Landscape / Centro Cultural Benfica – IAC – UFPE

flyer_landscape

seminário de Integração Cultural Brasil – Uruguai / Biblioteca Pública de Jaguarão-RS

image006image007

Contexto Cultural, Atuação Artística, Espaços Expositivos / Centro de Artes UFPel – Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo

1378408_520936727990465_352100924_n

1º Simpósio de Artes Visuais / PPG-UFPel

976224_583354308353167_99862076_o

Lançamento e Palestra do Livro Táticas de Artistas na América Latina – Claudia Paim / FURG – UFPel

FURG_UFPEL_LIVROPAIM

Confirme a sua presença pelo Facebook:

FURG / UFPel

Processo Seletivo para Mestrado em Artes Visuais / PPGAV – UFPel

mestra%20av[10]

Arqueologias e Bichos / Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo – UFPel

Seminário Memórias do Ensino da Arte na UFPel: Artes Visuais e Música

Travessias / A Sala galeria – UFPEL

Aula Inaugural com Regina Silveira – Mestrado em Artes Visuais / UFPel

Paralelo 31 / UFPel – MALG

Arte Moderna no Brasil / UFPel – C/Arte

Metamorfoses e Heterogonias / Galeria do Centro de Artes da UFPel

O artista plástico Walmor Corrêa, que é natural de Florianópolis e radicado em Porto Alegre, já participou de grandes mostras de arte contemporânea, inclusive as concorridíssimas Bienal Internacional de São Paulo e a Bienal do Mercosul.
É através da técnica da taxidermia e da pintura que o artista inventa seres híbridos. Poderíamos conceber tais criaturas, com corpo de pássaro e cabeça de rato, habitando nossa fauna? Há também figuras do folclore brasileiro e personagens de histórias em quadrinhos (como o Pinguim, inimigo do Batman) que aparecem dissecados em forma de belas e minuciosas pinturas. Utilizando várias técnicas extremamente elaboradas, Walmor Corrêa nos coloca em um ambiente lúdico, fantasioso e real ao mesmo tempo: ele nos faz ver para crer ou, ao contrário, crer para ver! A exposição do artista nos remete aos antigos gabinetes de estudos da biologia.
Obras de fascinar os olhos e fazer com que o observador solte sua imaginação com tais criaturas de um mundo bizarro, mas de surpreendente beleza.
O texto que apresenta a exposição é do escritor Donaldo Schüller.
A organização e a curadoria da exposição é do bacharelando do 6° semestre de Artes Visuais, Tigo Weiler, que foi convidado a exercitar a prática profissional, abrindo caminho em seu currículo para essa possibilidade de atuação no campo da arte.
Haverá conversa aberta com o artista no dia 14 de outubro, às 10h30, no auditório do Centro de Artes da UFPel.

Foto: Letícia Remião

“Metamorfoses e Heterogonias”, de Walmor Correa
Abertura: 13 de outubro, quinta-feira, às 18h30 (entrada franca)
Local: A Sala / Galeria do Centro de Artes – UFPEL (Rua Alberto Rosa, 62 – Pelotas/RS)
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h
Encerramento: 7 de novembro de 2011
Conversa com artista: dia 14 de outubro, sexta-feira, às 10h30, no auditório do IAD (Rua Alberto Rosa, 62 – Pelotas/RS)
Mais informações: http://www.galeriaiad.blogspot.com  e-mail: asala.galeria@gmail.com
Coordenadora da A Sala Galeria: Adriane Hernandez (53.81422408). Contato do curador Tigo Weiler (53.91235827)

Você me dá a sua palavra? / Centro de Artes UFPel

Lúdico Cotidiano / Museu de Arte de Joinville – UFPel

Poiein ludus, poiein faber – UFPel / Galeria de Arte do DMAE

 

Um grupo de nove alunos do Centro de Artes da UFPel  (Universidade Federal de Pelotas) coordenados pela professora Adriane Hernandez integra o projeto de extensão Lúdico Cotidiano que já acumula o sucesso de aceitação em quatro editais de exposição em lugares de significativa importância no circuito das artes do sul do país. Na próxima terça-feira, 19 de julho, às 19 horas, acontece a abertura da exposição Poiein ludus, poiein faber, na Galeria de Arte do DMAE, em Porto Alegre. O nome da exposição, que conjuga palavras em grego e latim, abarca a poética, o jogo e o trabalho, dando uma tônica do que o púbico poderá encontrar nesse espaço, trabalhos elaborados e divertidos, realizados com muita reflexão.
A exposição fica aberta para visitação até dia 27 de agosto. Antes mesmo do encerramento, o grupo realizará uma nova mostra no MAJ, Museu de Arte de Joinville, com novos trabalhos. Para janeiro de 2012 já está agendada mais uma exposição, dessa vez na Galeria da Fundação ECARTA, em Porto Alegre.
Os artistas integrantes da exposição são: André Winn, Carolina Moraes Marchese, Erika Romaniuk, João Genaro, Karen Campos, Luana Alt, Morgana Ávila, Thiago Reis e Vini Albernaz.

Exposição Poiein ludus, poiein faber
Galeria de Arte do DMAE –  Rua 24 de outubro, 200. Porto Alegre | RS.
Inauguração: 19/07 às 19 horas –  Visitação: de 20/07 a 27/08; de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 17:30.
Artistas: André Winn, Carolina Moraes Marchese, Erika Romaniuk, João Genaro, Karen Campos, Luana Alt, Morgana Ávila, Thiago Reis e Vini Albernaz.
Curadoria de Adriane Hernandez

 

Área de Cultivo / A sala – Galeria do Centro de Artes / UFPEL


Ficções da Imagem – UFPel

Vilma Sonaglio

No dia 24 de março, às 18:30, A Sala – Galeria do Centro de Artes inaugura a exposição “Ficções da Imagem”. A exposição reúne trabalhos dos artistas: Helena Martins-Costa, Jorge Soledar, Rommulo Vieira Conceição e Vilma Sonaglio e tem curadoria de Alexandre Santos. A iniciativa acontece em parceria com a Fundação Ecarta, localizada na cidade de Porto Alegre, onde a exposição foi realizada pela primeira vez em 2010.

Cada trabalho traz um interesse particular gerado pelas possibilidades do registro fotográfico. Em Vilma Sonaglio , por exemplo, podemos perceber os jogos de luminosidade e de focagem, capaz de manipular e conduzir o olhar alheio, provocando a curiosidade pela aparição sutil de silhuetas nas sombras. A exploração dessa característica que a fotografia carrega, de fixar um momento único e provocar um certo congelamento dos corpos, está nas fotos de Helena Martins-Costa, que como uma obra de Medusa parece converter todo o ser em pedra e pedra em ser, formulando uma ambiguidade irresoluta.  Já em Rommulo Conceição , a ambiguidade está nos detalhes, que só percebe aquela alma inquieta e capaz de se entregar. A imagem apresenta-se como uma armadilha para o olhar, que seduz primeiramente pela beleza capturando o outro, que aos poucos passa a desconfiar do que vê. Jorge Soledar utiliza a fotografia como um recurso narrativo, gerando uma relação de medidas que se estabelece a partir de um dispositivo estrutural que percorre todo o corpo de uma mulher e está fixado a sua roupa. A soma destas imagens, que apresentam enquadramentos diversos, provoca uma sensação de estreitamento do tempo, sugerindo movimentos muito lentos, e do espaço, em pequenos cortes fragmentários e isto é salientado pelo modo como as imagens se desenvolvem na parede do espaço expositivo.

 

A Sala : Galeria do Centro de Artes da UFPel | Alberto Rosa, 62, Pelotas | www.galeriaiad@blogspot.com

de 25/03/2011 a 19/04/2011 Inauguração: 24.03 às 18:30

Das 9:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:00


Poiein Ludus, Poiein Faber – Casa do Leite


A exposição *Poiein Ludus, Poiein Faber* é uma iniciativa do Programa de Educação Tutorial, grupo PET Artes Visuais, da Universidade Federal de Pelotas, Instituição que abriga o grupo de estudantes do curso de Artes Visuais que perceberam no edital do Memorial e Espaço Cultural Casa do Leite uma oportunidade de mostrar sua produção artística.
Com curadoria da professora e também artista Adriane Hernandez (UFPEL), *Poiein Ludus, Poiein Faber* apresenta como proposta uma exposição diversificada nos modos de fazer, trazendo dez artistas que buscam no campo das artes visuais aquela necessária liberdade para desenvolver seus processos de criação. Isso pode ser percebido de dois modos distintos, mas que desembocam em uma similaridade essencial. O primeiro aponta para a vontade de jogar (brincar): jogar com as formas, com as linhas do desenho, com as cores e com a inversão dos sentidos comuns, presentes no cotidiano das pessoas. O outro modo traz a energia do trabalho (produção) contida na tenacidade, com a tentativa de equilíbrio, de reconstrução, de eterna perda e eterno reformular; mas também aí encontramos a idéia de jogo, desta vez o jogo de construção e desconstrução presentes na nossa vida desde a infância, como no puzzle, por exemplo. Então, poderíamos pensar como essência dessa exposição a poética do lúdico e do trabalho. Vemos que esses sentidos estão presentes, de modos distintos talvez, mas em todas as propostas desta exposição.

Abertura: 3 de dezembro às 19h30min horas

Período da exposição: de 4 a 16 de dezembro de 2010; de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados
das 14h às 18h.

Memorial e Espaço Cultural Casa do Leite
Rua Deolindo Manoel Selão, nº 71 – Parque da Matriz – Cachoeirinha/RS

Construir e Cultivar – IAD/UFPel

%d blogueiros gostam disto: