposição de artes visuais também estão na programação. O coletivo Defesa Pública da Alegria vai coordenar uma série de atividades culturais que ocupará a Travessa dos Cataventos, chamada de Travessa Viva.

No Conexões Culturais, músicos nacionais e internacionais ocuparão o palco do Teatro Carlos Carvalho e do Teatro Bruno Kiefer. Dentre eles, o multiartista uruguaio Dani Umpi, o som “afroprogressivo” do músico mineiro Babilak Bah, a cantora gaúcha radicada em São Paulo (e que há anos não toca em Porto Alegre) Laura Finocchiaro e os portoalegrenses Wander Wildner e a banda Apanhador Só.

Estudantes, jornalistas, ativistas da informação e comunicadores poderão ocupar a Agência de Comunicação Colaborativa – um espaço de trocas e construção coletiva de conteúdos como textos, fotos e vídeos. A ideia é estimular e valorizar a diversidade de opiniões e olhares sobre o evento. A Cobertura Colaborativa também terá um concurso, que vai premiar – com equipamentos tecnológicos que contribuam para a produção de conteúdo multimídia – os melhores vídeos, fotos e textos sobre o evento. O júri será composto por integrantes do governo e da sociedade civil.

Este ano, o Conexões Globais abre as portas para receber programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de software para uma maratona de programação. O objetivo do Encontrão Hacker é desenvolver aplicativos inovadores que ampliem o acesso às informações e dados governamentais. A programação inclui CryptoParty, com dicas para proteger o seu computador e comunicações, e uma Maratona Hacker, destinada a quem busca criar ferramentas para uma sociedade cada vez mais democrática e uma circulação cada vez mais livre de informações.

A programação completa do evento será divulgada a partir do dia 20 de janeiro.

O Conexões Globais 2014 é realizado pela Associação Software Livre com apoio do Governo do Rio Grande do Sul e da Secretaria Geral da Presidência da República.

Conexões Globais 2014

Webconferências, oficinas, shows musicais, atividades artísticas, encontrão hacker, agência de cobertura colaborativa

Dias 24 e 25 de janeiro de 2014, na Casa de Cultura Mario Quintana

Rua dos Andradas, 736 – Centro – Porto Alegre/RS

Horário: sempre a partir das 13h – Entrada Franca

Site: www.conexoesglobais.com.br

Facebook: http://bit.ly/FaceConexoesGlobais

Twitter: @conexoesglobais

Youtube: https://www.youtube.com/user/conexoesglobais

Instagram: instagram.com/conexoesglobais

Google +: https://plus.google.com/103429336625298786563/posts

Flickr: http://www.flickr.com/photos/conexoesglobais2013/

 

Inscrições para as oficinas: são gratuitas através de preenchimento de formulário no site. São 15 vagas por oficina.

Informações para a imprensa

Press kit completo com programação, perfis dos convidados, temas dos debates, perfis dos oficineiros, temas das oficinas, descrição das atividades culturais e perfis dos artistas: http://goo.gl/1of9Pa

Imagens em alta resolução para download e publicação:

http://www.flickr.com/photos/conexoesglobais2013/

Atendimento à imprensa:

Adriana Martorano | jornalista | 51 9213 6558 | adrianamartorano@adrianamartorano.com.br |

Gabriela Gil | assistente | gabrielagil@adrianamartorano.com.br

http://www.facebook.com/adriana.martorano.comunicacao | @MartoranoCom |

 

Conexões Globais – Histórico

Nas edições 2012 e 2013, o Conexões Globais levou aproximadamente 18 mil pessoas à CCMQ. Mais de 150 mil internautas de diferentes partes do Brasil e do mundo assistiram e enviaram suas contribuições via internet. A transmissão online dos Diálogos Globais e das demais atividades teve duração de 53 horas. E cerca de 600 ativistas sociais participaram das oficinas, em um amplo espaço de discussão e construção coletiva.

Entre os debatedores da 1ª edição estiveram Javier Toret (Espanha), Vanessa Zettler (EUA), e Stéphane M. Grueso (Espanha), que conversaram online e ao vivo com os conferencistas Bernardo Gutiérrez (Espanha/Brasil), Cláudio Prado (Brasil), Mario Teza (Brasil), Gilberto Gil (Brasil), entre outros. Na programação cultural, shows de Lirinha, Anitelli Trio, Richard Serraria, Cowboys Espirituais, entre outros, levaram uma multidão ao evento.

Na segunda edição do evento, foram realizados nove diálogos globais com a presença e participação de ativistas, artistas, estudantes, comunicadores, intelectuais e gestores públicos de diversas partes do Brasil e do mundo, que debateram temas como mobilização social na era digital, comunicação, democracia 2.0, cibereducação, direitos civis na internet e liberdade de expressão. Entre os debatedores estiveram Ronaldo Lemos (criador do site Overmundo e coordenador do Creative Commons no Brasil), Natália Viana (fundadora da Agência Pública de Jornalismo), Peter Sunde (fundador do The Pirate Bay), Javier Toret (ciberativista, articulador do movimento 15M na Espanha), Gustavo Anitelli (produtor da banda O Teatro Mágico e integrante do movimento MPB – Música Para Baixar), Franklin Martins (jornalista político), Isadora Faber (estudante criadora do blog Diário de Classe), Antônio Martins (fundador do Le Monde Diplomatique Brasil), Eirikur Bergmann (membro do conselho islandês que elaborou a primeira constituição crowdsourced do mundo), entre outros.

Parada Gráfica / Museu do Trabalho

1456657_10201349460675449_478970938_n

Oficina Arquivo da Realidade Urbana Aumentada / Paço das Artes

312

Arquivo Vivo / Paço das Artes

O Paço das Artes inaugura no dia 1o de outubro (terça-feira), às 19h, a mostra internacional Arquivo Vivo. Organizada pela diretora e curadora do Paço das Artes, Priscila Arantes, a exposição apresenta 22 trabalhos de artistas nacionais e internacionais, divididos em instalações multimídia, projetos em vídeo, arte digital, fotografia, entre outros.

Integram a coletiva nomes como Cristina Lucas (Espanha), Yinka Shonibare MBE (Inglaterra), Nicola Costantino (Argentina), Hiraki Sawa (Japão), Berna Reale (Brasil), Raquel Kogan (Brasil), Marilá Dardot (Brasil), Rosangela Rennó (Brasil), Regina Parra (Brasil), Mabe Bethônico (Brasil), Ivan Navarro e Mario Navarro (Chile), Voluspa Jarpa (Chile), Letícia Parente (Brasil), Paula Garcia (Brasil), Eduardo Kac (USA/Brasil), Rejane Cantoni e Leonardo Crescenti (Brasil), Masaki Fujihata em colaboração com Frank Lyons (Japão), Vesna Pavlović (Sérvia), Christian Boltanski (França), Lucas Bambozzi (Brasil), Pablo Lobato (Brasil), Edith Derdyk (Brasil).

Cristina Lucas, La Liberté Raisonnée, 2009 (still de vídeo, 4 min) baixa

Cristina Lucas, La Liberté Raisonnée, 2009 (still de vídeo, 4 min) baixa

 

Entenda a mostra

A curadoria dialoga com o conceito de “Mal de Arquivo”, proposto por Jacques Derrida, que entende o arquivo como uma operação performática ou como um dispositivo incompleto e, por isso, sempre aberto a novas escrituras. “Artistas que se apropriam de material de arquivo, que criam arquivos fictícios, que desenvolvem projetos a partir de uma modalidade arquival, que reencenam obras de arte, criadores que colocam em debate os processos de catalalogação e arquivamento, e os que incorporam o arquivo no próprio tecido corporal são alguns dos selecionados para Arquivo Vivo”, explica Priscila Arantes.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   A coletiva apresenta a investigação destes criadores a partir de três vetores: arquivo e apropriação de documentos e obras da história e da história da arte; arquivo no corpo e corpo como arquivo; arquivo de artista, arquivo institucional e banco de dados.

A primeira seção reúne projetos que reencenam obras/documentos emblemáticos da história e da história da arte, como, por exemplo, o vídeo La Liberté Raisonné, em que Cristina Lucas faz uma releitura de A Liberdade Guiando o Povo, de Eugene Delacroix, e o trabalho Vera Cruz, de Rosangela Rennó, que dialoga com a carta escrita por Pero Vaz de Caminha sobre o descobrimento do Brasil. É possível destacar também a instalação Cara Metade, da dupla chilena Ivan e Mario Navarro. Os artistas abordam a cooperação militar entre França e Brasil, em especial, em relação às táticas de tortura exportadas da Europa para América Latina via ditadores brasileiros na década de 60. Com a recente abertura dos arquivos políticos, a obra chama atenção por lançar luz a esse período obscuro, que completa 50 anos em 2014.

Já artistas como Letícia Parente e Eduardo Kac são alguns dos que utilizam o corpo como escritura ao incorporarem marcas e indícios de um corpo-arquivo, um corpo-mensagem.  No vídeo Marca Registrada, Parente costura a inscrição Made in Brazil na sola do pé. Kac traz registros da implantação de um microchip com um vídeo de identificação no próprio tornozelo em Time Capsule.Por fim, destacam-se propostas nos quais os artistas colocam em cena arquivos pessoais ou criam complexos sistemas de banco de dados, a exemplo da sequência de fusões de retratos antigos em preto e branco do francês Christian Boltanski na obra Entre-Temps, e Expiração 09, compilado do material do arquivo audiovisual de Pablo Lobato. No início da exposição, um software idealizado pelo artista define o período de existência de cada vídeo aleatoriamente. Todos serão apagados de forma definitiva no fechamento da temporada no Paço das Artes.

Arquivo Vivo encerra a trilogia sobre o tema, abordado pela instituição nos projetos Livro_Acervo (2010), que inclui a enciclopédia Temporada de Projetos 1997-2009, e Para Além do Arquivo (2012-2013), mostra feita em parceria com o Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza (CE).

 

Atividades paralelas

A exposição conta com uma série de mesas redondas com artistas participantes, colecionadores e curadores como Miguel Chaia e Denise Mattar, e exibição de filmes (ver abaixo). Entre eles, Vento de Valls, de Pablo Lobato, e O Dia que Durou 21 Anos, de Camilo Tavares, que aborda os bastidores da participação dos Estados Unidos na execução do golpe militar brasileiro, em 1964.

Haverá, ainda, a oficina Arquivos na realidade Urbana Aumentada (A-RUA), que será ministrada pela artista Suzette Venturelli. A programação prevê também atividades, desenvolvidas pelo Núcleo Educativo da instituição com o objetivo de aprofundar as discussões sobre os assuntos expostos.

 

PROGRAMAÇÃO

MESAS REDONDAS

2/10 (quarta-feira) | O Arquivo na Produção Contemporânea 

19h às 19h40 – Priscila Arantes e Simone Osthoff

20h às 21h30 – Lucas Bambozzi, Rejane Cantoni, Leonardo Crescenti e Raquel Kogan

3/10 (quinta-feira) | O Arquivo na produção contemporânea

19h às 19h40 – Pablo Lobato e Camilo Tavares

20h às 21h30 – Berna Reale, Regina Parra, Marilá Dardot e Edith Derdyk

17/10 (quinta-feira) | Arquivo, Acervo  e Colecionismo

19h30 às 21h30 – Miguel Chaia e Denise Mattar

FILMES

4 / 10 (sexta-feira)

17h – Ventos de Valls, de Pablo Lobato (2013, 83 min, documentário, HD, Brasi)

19h – O Dia que Durou 21 anos, de Camilo Tavares (2012, 77 min, documentário, Brasil)

5 e 6/10 (sábado e domingo)

15h30 – Ventos de Valls

17h30 – O Dia que Durou 21 anos

OFICINA

1º e 2/11 | 14h às 18h | Arquivos na realidade Urbana Aumentada (A-RUA)

A artista Suzette Venturelli ministra oficina em que apresenta ferramentas para a criação de Realidade Aumentada desenvolvida por artistas. Além disso, destaca tecnologias aplicadas na visualização de dados arquivados para o espaço urbano.

NÚCLEO EDUCATIVO

1/10 a 8/12 | Espaço Traduções

Os visitantes poderão adicionar, em um blog criado especialmente para a exposição, fotos, vídeos, depoimentos e outros registros que dialoguem com a ideia de arquivo.

23/11 | 14h às 16h | Paço Criança – Livro de Artista

Pais e filhos poderão criar um arquivo familiar, a partir de suas experiências, invenções e apropriações.

Concepção (Núcleo Educativo do Paço das Artes): Cristiane Ferreira de Almeida, Larissa Buran e Mariana Maia Sesma

(Programação sujeita a alterações)

 

 

EXPOSIÇÃO ARQUIVO VIVO | GRÁTIS

Abertura: 1o de outubro, terça-feira, às 19h

Visitação: 2 de outubro a 8 de dezembro de 2013

Horários: terça a sexta-feira, das 11h30 às 19h | sábados, domingos e feriados, das 12h30 às 17h30

Classificação: Livre

Acesso e elevador para cadeirantes | Ar condicionado | Não tem estacionamento próprio

Na inauguração, haverá o lançamento dos catálogos da Temporada de Projetos 2011 e da 1ª edição da Temporada de Projetos 2013.

 

Paço das Artes

Avenida da Universidade, 1, Cidade Universitária, São Paulo | (11) 3814 4832 | www.pacodasartes.org.br

Processo Criativo em Livro / Tutti Giorni

1209113_3273319568897_1535870589_n

Oficina de Capacitação Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais

 

image001

27º Festival de Arte de Porto Alegre / Atelier Livre – Centro Municipal de Cultura

935810_575115765864754_1530548794_n

Projeto de Ocupação a Pipa / Museu de Sustentabilidade da Praça Victor Civita

santa_teresa_nerveux_original_rodolpho_parigi (2) peq

O Museu de Sustentabilidade da Praça Victor Civita é o cenário escolhido para acolher a terceira etapa do “Projeto de Ocupação a Pipa”, que tem início em 12 de junho, com intervenções dos artistas Rodolpho Parigi e Vanderlei Lopes. Com curadoria de Mario Gioia, a intervenção de cada artista terá duração de seis semanas, desde o processo de ocupação até a exposição.

A ocupação de Rodolpho Parigi acontecerá entre 12 de junho e 12 de julho e a exposição, de 17 a 28 de julho. De acordo com a agenda, está prevista a participação do artista em um bate-papo com o curador e o público, no dia 27 de julho.

Já a ocupação de Vanderlei Lopes está programada para o período entre 1º e 30 de agosto e a exposição, entre 31 de agosto e 15 de setembro, com bate-papo marcado para 14 de setembro.

O “Projeto de Ocupação a Pipa” busca intensificar o diálogo com as artes visuais contemporâneas, ampliando a possibilidade de acesso a uma produção antes restrita ao público em geral. Conceitualmente, a proposta é desmistificar a atuação do artista plástico diante do público, promovendo a necessária interação com o espectador para romper a barreira do distanciamento que, muitas vezes, caracteriza os espaços tradicionais de exibição de obras de arte.

A terceira etapa do Projeto tem patrocínio do Grupo CCR (http://www.ccr.com.br) e apoio da Praça Victor Civita (http://pracavictorcivita.org.br). A idealização é do Atelier a Pipa (www.atelierapipa.com.br) e a produção, da Porto das Artes (www.portodasartes.com).

Cronograma das oficinas:

Semana 1 – Referências históricas do desenho
Compartilhamento de imagens| referências bibliográficas| conversa sobre processo de criação e produção artística. Projeção + livros + textos críticos.
13/06 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
14/06 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 2 – Referências do desenho moderno
Compartilhamento de imagens| referências bibliográficas| conversa sobre processo de criação e produção artística. Projeção + livros + textos críticos.
20/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
21/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 3 – Referências do desenho contemporâneo
Compartilhamento de imagens| referências bibliográficas| conversa sobre processo de criação e produção artística. Projeção + livros + textos críticos.
27/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
28/06 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 4 – Oficina de desenho
Prática de desenho de observação. Ação colaborativa para inventariar as espécies de plantas da Praça Victor Civita. Caneta vermelha + papel + pranchetas.
04/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
05/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Semana 5 – Experiências e aprendizados
Conversa sobre relações entre referências discutidas em encontros anteriores e a produção de cada participante na oficina, critérios e perspectivas para os trabalhos.
11/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30/17h às 18h
12/07 – 14h15 às 15h15/15h30 às 16h30

Sobre Rodolpho Parigi: Rodolpho Parigi nasceu em São Paulo, em 1977. Formado em Artes Plásticas pela FAAP, expôs suas obras em renomadas galerias, entre elas a Vermelho e o SESC Pinheiros, em São Paulo, e Abstract Nerveux, em Milão. Desde 2009, dá aulas na Escola São Paulo sobre “As possibilidades da Pintura na Arte Contemporânea”.

De 12/6 a 12/7 – ocupação

De 17 a 28/7 – exposição

 

Sobre Vanderlei Lopes: Vanderlei Lopes nasceu em Terra Boa, Paraná, em 1973. Artista plástico formado pela UNESP, expôs suas obras no Centro Cultural São Paulo, Galeria Virgilio e Centro Cultural Banco do Brasil. No exterior, participou do Loop VídeoArt Barcelona, em 2009, e na cidade do Porto, em 2007, com a exposição individual “Maus Hábitos”.

De 1º a 30/8 – ocupação

De 31/8 a 15/9 – exposição

• SOBRE A PRAÇA VICTOR CIVITA

Projeto pioneiro na América Latina, inaugurada em 2008, a Praça Victor Civita é resultado da iniciativa do Grupo Abril em parceria com a Prefeitura do Município de São Paulo, o Itaú, a Even Construtora e a Petrobrás. A partir de um espaço com aproximadamente 14 mil metros quadrados e área verde com cerca de 80 árvores, a Praça oferece à população um espaço que propõe uma reflexão acerca da preservação ambiental. Também abriga o Museu da Sustentabilidade, instalado no antigo incinerador de Pinheiros, e desenvolve atividades de educação socioambiental, com cursos, palestras e visitas escolares, além de localização privilegiada e de fácil acesso através de transporte público ou carro. A Praça Victor Civita dispõe de um palco para espetáculos com arquibancada coberta para 290 pessoas, onde ocorrem apresentações musicais, passando pelo rock, samba e música clássica, também espetáculos circenses, aulas de arte, yoga e pilates, além de atividades no centro de convivência para a terceira idade (CIIPE). O projeto foi implementado a partir da iniciativa de reviver uma região degradada pelo acúmulo de detritos ao longo dos anos, uma vez que, entre os anos de 1949 e 1989, o espaço funcionou como centro de processamento de resíduos urbanos.Dentro das normas técnicas de acessibilidade, a área conta com uma exposição permanente sobre as formas, materiais e tecnologias empregadas no tipo de reabilitação ambiental do terreno. Além disso, a Praça Victor Civita conta com soluções arquitetônicas de reuso de água, economia energética e projeto paisagístico educativo. A Praça Victor Civita é aberta diariamente, das 6h30 às 19h, e toda a sua programação é gratuita. Para visita de grupos escolares é necessário agendamento. A Praça divulga suas atividades através do site http://pracavictorcivita.org.br e também  nas redes sociais twitter (@pracavc) e facebook (fb.com/pracavictorcivita). No site, o público pode se cadastrar para receber a newsletter da programação.

Rodolpho Parigi: De 12/6 a 12/7 – ocupação / De 17 a 28/7 – exposição

Vanderlei Lopes: De 1º a 30/08 – ocupação / De 31/8 a 15/9 – exposição

Horário: quarta a sexta-feira, das 14h15 às 18h

Horário de funcionamento do museu: das 8h às 18h

Local: Praça Victor Civita | Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros

Ingresso: gratuito

Outras informações: (11) 3031-3689 ou www.pracavictorcivita.org.br

Inscrições para oficinas: (11) 2506-0096 ou email educativo@atelierapipa.com.br

11ª Semana de Museus – Oficina de Fotografias – Nucleo Educativo / Museu da Imagem e do Som

228

Projeto Vizinhança – Agenda

578595_260664874069025_781447675_n

Cursos KRAPOK Espaço de Arte

cursos krapok 2013 f cursos krapok 2013 v

 Inscrições: www.krapok.com.br  – Fone: Fone – 3212 2869

Oficinas de Video Mapping / Barraco Estúdio – Galeria Mascate

69278_387022924730283_1025212606_n

%d blogueiros gostam disto: